RECADINHO

Gostaria de agradecer a todos que acompanharam e fizeram parte disso, muito obrigada *-* Em segundo lugar queria desejar boas festas e um ótimo natal/ano novo à todos.

Está aqui uma degustação do prólogo do segundo livro que postarei em breve (já está finalizado, só estou editando), então para acompanhar, se quiser pode pedir para que eu eu avise por mensagem privada (pode entrar em contato), ou deixe um comentário aqui, ou se preferir é só seguir meu perfil para receber a notificação.

Esse livro termina aqui .

Até breve para quem for continuar acompanhando *-*  

-------X-------


PRÓLOGO

As luzes se apagaram!

Houve silêncio e logo após o barulho de alguma coisa caindo, não conseguia ver nada a escuridão era intensa, não sabia por aonde ir e nem o que fazer naquela situação. Senti uma forte dor nas costas e logo após não vi mais nada.

Acordei sentindo uma forte dor nas costas, minha visão foi desembaralhando quando me sentei. Estava presa em algum lugar, tudo parecia moderno, havia grades de ferro permitindo ver o que tinha lá fora, a sala tinha um formato hexagonal. Na sala onde eu estava tinha tubos transparentes com um liquido branco que escorria por ele chegando onde eu estava, mas alguma coisa ainda impedia que ele caísse na sala. Havia varias linhas elétricas que desciam do teto até o chão. Nos cantos as salas tinham alguns vidros de até cinco centímetros de altura... Tinha certeza que era para impedir que alguma coisa vazasse da sala.

Tinha mais três salas ali. A minha frente vi que estava o Neythan, na sala ao lado esquerdo dele tinha uma mulher de longos cabelos escuros caída no chão, e ao lado direito da minha sala estava o Alexander.

— O-O que está acontecendo? — perguntei tentando respirar, me sentia fraca.

Vi o Alexander sentado no canto da sala, era a primeira vez que eu o via tão... Indefeso, ele devia estar queimando em fúria. A sala onde ele, o Neythan e a mulher estava havia dois tubos, um deles com alguma coisa verde e o outro branco.

— Mhylla? V-Você está bem? — perguntou o Neythan

A voz dele estava fraca e ele estava hesitante quando falou.

— M-Mhylla espera... Não...

Começou a dizer quando me levantei correndo até a grade, mas foi tarde; assim que encostei na grade, senti uma corrente elétrica percorrendo a minha mão até o meu corpo, acabei caindo no chão.

— Se tocar nelas é isso que acontece. — Explicou o Neythan, ele parecia cansado, tudo na sua expressão denunciava isso.

Ele me olhou de um jeito preocupado.

— Que lugar é esse? — perguntei

— Quando descobrir, juro que vou matar quem fez isso — disse o Alexander

— Q-Quem é aquela mulher?

— Sabrina. Ela é uma das originais que ainda restaram. — Respondeu o Alexander olhando pra ela.

Toque de SeduçãoLeia esta história GRATUITAMENTE!