Voltei para a sala e tirei a camiseta dele colocando a minha blusa, olhei novamente a hora no celular e vi que ainda tinha tempo de ir à escola, o Neythan me entregou um copo, vi que era chocolate quente. Tomei enquanto observava ele, ele parecia perdido em pensamento.

Eu não tirava a razão dele sobre não querer um jantar com os pais, apostava que qualquer pessoa que era deixada pelos pais quando criança, e depois eles voltassem querendo recomeça, com toda certeza iriam agir dessa forma. Eu mesmo muitas vezes me senti só, apesar de ter o Alam que era o melhor amigo do mundo e que fazia de tudo para me ver bem e me fazer sorrir. Meus pais dedicavam todo o tempo deles ao trabalho, não que fosse tão necessário, mas muitas vezes isso me deixava chateada, me levando a ter problemas antes me mudar para ali... E olha que tinha tudo o que precisava.

Ele tocou a minha mão e percebi que ele estava quente de novo, tinha certeza que era por causa do poder que existia nele. O silêncio tomou conta da sala e já estava ficando muito sufocante.

— Eu não quero deixar a sua mãe frustrada, mas... não tem como usar o vestido que ela me deu. Sabe... É muito decotado.

— Ele não combina com você, apesar de que você ficaria bem sexy nele — disse ele e eu corei — Você pode pedir para o Alam modificar. Tenho certeza que ele fará um ótimo trabalho.

— É mesmo. — disse, eu não tinha pensado nisso e era uma ótima ideia já que o Alam entendia muito bem sobre moda e o que eu gostava ou não. — Talvez eu chegue tarde hoje de novo, tenho o trabalho para entregar amanhã e o Mark não quer colaborar.

— Você sabe que ele é amigo do Lionel, certo? — perguntou ele e eu o encarei

— Como você sabe?

— Já vi muitas vezes eles na frente daquele bar de motoqueiros.

— Ah — Dei de ombros, era obvio que seria isso — Eu tenho que ir. Preciso passar em casa para deixar essas coisas.

— Eu ajudo você.

Peguei a mochila da escola e a que tinha guardado minhas coisas, ele me ajudou a levar o que os pais dele tinha me dado. Quando cheguei em casa o Alam estava lá sentado na banqueta da cozinha.

— Bom dia. — disse ele abrindo um sorriso encantador — Como estão?

— Tudo bem... Eu acho. E com você?

— A mesma coisa. — Respondeu ele olhando alguns papeis.

Deixei as coisas no sofá e me sentei na banqueta também.

— Como estão as coisas? Conseguiu a modelo? — perguntei e ele negou com a cabeça

— A que tinha contratado já conseguiu uma nova proposta. Tenho que arrumar uma imediatamente. Temos que fazer um book fotográfico na quinta-feira.

— Boa sorte com isso.

— Aonde eu vou conseguir uma garota com um sorriso encantador, um olhar sedutor, um corpo bonito e sexy e que more por aqui? — perguntou ele e o Neythan me olhou

Ele fez o mesmo, mostrando uma expressão de surpresa e de quem teve uma ideia. Eu olhei para o Neythan tentando entender até que a ficha caiu...

— Não! Não! Não! De jeito nenhum. E também... E-Eu nem sou sexy. E não sirvo para isso. — Eu disse me levantando e o Neythan sorriu

— Como assim não é? Você é inteiramente bonita. E é sexy sim. Você é perfeita para isso. — Disse o Alam vindo até onde eu estava

— Eu ficaria completamente sem graça e eu seriamente não sirvo para isso. E também...

— Não serve? Você se lembra na formatura do ensino fundamental quando...

— NÃO. — Eu quase gritei — Não fale sobre isso.

— Não falar sobre o que? — perguntou o Neythan me observando

— Nada — eu disse, mas ele sabia que não era verdade.

— Mhylla tem um book fotográfico superlindo. Ela serve para isso sim.

— Eu disse para não contar. — Eu disse fazendo cara de aborrecida e cruzando os braços, brincando, e o Neythan começou a rir de novo.

— Essa sua cara de aborrecida só faz você ficar fofa — disse o Alam apertando minhas bochechas.

— Mhylla tem um book fotográfico? Eu não sabia disso — disse o Neythan fazendo cara de interesse

— Não vou te mostrar. Eu não gostei das fotos.

— Você ficou totalmente linda. A mãe da Mhylla quis marcar a formatura dela no ensino médio então pagou para fazer um book fotográfico para a Mhylla e ela saiu muito linda. — Disse o Alam sorrindo de novo

Eu corei, era obvio que eu estava com vergonha, não tinha falado para quase ninguém sobre o book fotográfico, não que eu achasse que estivesse horrível nele, eu não sofria com baixa autoestima, só ficaria sem graça com a ideia de que o Neythan me visse nele. Eu achava que não tinha jeito para modelo, mas o book até que tinha saído bonito. Naquele dia eu estava com quinze anos.

— Gostaria de ver algum dia desses — Disse o Neythan

— É...

— Se ela não mostrar eu pego e te mostro. Agora, Mhylla... Minha Milinha, querida. Por favor, aceita. — disse ele

Como eu iria conseguir dizer não com ele me olhando daquele jeito?

— Alam, eu acho que não é uma boa...

— Não diga que não é uma boa ideia. É obvio que é. Eu poderia te prometer que não te pediria mais nada, mas seria meio que mentira porque no final das contas sempre acabamos pedindo. Por favor?

— Olha... Só por que você está pedindo. Mas se sair errado a culpa não vai ser minha.

Ele abriu outro sorriso encantador e me deu um beijo no rosto.

— Eu amo você. É por isso que somos melhores amigos. Nós nos completamos. — disse ele pegando o celular, ligando para alguém e saindo da cozinha.

— E agora? — disse a mim mesma, mas saiu alto o suficiente para que o Neythan escutasse.

— Eu acho que vai ser muito interessante. — Respondeu ele


Toque de SeduçãoLeia esta história GRATUITAMENTE!