"Menino Zayn..." a voz meiga e preocupada da Marihana fez ouvir enquanto ela quase corria na nossa direção, assim que eu e o Zayn entramos em casa. "O que é que aconteceu?" ela voltou a falar assim que parou a nossa frente olhando atentamente para o Zayn.

"É uma grande história Marihana, mas agora já está tudo em, o Zayn só o precisa de descansar. Acha que pode levar alguma coisa para ele comer lá a cima?" Eu perguntei calmamente mas ao mesmo tempo a minha voz saiu cansada, mais do que eu queria e desviei o assunto da conversa. Eu haveria de lhe explicar mas não hoje. E não agora.

"Sim claro menina eu levo já, desculpe a pergunta" a Marihana desculpou-se e quase a vi correr para a cozinha.

O braço do Zayn continuava apoiado no meu ombro e estávamos agora tentar caminhar ara as escadas, quando a figura do meu pai se fez aparecer.

"Filha" ele sussurrou no topo das escadas e apressou-se a desce-las analisando ambos como se a ver se estávamos bem. "Vocês estão bem?" o meu pai perguntou e esticou a mão para tocar na minha face mas eu desviei-a olhando para o chão e não tive coragem de encarar os olhos do meu pai. Estou a ser injusta? Se calhar até estou, mas a angustia que eu sinto no peito, essa sim compreende-me.

"Eu vou levar o Zayn lá para cima pai, falamos amanha" eu disse com a minha voz baixa não encarando os seus olhos.

"Deixa, eu ajudo o Zayn" o meu pai disse e tirou o braço do Zayn de sima de mim colocando no seu ombro, e de repente uma dor aguda atingiu todo o meu braço por o grande peso que o Zayn estava a exercer sobre o meu corpo ter sido retirado.
  
O meu pai ajudou o Zayn a subir as escadas com facilidade pois ele era homem e era de certo muito mais forte que eu, e eu limitei-me a segui-los enquanto as minhas pernas quase ameaçavam cair em cansaço.

Entramos no quarto e hospedes que Marihana tinha preparado para o Zayn, e o meu pai poisou este em cima da cama.

"Obrigado Sr. Anderson" o Zayn disse num murmuro assim que foi sentado na cama.

"Eu é que te tenho de agradecer rapaz" o meu pai disse e desviou o seu olhar para mim mas eu limitei-me a desviar de novo os meus olhos dos seus. Ouvi o meu pai suspirar em frustração e de novo a sua voz suou. "Bem, eu vou deixar-te descansar. Se precisarem de mim basta chamarem-me" o meu pai disse e passou a sua mão pelo ombro do Zayn e de seguida caminhou para mim dando-me um beijo no topo da cabeça ao qual eu não reagi e depois saiu fechando a porta calmamente.

Suspirei pesadamente assim que o meu pai saiu e passei a mão pelo meu cabelo. Sacudi os meus sapatos de salto alto para um lado qualquer e senti um alivio passar por mim. Caminhei lentamente até Zayn e vi que este me olhava.

"Precisas de alguma coisa?" eu disse quando já me encontrava ao eu lado olhando o castanho que cobria todo os seus olhos. 
 
"Não, eu estou bem" ele respondeu-me e assenti. "E tu?" a sua voz rouca e cansada voltou a suar e eu fiquei um pouco confusa com a pergunta.

"Eu o quê?" eu perguntei e este ajeitou-se na cama e voltou a olhar para mim.

"Se tu estás bem?" ele perguntou e eu assenti esboçando um pequeno e quase invisível sorriso, e de alguma maneira a sua pergunta deixou-me feliz pelo simples facto de eu não estar a espera que ele perguntasse aquilo. "Emma tu tens o braço completamente esfolado. Eles bateram-te ou aleijaram-te?" o Zayn voltou a perguntar acho que... preocupado? Nuna pensei dizer isto mas o Zayn estava preocupado comigo?

"Não Zayn eles não me aleijaram. Obrigada por teres aparecido a tempo." Eu quase que sussurrei a última parte. Sim eu queria agradecer-lhe mas tinha medo que ele disse-se que era o trabalho dele e que ele está-se a cagar para mim. Eu sei disso mas eu não preciso de ouvir.

"Não Emma... Eu devia ter aparecido mais cedo, eu não devia ter deixado que eles te tocassem " ele murmurou em frustração e eu senti um calor crescer dentro de mim por ver toda a preocupação do Zayn. Eu sei que era o trabalho dele, mas os seus olhos não diziam só isso, e ele parecia sincero. Sim, ele parecia sincero.

