Fui para casa depois daquilo, agora estava curiosa para saber por que eu era a única que não se lembrava de nada da história, se é que eu era mesmo a Melissa. Agora conseguia entender que o Alexander não era tão ruim quanto parecia, ele só era meio... Obsessivo. Mas dependendo do ponto de vista isso até poderia ser bom.

Eu não queria ficar o tempo todo me lamentando por ter terminado com o Neythan, mas obviamente também não sairia correndo para os braços do Alexander, poderia estar errada, mas achava que o Alexander também guardava muitos segredos.

Com as semanas foi mais difícil ter que ficar olhando para a casa do Neythan, o Alam me ajudava às vezes, mas não era uma coisa que melhorava meu astral. E para piorar as provocações da Ambre pioravam cada vez mais. Notei também que aquela garota, Marcela não tinha aparecido, já que ela disse que me contaria alguma coisa. Às vezes me encontrava com o Alexander na saída da escola e ficávamos conversando.

No final de semana o Alam ficou me atormentando tentando me convencer a sair de casa e ir a tal boate, mas eu não estava com vontade, por outro lado também não conseguia recusar um pedido dele. Ele disse que tinha comprado uma coisa pra mim e estava esperando para ver porque coisas vindas dele eram meio imprevisíveis.

— Eu comprei isso porque tenho certeza que vai combinar com você.

— Não me diga que tenho que tentar adivinhar o que é. — Disse, e ele sorriu balançando a cabeça em negativa.

— É um vestido de renda. Lindo e combina com você, que pode usar junto com um sapato do Christian Louboutin.

— Quem o que?

— Christian Louboutin! É um designer francês.

— Hã?

— Como você é desatualizada. A marca registrada dele é a sola vermelha.

—Ah! Poderia ter dito antes, não sou tão ligada ao mundo da moda quanto você.

Eu poderia ter certeza que nessas horas ele tinha vontade de puxar e me dar umas boas lições de moda e coisas do gênero, eu nunca fui vaidosa o suficiente para me interessar por essas coisas, ele por outro lado, entendia muito mais que eu.

— Estou aqui para te ajudar.

— Você é o melhor amigo do mundo.

— Eu sei. Agora vai se trocar.

— Espero que esse tal vestido não seja muito decotado. Conhecendo como te conheço, não sei pelo que esperar.

— Não se preocupe. Vai arrasar.

Fui para o banheiro e tomei um banho, depois fui ver o tal vestido que o Alam tinha comprado; pelo menos tinha renda no ombro, o que esconderia minha marca de nascença, só que também para o meu desgosto estava um pouco curto. Mas não iria fazer desfeita em não usá-lo e também até que conseguisse arrumar outro vestido para colocar demoraria mais tempo. Coloquei o sapato e peguei meu celular indo para fora onde o Alam esperava.

— Minha nossa! Você está arrasando.

— Sério? Eu acho que isso está... Curto. Eu estou parecendo uma...

— Não está. Você é bonita e o que é bonito é para se mostrar.

— Está falando com a pessoa errada então. — Disse eu

Não deixava de negar que às vezes os exageros dele eram demais, mas ele era meu amigo, ele sempre veria o melhor de mim e eu sempre veria o melhor dele. Nunca fui confiante demais para me achar tão... Bonita.

Toque de SeduçãoLeia esta história GRATUITAMENTE!