Na terça-feira foi àquela coisa chata, o pessoal da reforma estava quase terminando de reformar a cozinha para começar a reformar o andar de cima. A cozinha já estava começando a ficar até bonita. Agora tinha um ar mais moderno.

Como o previsto, Ambre não apareceu na escola na terça-feira também, e ninguém sabia onde ela estava. Não achava que ela tivesse tentado me matar e muito menos que o Alexander tivesse feito alguma coisa com ela, talvez ela tivesse que ter feito alguma coisa importante ou estivesse doente e por isso não apareceu na escola. Isso era o que eu pensava, mas não tinha tanta certeza assim, todo mundo era suspeito até provar o contrário.

Aproveitei que estava perto da escola para comprar um celular novo, de jeito nenhum que eu iria aceitar presentes dele, se fizesse isso ele começaria a achar que eu estava interessada nele, o que não era bem verdade, um pouco, então preferia evitar essas coisas.

Na hora de me arrumar pensei em dizer para minha mãe que não estava me sentindo bem ou tentar mentir em alguma coisa do tipo, só que não fiz isso, não queria dar mais motivos para ela ficar desconfiada de mim, ela até estava voltando ao normal, mas não tinha desistido da ideia do jantar. Sem contar que talvez ela nem acreditasse nisso, ela já sabia que eu não estava querendo ir.

Tomei um banho e me arrumei colocando um vestido preto de renda, com um sapato da mesma cor e deixei o cabelo solto. Tive que ficar esperando minha mãe até ela terminar de se arrumar, sorte do Alexander que eu não era como a minha mãe, senão teria que ficar horas esperando até nós duas terminarem. Enquanto esperava, mandei uma mensagem para as meninas informando que tinha conseguido comprar outro celular, sorte a minha é que o chip do celular estava normal, então não tinha perdido os números da minha lista de contato. Fiquei trocando mensagens com as meninas.

Recebi uma mensagem da Maya

Já foi para o jantar com a sua mãe?

Respondi:

Não! Minha mãe leva horas para se arrumar

Depois de alguns minutos ela respondeu:

Rá, Rá. Se você fosse como ela, iriam acabar indo só amanhã.

O pior é que ela tinha razão, pensei quando vi minha mãe descendo.

E olha que ela começou a se arrumar antes de mim. Preciso ir agora, continuamos a conversar depois.

— Fico feliz que tenha feito uma ótima escolha quanto a sua roupa. Ficaria desapontada se decidisse ir vestida de uma forma... Sem graça. — Disse minha mãe, enquanto elegantemente parava perto de mim.

— Eu disse que iria no jantar não é? Vou cumprir a minha palavra por mais que não queira.

— Você está linda! — Falou ela, ignorando o que eu tinha dito.

— Certo! Você também está linda.

— Espero que se comporte bem essa noite, não gostaria de passar vergonha. Quero que entenda que esse é somente um jantar formal. Não estou tentando juntar você com ele.

— Nossa, eu fico muito feliz em ouvir isso, — Disse, ironicamente.

— Mhylla! Quero que entenda que isso vai ser bom. O Alexander é um homem legal e muito importante. Não estou pedindo que fique com ele, só que seja legal. Isso não vai te matar. É pedir demais?

— É! Eu não sei por que está fazendo isso. Sempre me deixou fora do negocio da empresa, tanto seu, quanto do papai. Agora está tentando me envolver com esse... Empresário. Nem sabe se ele é isso mesmo.

Ela respirou fundo passando a mão na testa como se falasse com uma garotinha de cinco anos que não entendia completamente nada, eu acabei ficando quieta antes que a situação piorasse.

— Não vamos mais discutir sobre isso. Ir a esse jantar, não vai matar você e ponto final.

É ela tinha razão, não iria me matar só me deixar com raiva.

Assim que finalmente ela terminou e ele chegou, fomos para o restaurante, chegando lá, percebi que não era um restaurante que eu já tivesse ido antes, só que ali era até elegante, tinha uma decoração em vermelho muito chamativo.

Eu já estava começando a ficar surpresa com aquela cidade, ela tinha um toque um pouco sombria, mas varias coisas nela eram até elegantes e interessantes.

Vi que havia algumas pessoas ali, obviamente. Olhei em volta até que uma pessoa me chamou a atenção, olhei melhor e vi que era o Neythan, ele estava conversando com uma mulher loira, com uma roupa formal. Quando ele me viu pareceu um pouco surpreso, mas estava sério, minha mão começou a tremer e acabei ficando um pouco nervosa.

Será que era coincidência a gente ir ao mesmo restaurante? Não poderia ser.


Toque de SeduçãoLeia esta história GRATUITAMENTE!