Cidade de Nuvia - Algumas décadas atrás

Todo o céu ficou obscuro, as nuvens já estavam em um negrume que anunciavam a tempestade que já estava por vir, era impossível distinguir onde iniciava uma nuvem e onde terminava outra, os trovões eram cada vez mais violentos, os ventos eram cada vez mais fortes e rasantes. Toda a natureza, a atmosfera e as pessoas já sabiam. Ele estava chegando.

Os moradores da vila que temiam por suas vidas começaram a correr desesperados, ninguém queria estar ali quando ele chegasse, quando ele soubesse que eles tinham a escondido ali, que eles eram desertores, eles sabiam que a única coisa que esperava por eles ali era a morte. Eles ousaram despertar a fúria daquele homem e assim que ele pisasse ali iria matar todos.

Os casais corriam para se esconder levando suas filhas, temiam que ele quisesse levá-las, mas essa não era a questão. Ele estava ali apenas por uma garota, e não sairia dali sem ela.

O tempo se fechou mais intensamente deixando uma escuridão pelo ar, o lugar começou a ficar sombrio e tenebroso, e uma terrível neblina ocupava todo o lugar, já era possível escutar o barulho da tempestade que se aproximava, a cada segundo ele chegava, ele a queria e não deixaria ninguém ir sem que estivesse com ela. Ela agora era o alvo dele.

Mas havia outra garota, a invejosa, a que odiava a garota e iria entregá-la a ele. Ela tinha inveja da garota de longos cabelos escuros e que tinha os olhos cinza. Cinza, como cristais que chegavam a iluminar de tão lindos que eram. Por outro lado a invejosa; a loira de cabelos cacheados e olhos cinza, queria que a garota morresse, ela o queria, mas como não poderia tê-lo, deixaria que ele matasse a garota.

Ele chegou montado em um cavalo negro, era lindo, mas sombrio. O olhar dele pousou sobre a garota parada a sua frente, não era quem ele procurava e como ela tinha entrado no caminho dele, a única alternativa seria a morte.

— Meu senhor. Não me mate. Eu sei onde está a garota. Terás que poupar a minha nobre vida. — Disse a loira ajoelhando-se perante ele, ela também tremia de medo.

Ela sabia o que poderia acontecer se ele a tocasse, apesar de desejar isso, ela ansiava que ele a tocasse que a tomasse nos braços e a beijasse, mas com desejo, algo que sua alma jamais entenderia.

— Sabe quem sou? — perguntou ele descendo de seu cavalo e observando a pobre coitada que estava ajoelhada perto dele. Ele odiava que alguém chegasse perto dele, mas se a garota sabia onde encontrá-la, ele a escutaria...

— S-sim, meu senhor! — respondeu a garota.

— O que queres então? Por que ousas a dirigir a palavra a mim? Saia do meu caminho. Eu quero a garota.

— Sei onde ela está.

— Você sabe? — perguntou ele com um brilho nos olhos

A garota suspirou tremendo de frio.

— S-sim... Meu senhor. — Disse a garota que ainda estava de cabeça baixa

Ela ainda não tinha ousado olhar para ele apesar de desejar muito isso, mas sua curiosidade e desejo eram bem maiores e ela tinha acabado de fazer isso. Um erro fatal!

— Qual o teu nome? — Perguntou ele, sério.

Ele a observou por um breve instante antes que ela pudesse responder, uma onda de medo começou a invadi-la, percebeu tarde demais que ele não teria clemência dela.

Toque de SeduçãoLeia esta história GRATUITAMENTE!