"Zayn" eu disse chamando a sua atenção para mim e fazendo com que ele para-se com o que estava a dizer. "Tu salvaste-me Zayn, tu enfrentaste-os e conseguiste. Não tens de te culpar de nada. Tens de te preocupar só contigo agora." E disse calma e o mais sincera que consegui porque na verdade a culpa tinha sido minha. Só minha.

O Zayn apenas assentiu e viu encostar a cabeça á cabeceira da cama, enquanto eu empurrava o género de um poltrona que estava no quanto do quarto para mais junto dele. E antes de me sentar falei.

"Vou ao quarto do meu irmão buscar uma camisola para trocares sim?" eu perguntei para saber se ele me tinha ouvido e este limitou-se a assentir a cabeça como se já estivesse quase a dormir. Mas na verdade ele precisava de outra camisola, a dele ainda estava toda manchada com o sangue. "Zayn não adormeças" eu disse colocando a minha mão no seu ombro levemente. "Já são três e dez e daqui a vinte minutos vais ter de tomar os comprimidos e mudar o penso por isso se adormeceres vai ser pior. Liga a televisão ou assim eu não me demoro." Eu disse olhando para ele e viu-o lentamente a abrir os olhos e a endireitar-se na cama.

"Okay eu não adormeço" ele disse enquanto pegava no comando e tentava ver os números.

Dirigi-me para fora do quarto e andei até ao do meu irmão. Abri uma das gavetas e procurei um t-shirt qualquer que ele tivesse, e acabei por tirar uma preta que tinha umas letras quaisquer atrás. Fechei a sua gaveta e dirigi-me para o corredor e entrei no meu quarto. Eu precisava de trocar de roupa e pelo menos passar água na minha ferida.

Despi o meu vestido e vesti uma t-shirt e uns calções. Andei até a minha casa de banho prendi o meu cabelo, e passei água pela minha cara. Abri uma das gavetas retirando de lá a mala de primeiros socorros e desinfetei o meu braço rapidamente e cobri-o com uma ligadura. Guardei tudo de novo e peguei na camisola do meu irmão e na mala de primeiros socorros e fui de novo até ao quarto de hóspedes.

Abri a porta lentamente e o Zayn estava numa luta contra o sono e os seus olhos quase que estavam fechados enquanto este olhava para a televisão. E em sima da cama já estava um tabuleiro com uma sopa, uma sandes, uma peça de fruta e um copo de água com os comprimidos e a pomada para o Zayn.

Por falar em comprimidos eu tinha ligado durante a viagem ao meu pai para os ir buscar a farmácia e curiosamente eles já cá estão.

"Demoraste tanto tempo" o Zayn disse assim que reparou na minha presença e abriu mais os olhos endireitando-se na cama.

"Sim eu fui ao meu quarto buscar a mala de primeiros socorros" eu disse e andando até ele e sentando-me na poltrona que estava ao seu lado.

"A Marihana veio cá deixar aquilo" ele disse e fez sinal com a cabeça para o tabuleiro que estava e cima da cama. "Mas eu não tenho fome. Come tu" a sua voz rouca voltou a suar.

"Eu também não vou comer" eu disse e começei a tirar as coisas que ia precisar da caixa de primeiros socorros.

"Emma vais sim, tu não comeste quase nada ao jantar" o Zayn disse o que fez com que eu olha-se para ele fitado os seus olhos.

"Nem tu Zayn. Agora para de ser chato e veste a camisola do meu irmão." Eu disse entregando-lhe a camisola do meu irmão e ele apenas bufou e não voltou a insistir.

Ele começou a desapertar os botões da sua e eu levantei-me para ir buscar os comprimidos, a água e a pomada e andei para o outro lado da cama sentando-me nesta e poisando as coisas em sima da mesa-de-cabeceira.

Quando voltei a olhar para o Zayn este já tinha a camisa desabotoada por completo e estava com algumas dificuldades em tirar as mangas. Coloquei-me de joelhos sobre a cama e cheguei-me perto dele e ajudei-o a tirar as mangas. Depois destas terem finalmente saído olhei para o seu tronco completamente despido. Ele tinha ainda mais tatuagens nos braços daquilo que eu esperava, tinha também umas asas e um beijo tatuado no peito e uma caveira de cada lado dos ombros, tinha um coração negro no fim da cintura e do lado do corte tinha uma frase por debaixo do penso e ainda ao lado tinha uma pistola que não deixava ver o fim pois era tapada pelos boxers. Surpreendentemente as tatuagens ficavam perfeitas na sua pele morena. Os seu abdominais eram perfeitamente definidos e o v que tinha na cintura segurava as calças um pouco descaídas. Ele tinha sem duvida um corpo perfeito.

Os meus pensamentos foram deixados para trás assim que vi a camisola do meu irmão cair-lhe pelos ombros tapando o peito e deixando apenas a zona da cintura a minha vista.  

