Estava deitada na cama tentando desastrosamente dormir, até minha mãe entrar no quarto e começar a falar um monte de coisas que eu nem estava prestando muita atenção. Ela estava me repreendendo por causa daquela noite, por ter saído e os deixado lá daquela forma. Estava brava por eu ter agido de uma forma "mal-educada", disse que faltavam modos e que eu não deveria repetir aquele ato.

Fiquei escutando os sermões dela até que percebi que ela não desistiria, então levantei para olhá-la.

— Eu não acredito que você deixou a gente lá. — Disse ela indignada, ela estava de cara fechada e me fuzilava com os olhos.

— Eu cumpri minha promessa, fui ao jantar.

— Por que não me disse que vocês estavam namorando?

— Por que não estamos! — Falei, na defensiva — Aquele beijo não significou nada pra mim. Agora pode me deixar dormir? Ou vai falar um monte de coisas de novo?

— Não! Não vou ficar falando muito. A minha cabeça está doendo, eu preciso dormir. — Disse ela esfregando as mãos nas têmporas.

Acordei quase atrasada para a escola, se não me apresasse poderia acabar perdendo a hora. Arrumei-me rapidamente no banheiro, dando uma penteada rápida no cabelo e escovando os dentes, peguei minha mochila e desci. Acabei me surpreendendo quando vi minha mãe sentada no sofá, parecia estar tomando chá ou alguma coisa assim.

— Por que não foi trabalhar?

— Estou com dor de cabeça. Tirei o dia de folga hoje.

— Ah...

Não sabia se ela se lembrava do que aconteceu na noite anterior, mas decidi não perguntar, pelo menos achava que ela já estava voltando ao normal, seria melhor assim.

Enquanto esperávamos na escola a professora que não tinha chegado ainda, todo mundo estava conversando, vi que novamente Ambre não tinha aparecido e isso já estava ficando mais que estranho. A professora acabou se atrasando então tivemos que ficar no pátio.

Fui com as meninas para uma lanchonete depois da escola.

— O que aconteceu com você? Parece mal. — Observou Maya, encarando-me.

— Não é nada. — Disse eu

Não queria voltar a lembrar que o Neythan estava com raiva de mim por causa dele, passar a noite se lamentando pelo que aconteceu não iria ajudar, mas já estava tudo uma bagunça mesmo.

— Eiii! Olha quem está ali. — Disse Maya balançando a cabeça sentido à rua.

Olhei para o lado de fora da lanchonete e vi Ambre e aquelas outras duas meninas, elas estavam paradas sentadas em um banco perto de uma quadra, ela parecia estar com raiva, ou estar discutindo com as meninas.

— Ela não tinha sumido? — Perguntei surpresa, mantendo o olhar onde elas estavam.

— Tinha! Agora não é o caso. — Respondeu Alycia.

Essa história da Ambre estava muito mal contada.

Voltei meu olhar para elas mais uma vez antes de voltar a conversar com as meninas, a Ambre parecia estar com raiva de alguma coisa e as suas duas subordinadas estavam ao lado dela escutando-a falar, seja o que fosse, parecia que estavam discutindo.

Saímos dali e fomos caminhar quando a Ambre parou a gente. Ela nos encarou de cima abaixo e pousou seu olhar em mim, de primeira achei que ela fosse tentar me atacar com alguma palavra que na mente dela fosse ofensiva, mas agora ela parecia estar bem mais relaxada que antes.

Toque de SeduçãoLeia esta história GRATUITAMENTE!