Passei as ultimas aulas pensando no que a Ambre tinha dito. Era mesmo o que estava parecendo ser? Ela estava combinando com alguém em enganar o Alexander? E Mark Muller estava nessa? E... Ritual? No que ela estava pensando? Será que ela, assim como aqueles homens queriam o poder que o Alexander tinha? Mas a Ambre? Ela era Ob... Ou era tudo falsidade? Eu precisava falar com o Neythan. Será que era sobre isso que o Mark queria conversar com o Alexander? Ou ele estava mentindo pra mim ou para a Ambre... Tinha certeza que era a primeira opção.

Na saída peguei o celular para ligar para o Neythan, mas bem... Não precisava. Ele estava parado na saída da escola encostado em uma moto, de braços cruzados. Meu coração disparou. Era uma cena incrivelmente sexy de se ver.

Ele sorriu quando me viu.

— Você aqui? — perguntei

— Só vim buscar a minha namorada na escola. — Disse ele me entregando o capacete

— Humm...

Lembrei-me daquela outra vez que ele apareceu por ali.

Retribui o sorriso e ele me deu um beijo

— Temos plateia. — Disse ele e me virei para ver quem era

As meninas. Elas estavam com cara de surpresa e quase não piscavam. Exceto Mary, obviamente.

— Elas achavam que eu namorava um fantasma. — Disse sorrindo e acenei para elas virem até onde eu estava

— Hum... Não acredito. Ele é real. Quer dizer real mesmo. E é lindo. — Disse Maya

Ele sorriu

— É... Quis dizer... Vimos você pela janela do quarto dela, mas desconfiávamos que pudesse ser só um amor platônico, já que ela nunca nos apresentou você pessoalmente. Eu sou a Maya — Disse ela estendendo a mão para pegar na dele

Ele me observou e eu sabia o que queria dizer. Ele não era acostumado a ter contato físico com outras pessoas. Entrelacei minha mão na dele e sorri

— Ah! — ela abaixou a mão — Namorada ciumenta. — Disse ela e as meninas começaram a rir

— Tenho que cuidar do que é meu. — Disse e ele sorriu novamente

— Sou todo seu.

Acabei ficando sem graça.

Depois das apresentações, o Neythan decidiu me levar para o jardim onde me levou uma vez, as lembranças de lá ainda eram claras... Gostava de ir lá. Aproveitei enquanto estávamos sentados perto da cachoeira para contar sobre a Ambre.

— Acho que ela está tramando alguma coisa contra o Ale... Contra ele e eu. Sei lá, ela disse que alguém fez o serviço errado e me levou justamente para casa dele.

— Seja o que for, ela não vai ter sorte. Vou impedir se ela tentar te machucar, e se ela entrar no caminho dele ela sabe muito bem que a chance de sobreviver é zero.

— Ela falou sobre um ritual. O que ele pode ter a ver com isso?

— Se querem o poder dele vão acabar morrendo; ou tentando pegar ou na hora da transferência. É muito para pessoas com tão pouca experiência. — Ele olhou em volta — Que tal falarmos sobre outra coisa?

— D-desculpe. É que lembrei sobre o que o Mark Muller disse. Acho que ela tinha alguma coisa em mente quando colocou sonífero na minha bebida. Acho que ela queria fazer outra coisa, mas o plano dela deu errado.

— Ela é idiota de tentar armar uma contra ele. Pode ter certeza que ele não deixará isso quieto. — Ele falou, levantando-se — Vem! Vamos aproveitar antes do pôr-do-sol.

Iria fazer isso. Não queria perder tempo falando sobre a Ambre, Alexander ou sobre o Mark Muller. Queria aproveitar aquele momento com ele.

— Se convidasse você para ir ao baile de formatura comigo, você iria? — perguntei e ele ficou me observando pensativo

— Não sei se é uma boa ideia. Baile de formaturas... Vai ter muita gente.

— Então a resposta é não.

— Desculpe. Gostaria de ir, mas sabe como funciona.

— Eu sei. — falei — Então também não vou.

— É o seu baile de formatura. Você tem que ir.

Dei de ombros

— Não vou sozinha. Todos vão ter um par. Até a Mary que chegou há pouco tempo.

— É?

Isso me lembrou do Lionel.

— Ela me disse que o Lionel a convidou para sair. Eu achei suspeito. Tenho medo que ela faça alguma coisa contra ela.

— Certamente é uma má ideia. Lionel se importa só com ele.

— Eu sei. Preciso falar com ela de novo.

Quando voltei para casa, o Alam já tinha saído, ele estava muito ocupado preparando as coisas para o desfile, os meus pais estavam em casa. Aproveitei e fiquei assistindo um filme com eles, eles queriam aproveitar um tempo comigo já que estavam de férias e quase não conversávamos.

À noite depois do banho, aproveitei para ficar escrevendo no diário e conversando com as meninas por SMS, que estavam animadas falando sobre o baile, pares e o Neythan.

A caminho da escola no outro dia, eu acabei encontrando uma pessoa pelo caminho, era aquele homem que me "sequestrou" aquela vez, se é que era assim que poderia dizer, já que não era bem um sequestro. Ele tinha pegado o Alam para tentar me pegar para que eu passasse informações do Alexander. E o Alexander o humilhou fazendo que ele pedisse perdão e que saísse da minha frente quando me visse.

Ele me encarou pensativo e de repente arqueou uma sobrancelha como se estivesse lembrado de alguma coisa, ele correu para o outro lado da calçada e saiu sem olhar para trás. Ele levou a sério a ameaça do Alexander.

No mesmo instante recebi um SMS:

Você é a próxima


Toque de SeduçãoLeia esta história GRATUITAMENTE!