Não fazia ideia do que estava dizendo. Eu amava o Neythan só que agora também, meus sentimentos pelo Alexander estavam confusos e isso não estava certo. Não poderia ficar nesta indecisão, mas era o certo para todos.

Depois de um tempo ali decidi ir embora, não poderia dormir fora de casa senão meus mais ficariam com mais raiva ainda e como estava muito tarde o Alexander me deu uma carona até em casa. Quando entrei todos estavam dormindo então subi para o meu quarto. Depois de um tempo escrevendo no meu diário, me lembrei do da Melissa. Então fui correndo olhar. O que o Alexander tinha falado era verdade, pois nas últimas páginas do diário, parecia mesmo que as páginas foram arrancadas. Depois de verificar aquilo fui dormir.

Depois de chegar da escola no outro dia, ter me trocado no quarto colocando uma roupa leve, que era um short e uma regata cavada, branca, desci e encontrei minha mãe na cozinha tentando desastrosamente lavar as louças, o que foi meio engraçado com aquele estilo "chique" dela. Agora que o Alam estava ali ele me ajudava na maioria das vezes a fazer isso.

— Sério, por que essa torneira não colabora? — resmungou ela

— Não se preocupe, ela não vai te atacar. — Eu disse brincando.

Sentei no banco da bancada e peguei uma maça observando-a. Até queria ver onde isso iria dar. Depois da reforma na casa eles tinham colocado aquelas torneiras modernas, e como minha mãe não parava em casa não sabia como mexer naquilo.

— Cadê o papai?

— Precisou sair rápido, mas volta daqui a algumas horas.

— E o Alam?

— Em uma entrevista.

Fiquei observando-a se confundir com aquela torneira, era engraçada a situação.

— Se quiser posso fazer isso. Tenho certeza que sei lavar louça melhor do que a senhora, mãe.

— Não precisa. Também não sou inútil. — Ela pareceu magoada.

— Eu não disse isso.

— Eu tenho a absoluta certeza que sei como fazer isso.

E foi só ela falar isso que espalhou água para todo lado e ela começou a falar um monte de coisas ininteligíveis.

— Mãe? O que a senhora fez?

— Que... Raiva. — Disse ela passando a mão na roupa e caminhando para fora da cozinha.

Pelo que parecia ela tinha feito um estrago ali, a torneira tinha quebrado e estava espalhando água por toda a cozinha.

— Onde está indo? — Disse eu, acompanhando ela e olhando a cozinha que estava ficando toda molhada.

— Vou pedir ajuda. Seu pai não está aqui, eu não sei como arrumar e obviamente você também não.

— Mas não temos nenhum vizinho... Não. Não. Não.

— Ou é isso ou é ter a casa alagada. E qual seu problema com o vizinho? Ele é bem gentil. Muito legal. — Disse ela dessa vez abrindo a porta e caminhando até a casa do Neythan.

Ela deu duas batidas antes de esperar por uma resposta.

Um minuto depois ele abriu.

— Olá? Lembra-se de mim ainda, não é? Então, não sei se é um momento apropriado, mas gostaria de pedir sua ajuda. Fiz uma burrada na cozinha, não sei como consertar e o meu marido saiu. Sabe como resolver problemas na torneira da cozinha? — Disse minha mãe

Ele sorriu. E eu quase que morro, adorava aquele sorriso de covinha dele. Disfarcei quando percebi que estava com um sorriso bobo no rosto.

— Posso ajudar sim.

Toque de SeduçãoLeia esta história GRATUITAMENTE!