Arrumamos o quarto de hospedes para o Alam ficar, como ele havia dito, ele ficaria por ali por um bom tempo e eu realmente contava com isso, já conseguia ver que ele iria conseguir me fazer sentir melhor. Tá, a culpa era minha por ter terminado, mas precisava ficar longe do Neythan, só que não era tão fácil como parecia.

Depois que ajudei o Alam a organizar as coisas dele, ficamos no meu quarto conversando. Contei para ele tudo o que tinha acontecido, obviamente tirando a parte de que achava que era reencarnação de uma garota de séculos atrás, e que conhecia pessoas que poderiam fazer coisas inimagináveis. Obviamente ele ficou chocado, ele nunca que iria imaginar que tinha terminado com uma pessoa que eu era completamente apaixonada.

—Você ficou louca? Por que fez isso com ele?

— É... Por causa de uma coisa que aconteceu

— Pegou ele com outra? — perguntou ele, arqueando uma sobrancelha.

— Não! Ele não é assim.

— Você é muita confusa. Mas como sabe, estou aqui para melhorar o seu astral. Descobri um lugar interessante quando cheguei. Você sabe que não é o tipo de lugar que eu vou, mas você precisa disso. Podemos ir a uma boate que tem por ai. Conheci umas pessoas legais e podemos ir juntos daqui a alguns dias

— Nossa! Sua facilidade em fazer amizade aumenta cada vez mais.

— Eu sei. Isso é very good

— Very good?

— Muito bom.

Dei de ombros rindo.

— Eu sei o que significa isso. Quis dizer... Ah, Deixa pra lá.

Ele conseguia fazer amizades com facilidade, aonde chegava às pessoas já conversavam com ele, claro obviamente porque ele era muito legal, carinhoso, fofo e extremamente extrovertido.

— Vou preparar alguma coisa pra comer, você quer?

— Não. Estou sem fome.

— Ok. Volto logo.

Fui até a cozinha e preparei um sanduíche, peguei um pouco de suco e voltei para o quarto. Ele ainda estava sentado na minha cama mexendo no notebook.

— Você é uma fofa. — Disse ele pegando o sanduíche

— Eiii! —protestei — Achei que você não quisesse.

— É! Não queria, agora eu quero.

—Vai querer o suco também?

Ele sorriu

— Não!

— Tá. — Disse sentando-me ao lado dele

Eu já sabia que ele iria fazer aquilo, ele tinha mania de me tomar às coisas assim do nada. Ele se levantou e foi até a janela do quarto.

— Humm... Então aquele é o seu vizinho?

Eu fui até a janela, vi o Neythan lá em baixo, ele parecia estar conversando com alguém no celular e depois saiu.

— É ele sim.

— Ele tem um estilo meio misterioso.

— É! Você não faz ideia.

Ter que olhar o Neythan de novo me causou um desconforto, agora me sentia uma pessoa pior ainda. Acabei pensando no Alexander também e que não tinha ligado para ele de volta, o que me levou a pensar na história da cidade e o Alam... O Alam com certeza não ficaria ali por muito tempo...

Toque de SeduçãoLeia esta história GRATUITAMENTE!