Eu o encarei esperando alguma resposta plausível para o que tinha acabado de acontecer, ele me encarou parecendo ofendido com a minha pergunta.

— Não acha mesmo que eu tentei te matar não é? — perguntou ele

— N-não foi o que eu disse. Só que... É estranho a chamada ter caído justamente no seu celular.

Ele deu de ombros, sério.

— Você sabe que se eu quisesse te matar só de te tocar conseguiria isso.

— Não disse que você tentou me matar apenas que...

— A loira... — Ele falou levantando-se como se acabasse de lembrar-se de algo.

— O que? Quem? A investigadora? — perguntei e ele balançou a cabeça fazendo que não — A Ambre?

— Eu volto depois. — disse ele indo até a porta

— Espera! Você... Você tem que me dizer quem...

— Depois.

— Mas Neythan... — comecei, mas ele já tinha saído.

Outra reação estranha, ele nunca saia assim quando eu estava falando com ele, ou alguma coisa parecida. Não tinha certeza, mas parecia que desde que a gente começou a ficarmos juntos as coisas pareciam ter ficado meio... Estranhas e insuportáveis. Ele não passava mais de cinco minutos perto de mim e quando isso acontecia sempre ocorria uma coisa estranha. E o que ele tinha com a Ambre? Já começava a ficar com raiva de tudo isso, não achava que ele tivesse tentado me matar porque como ele disse, se ele quisesse isso só de me tocar conseguiria, mas eu queria uma explicação para a chamada ter caído justamente no celular dele.

Eu não iria ficar ali parada. Precisava sair e não estava nem ai se a pessoa que estivesse tentando me matar estivesse lá fora. As coisas estavam acontecendo e eu era a única que não sabia de nada e ficar sem saber nada com essa dúvida toda não era nada bom.

Tomei um banho e me arrumei colocando uma roupa confortável com um bracelete e deixei o cabelo solto como eu sempre usava. Peguei meu celular e sai do quarto, liguei para as meninas e combinamos de nos encontrar na casa da Alycia e de lá decidiríamos para onde ir. Elas já sabiam que eu estava namorando com o Neythan, mas também não tinha contado sobre a parte do que ele era. Meus pais eram os únicos que não sabiam, eles não iriam aceitar isso, mas tinha combinado que breve contaria para eles.

Passei no quarto onde minha mãe estava para avisar aonde eu ia e depois quando estava saindo dali acabei me deparando com a Ambre conversando com o Neythan.

Agora fazia sentido quando ele disse a loira.

Mas o que ele tinha com ela e ela com ele? Por que ele não tinha me falado nada sobre ela? Tive vontade de ir até lá e descobrir as respostas para isso, mas não fiz, eu não achava que ele estaria mentindo pra mim então com certeza ele me diria (sem que eu perguntasse) o que ele estava fazendo conversando com ela. Eu confiava nele, mas ultimamente começava a ter dúvidas sobre isso, ele estava sendo tão mais misterioso que antes que eu não sabia no que devia acreditar.

Eu era covarde.

Não iria causar uma confusão justamente com a Ambre, não sabia se o Neythan era o tipo dela. Na verdade, ele era! Claro que era! Bonito, charmoso, elegante, misterioso, olhar e sorriso sedutor, ele era o tipo de qualquer garota. Não negava que por dentro estava morrendo de ciúmes, mas tinha que tentar manter o controle sobre a situação.

Fiquei parada observando, Ambre pareceu dizer uma coisa que o Neythan não gostou, ela tentou tocar nele, mas ele desviou saindo e ela deu aquele sorrido de cobra dela. Quando percebi que o Neythan já estava longe, sai para ir encontrar com as garotas. Foi ai que percebi também que não tinha ido até lá por que queria evitá-lo. Ou... Evitar o obvio.

Toque de SeduçãoLeia esta história GRATUITAMENTE!