Fiquei olhando aquele amuleto sem acreditar. Eu não queria acreditar. Como ela poderia ser tão parecida comigo? E se eu... eu... Eu não queria acreditar em reencarnação de vidas passadas, seria possível? Não! Isso era muita loucura, eu ainda preferia ficar com a opção de ser coincidência. Minha mão começou a tremer e percebi que estava um pouco nervosa. Talvez isso explicasse os déjà -vus, aquelas sensações estranhas que eu senti quando cheguei ali. Ou não? Eu tinha que ler o diário. Precisava ter certeza que era ilusão da minha cabeça de novo. Tinha que ser verdade.

Abri o diário e vi que as folhas estavam meio manchadas, devia ser por causa do tempo que ficou ali, folheei o diário e olhei a data, novamente não acreditei, era de décadas atrás. Como aquele diário tinha ficado ali tanto tempo assim? E por que ela teria escondido ele? Será que havia mais do que apenas segredos do dia-a-dia ali? Será que existia algo mais?

Ao continuar folheando o diário, vi que em uma pagina havias alguns nomes rabiscados e escrito alguma coisa, havia também uma carta em um envelope estranho. No diário estava escrito:

Não entendo por que eu...

Alexander! Descobri que esse é o nome dele. O que ele queria comigo?

Em um minuto eu o conheço e no outro quase beijo ele. Mas não era como se eu quisesse, eu simplesmente não conseguia me controlar, só que por sorte consegui sair daquele "transe louco" era como se ele tivesse me hipnotizado. Eu não entendo. O pior de tudo é que ele é atraente, bonito e tem um olhar sedutor, sempre que o vejo sinto que não devia confiar nele, mas ao mesmo tempo quero estar com ele.

Foi exatamente isso que senti quando ELE apareceu, em um minuto eu não queria ter saído com ele e no outro sai, em um minuto não queria beijar ele e no outro quase fiz isso. Como era possível? Ela tinha passado pela mesma coisa que eu. Abri a carta e vi que estava assinado com o nome Alexander, devia ser ele que mandou a carta para ela.

MINHA QUERIDA MELISSA,

Eu já tentei de todas as formas lhe dizer, não é como se isso fosse possível, sei que um dia vai conseguir retribuir o que sinto por você, sei disso. Seria capaz de qualquer coisa para ter você comigo.

Sabe que não precisa ter medo, eu não vou machucar você, mas seria capaz disso se alguém entrar no meu caminho, quando quero uma coisa eu consigo.

É claro que você já percebeu, quanto mais tempo fica perto de mim mais seus sentimentos mudam ,sei que gosta de mim, mas não quer admitir pelo que eu fiz. Quer saber a verdade? Eu não me arrependo do que estou fazendo. Não aceitaria você me deixar, nunca mesmo, eu quero que você fique comigo, sei que se isso não acontecer, terei que tomar uma difícil decisão...

Nada boa.

Você é minha Melissa... Minha.

Novamente aquelas palavras, "Quando quero uma coisa eu consigo". Já tinha ouvido isso antes, e também a parte de "Você é minha Melissa", não era ilusão. Aquilo tudo era real. Por que ele escreveria uma carta assim para essa Melissa? Parecia mais uma ameaça, ele devia amar muito ela, só que parecia que ela não sentia o mesmo, só que também parecia que ela tinha um motivo para não querer gostar dele. A carta parecia ser resposta a alguma coisa que ela supostamente deveria ter dito ou escrito para ele.

Olhei de novo no diário e vi uma outra coisa escrita no final da pagina:

Ele veio conversar comigo! Só que ele era mais gentil que o Alexander, ele me disse para sempre usar esse colar, é como se fosse um amuleto que poderia me proteger. Como assim? Proteger de que e de quem?

Toque de SeduçãoLeia esta história GRATUITAMENTE!