For every story tagged #WattPride this month, Wattpad will donate $1 to the ILGA
Pen Your Pride

Ele ficou parado na porta por algum tempo me observando e depois entrou fechando a porta e parou a minha frente. Eu estremeci tentando lembrar o que tinha acontecido ali, mas nada vinha a minha mente. Onde estava o meu vestido e mais importante: por que eu estava sem ele? E na casa do Alexander? Não fazia sentido.

— Oi! — Ele disse de forma calma

— O... Oi?

— Como está se sentindo agora?

Dei de ombros, assustada

— C-Confusa. — disse e ele sorriu

Como eu tinha ido parar no castelo do Alexander? Isso era loucura, e por que estava no quarto da Melissa?

— É... E-eu... V-você... A gente... — não sabia como perguntar— Onde está... Meu vestido? Como eu vim parar aqui?

Ele me observou e eu desviei o olhar

— Você não se lembra de nada sobre ontem?

— Tem alguma coisa que devia me lembrar? — Perguntei assustada e ele pareceu pensar

— Na verdade...

— Me diga que não aconteceu nada entre a gente. — Eu disse

Já podia sentir meu coração disparar loucamente como se fosse saltar para fora, estava ficando apavorada.

— Não aconteceu nada entre a gente. — Ele respondeu

— Sério?

— É. Mas se você quiser pode acontecer.

Eu me afastei dele

— Você sabe que não. Onde está meu vestido?

— Você derramou refrigerante no seu vestido ontem. Pedi para que cuidassem disso para você.

— E... Eu fiquei assim?

— Se está achando que vi você de roupa intima... Não vi. Deixei você aqui para escolher um vestido, mas acabou adormecendo.

— Eu... Não sei como vim parar aqui.

— Você chegou com uma garota de cabelo curto e com um homem que estava acompanhado com ela. Eles deixaram você aqui e se foram. Você não parecia bem ontem, estava bem agitada. — disse ele sorrindo — Nunca vi você tão animada.

— Ham? E-eu?

— Exatamente.

Eu não estava acreditando. Como podia não lembrar de nada? E quem eram as pessoas que ele tinha falado? Não poderia ser a Mary, porque ela não estava na festa, e duvidada que fosse o Alam. Só me lembrava de ter me sentido um pouco mal depois que... Ah, só podia ser brincadeira... Ambre.

— Você dormiu com a Ambre? Não que seja da minha conta, mas achei que tinha dito que não gostava dela.

Ele me observou novamente e passou a mão pelo cabelo.

— Fiz a mente dela para que ela acreditasse nisso.

— Você enganou a mente dela? — perguntei surpresa

— Eu sabia que se ela achasse isso talvez percebesse que na verdade o amor que ela sentia era só o ego dela. Não me arrependo por isso e jamais vou me arrepender.

— Eu tenho que ir embora... N-não posso ficar aqui.

— Não quero que vá embora. Depois que se tornou a Mhylla não passa mais tempo comigo. Você não faz ideia do quanto estou me segurando para não fazer uma burrada como na vida passada.

— Você pensa em me matar de novo?

Ele sorriu

— Não estava me referindo a você. Se fosse igual antes, eu teria feito qualquer coisa pra ter você, e não teria me arrependido.

— Está querendo dizer que teria coragem de machucar aqueles que impedem que eu fique perto de você...

— É. Exatamente isso. —Disse ele tocando meu rosto e eu novamente me afastei

— Não faça isso.

— Isso o quê?

— Sei que está se fazendo de desentendido. Eu não gosto de você como gosto do Neythan. E sei que se sentir alguma coisa não vai ser real, e sim culpa do seu poder.

— Eu não gosto quando você fala dele.

— E eu não gosto quando faz isso. Sabe que... não tem como existir alguma coisa entre a gente.

— Poderia, se não existisse ele.

— Se você machucar o Neythan sabe que eu não conversaria com você de novo.

Ele começou a rir

— Machucar o Neythan? Você sabe que ele é imortal, né? Mas... Eu conseguiria machucá-lo se quisesse. E ele também conseguiria fazer isso se quisesse, ainda mais agora que o mau que havia dentro dele já despertou. Ele pode te machucar a qualquer momento e depois não se lembrar disso.

— Você também já me machucou.

— Eu fiz pelo seu bem, é diferente.

— Quer dizer que seu... Mau interior não despertou?

— Quer dizer que tenho poder suficiente para destruir essa cidade se eu quisesse. Eu sou da linhagem original. Tenho poder e controle o suficiente.

— Então por que não faz o que acha melhor? Você tem poder o suficiente para fazer a minha mente e me fazer ficar apaixonada por você.

— O sentimento tem que ser verdadeiro.

— Isso não vai... – Comecei a dizer mais ele me interrompeu tocando o meu rosto

Ele aproximou o rosto do meu e me afastei

— Não vou fazer isso de novo. Já magoei o Neythan outras vezes e não vou fazer isso de novo.

— Não fala sobre o Neythan enquanto estou tentando beijar você.

— N-não tenta me beijar. — Protestei

Que situação embaraçosa.

Ele segurou o meu rosto olhando diretamente nos meus olhos.

— Eu quero que você fique comigo. Agora.

Todos os pensamentos sumiram da minha cabeça exceto que eu tinha que ficar com ele. Ele aproximou-se de mim delicadamente, passou o polegar pelos meus lábios e tocou seus lábios no meu, mas ele não estava me beijando, era mais um selinho. Ele passou a mão pelo meu ombro e no mesmo momento me veio à mente uma lembrança com o Neythan. Eu não podia fazer isso. Tinha que tentar ser forte.

O Alexander parou se virando e percebi que a porta estava aberta.

— N-Neythan?

Não podia ser verdade.

— É... Eu sei onde te encontrar. — Disse ele


Toque de SeduçãoLeia esta história GRATUITAMENTE!