"Toma primeiro os comprimidos" eu disse passando-lhe o copo e os comprimidos.

Ele agarrou-os e tomo-os de uma só vez bebendo toda a água de seguida e depois voltou a entregar-me o copo.

"Posso?" eu disse referindo-me se podia retirar o penso e ele assentiu olhando os meus olhos.

Coloquei levemente a ponta dos meus dedos na sua cintura e tentei puxar o penso o mais levemente possível para que não o magoar mas ele facilmente se descolou e eu pude olhar para a sua ferida. Coloquei um pouco de desinfetante em algodão e começei a passar levemente pelo longo corte. Coloquei mais um pouco noutro pedaço de algodão e voltei a fazer o mesmo e senti os olhos do Zayn em mim. Levantei lentamente a cabeça e encarei os seus olhos castanhos que me olhavam atentamente.

"Estou-te a aleijar?" eu perguntei e este passado alguns segundos pareceu acordar dos seus pensamentos e respondeu.

"Não não, continua" ele disse apressadamente e eu continuei a minha tarefa.

Coloquei agora alguma pomada sobre o meu dedo e passei levemente pelo corte e senti o Zayn a suspirar de dor.

"Desculpa" eu disse e logo assim que olhei para ele vi que ele estava com os olhos fechados fazendo uma força incontrolável para não gemer de dor.

"Não faz mal Emma, podes continuar" a sua voz saiu fraca e ele abriu os sues olhos calmamente para olhar os meus e eu olhei-o uma ultima vez como se para ter uma confirmação e continuei.

Voltei a colocar pomada no me dedo e passei levemente por toda a ferida. Repeti o processo algumas vezes até ficar completo e por fim coloquei um penso sobre toda a ferida.

"Já está. Já podes descansar" eu disse levantando e começando a arrumar as coisas e senti-o dar um suspiro de alívio por eu ter acabado.

Arrumei tudo o que tinha usado e coloquei isso e o tabuleiro com comida que ninguém tinha tocado em cima da comoda e sentei-me na cama de novo e o Zayn já estava deitado e tapado.

"Vais ficar ai acordada?" o Zayn perguntou virando-se para mim.

"Vou só ficar até adormeceres" eu disse e peguei no comando da televisão desligando-a.

"Emma tu precisas de descans-" o Zayn começou mas eu impedi-o antes que ele terminasse.

"Não insistas Zayn" eu disse encarando-o e este olhou os meus olhos mas acabou por não dizer nada.

Estiquei-me por cima dele para apagar ca luz do candeeiro do seu lado e depois apaguei o do meu lado acabando assim com a luz que avia no quarto dando lugar à pequena luz do luar que se fazia entrepassar pela janela iluminando o quarto.
Cruzei as minha pernas sobre a cama e quando voltei a olhar para o Zayn este já tinha os olhos fechados e o seu cabelo espelhado pela almofada.

Olhei pela janela daquele quarto e a lua fazia-se aparecer apenas por metade. E eu começei a pensar. A pensar em tudo o que tinha acontecido hoje. Eu não percebo porquê é que a minha vida têm de ser assim. Eu já fiquei sem mãe, eu já passei por tanto. E agora não tenho ninguém que me apoie, o meu irmão está a estudar fora, o meu pai, esse nunca está comigo. Eu estou sozinha. Sem família. Eu sei que tenho o a Kate e apesar de estar chateada com ele eu tenho o Niall e eu amo-os muito, mas a nossa família é sempre a nossa família.
 E só de pensar que hoje tudo podia ter voltado a acontecer. Aqueles homens podiam ter me apanhado, eu podia ter sido raptada e voltar a viver tudo o que vivi, e eu podia nem estar aqui. Se o Zayn não tivesse aparecido eu simplesmente podia não estar aqui. E só de pensar que como hoje, de um momento parra o outro a minha vida podia ter mudado e eu podia ter voltado a passar por tudo o que passei, a minha vida pode mudar a qualquer segundo, então porque é que não me matam logo de uma vez? Porquê isto? Qual é o gosto das pessoas a verem as outras a sofrer? A minha vida não passa disto. De um mar de inseguranças, onde o meu barco se vai afundando a cada dia que passa. Até não restar nada de mim.

Senti uma gota quente a passar lentamente pela minha cara e eu sentia-me fraca. Eu estava a chorar outra vez. Eu sou tão fraca, eu não consigo defender-me, eu não consigo ter forças, ter esperanças. Eu sou fraca.

Mais lagrimas começaram a escorrer e eles caiam silenciosamente. Mas cada uma delas acertava no meu coração como uma faca. E o nó na minha garganta e o aperto no meu coração pareciam matar-me. Tentei a todo o custo não soluçar, e respirei fundo tentando acalmar-me. Até que senti o Zayn mexer-se. Num ato rápido passei a minha mão pela minha cara limpando qualquer vestígio de lágrima. Voltei a olhar para o Zayn e este tinha os olhos abertos.

