Ele me olhou como se não tivesse entendido, mas sabia que tinha. Também estava me sentindo mal com isso, mas seria melhor assim. Eu não queria que as coisas chegassem a esse ponto e muito menos tinha gostado de saber mais sobre a história dali, isso tinha complicado tudo. Eu estava confusa,

— Por que está dizendo isso?

— Porque... eu acho que não dá mais para continuar.

Ele deu de ombros

— Foi porque eu não apareci ontem? Se for isso eu...

— Não, Neythan. Queria que soubesse o quanto essa decisão é difícil pra mim. Ainda me dói essa escolha, mas...

— Por causa dele? — Ele arqueou uma sobrancelha, ainda estava imóvel.

— Não é por causa do Alexander. Você sabe que eu gostava de você

— Agora estou no passado pra você?

Eu evitei olhar nos olhos dele, não conseguiria fazer aquilo, não é como se fosse uma coisa que eu estivesse sem por cento certa, eu não sabia o que pensar sobre tudo aquilo, mas afinal, tudo ali dependia apenas de uma escolha. A minha.

— Não! Não é isso. —Falei

— O que ele te contou? — Sua expressão estava séria, mas eu sabia que ele estava tentando controlar a raiva.

— O que você não teve coragem para me contar. Por que não disse? Por que não disse o rosto da história da cidade?

Ele parou, obviamente sabia do que eu estava falando.

— Você disse que não acreditava em ressurreição, não achei que fosse preciso complicar a história.

— Mas Neythan, Isso era importante. Você sabe que eu confiava em você, deveria pelo menos ter tentado contar.

— Eu iria fazer isso...

— Agora não adianta mais.

Ele passou uma mão no cabelo parecendo pensar no que iria dizer.

— Esperava que descobrisse isso. Ninguém consegue sair da cidade e se tenta acaba morrendo. É claro que todo mundo que vive aqui é encarnação de uma vida passada, fazem parte da história da cidade. Exceto quem veio pra cá e não saiu mais.

— Foi por causa de mim que isso aconteceu. — Disse eu

Ele revirou os olhos como se eu tivesse contado alguma mentira

— Não! Por culpa do Alexander.

— E minha também. Se ele tivesse ficado com a Melissa isso não teria acontecido. Aquelas pessoas não teriam morrido.

— Mhylla...

— Para! Está tornando tudo mais difícil. Todo mundo estava sofrendo por minha culpa. Todo mundo está sofrendo. Faz ideia de quantas pessoas queriam ir embora daqui? Sair e viver a vida em outra cidade?

Ele observou-me em silêncio, eu estava sendo injusta, mas aquilo era algo importante, se ele sabia desde o começo, deveria ter me contado.

— Agora você acredita que é a encarnação da Melissa? Só por que ele te disse isso?

— Ele não me disse que eu era a Melissa. Apenas já sabia, só que não queria aceitar. Temos a mesma marca de nascença, tive alguns déjà vus sobre a vida dela, e quando fui a casa dele a empregada me chamou de Melissa. Isso tudo não é coincidência. Eu preciso ir embora. Eu... Eu...

Toque de SeduçãoLeia esta história GRATUITAMENTE!