"Desculpa ter-te acordado" eu disse tentando disfarçar a minha voz mas por momentos penso que não devia ter dito nenhuma palavra pois a minha voz rouca e de choro foi notória.

"Emma estás bem?" a voz rouca do Zayn perguntou e este levantou-se sentando-o na cama olhando para mim.

"sim, claro que estou" eu disse tentando parecer convincente e desviei o meu olhar para baixo para que ele não repasse que eu tinha estado a chorar.

"Porque é que estás a chorar?" ele perguntou olhando para mim e eu subi a minha cabeça lentamente olhado para o lado contrário.

"Não é nada Zayn" eu disse não olhado para ele tentando ganhar forças para a minha voz sair como o normal e a minha respiração não ficar pesada.

"Emma..." ele chamou mas eu olhei para baixo. "Emma olha para mim" ele pediu e olhei para ele encarando os seus olhos castanhos com  a pouca luz que havia no quarto enquanto tentava a todo o custo que mais lágrimas não saíssem. "O que é que se passa?" ele voltou a perguntar como se pedisse para eu responder.

Eu tentei abrir a boca para falar mas acabei por a fechar de novo.  Desviei os meus olhos dos seus e olhei para a frente tentando falar.

"é que..." eu começei mas tive que fazer uma pausa tomando forças "eu não sei Zayn... Mas hoje, se tu não tivesses aparecido aqueles homens iam-me levar... e... só de pensar que eu poderia ter passado por tudo outra vez... num segundo a minha vida poia ter mudado tanto... se não fosses tu... eu tenho tanto medo..." eu disse a ultima parte quase como um sussurro e as lagrimas voltaram a descer pela minha cara eu sentia-me fraca outra vez.

"Emma" o Zayn chamou-me e senti a sua mão quente tocar na minha cara fazendo com que eu encara-se os seus olhos. "Não tens de ter medo Emma, eu estou aqui. Eu não vou deixar que nada de mal de aconteça, eu prometo."

O Zayn disse e com tão poucas palavras o meu coração encheu. Senti um calor enorme percorrer o meu estomago assim que ouvi as palavras roucas dele, e agora apenas os nossos olhos falavam. Dava-se um conversa ente verde e castanho e nenhum de nós parecia querer acabar o momento.

Senti o Zayn a aproximar a sua cabeça lentamente enquanto o nosso olhar estava unido. Ele começou-se a aproximar cada vez mais de mim e um nervosinho começou a crescer dentro de mim quando ele colou as nossas testas. Os seus olhos olhavam os meus como se pedissem permissão para avançar e os meus apenas diziam para ele continuar. Nenhum de nós se parecia mexer mas as nossas respirações estavam cada vez mais juntas e os nossos lábios a perigosos milímetros de distância. Ambos estávamos de novo congelados como se ambo estivéssemos com medo. O Zayn desviou o seu olhar para os mês lábios mas depois voltou a subir olhando os meus olhos, e ai ele começou a aproximar-se mais de mim até colar os nossos lábios por completo.

O meu coração palpitava com uma força incrível e eu sentia borboletas no estomago como se fosse a minha primeira vez. Ele começou a movimentar os seus lábios lentamente e eu acompanhei-o dando assim origem a uma dança perfeita. Senti algo molhado a tocar no meu lábio inferior como um pedido dele. Dei permissão e a sua língua entrou na minha boca e os dois começamos uma guerra explorando cada bocado de cada um de nós. Como se ambos estivéssemos esperado por isto acontecer.

Ambos nos separamos para poder ganhar folgo novamente e os nossos olhares encaixavam-se enquanto as nossas testas estavam juntas, e esta foi a minha vez. Avancei para ele e agora fui eu a começar. Vi que o apanhei desprevenido mas ele depressa reagiu e uma nova batalha começou. Lentamente senti algo a tocar nas minhas costas levemente. O Zayn passou a mão nas minhas costas como se a medo e por fim poisou-a na minha cintura. Todo o meu corpo aqueceu com o seu toque que parecia mágico. Subi lentamente a minha mão e coloquei-a no seu pescoço puxando-o mais para mim.

Ambos começamos a ficar sem folgo e separamo-nos lentamente. E era como não tivesse acontecido nada hoje, como se tudo se tivesse apagado nem que fosse por breves momentos. As nossas testas continuavam coladas e as nossas respirações estavam ofegantes enquanto os seus olhos olhavam os meus.

"Fica aqui" a voz rouca do Zayn sussurrou e o meu coração encheu por completo com as suas palavras.

Ambos nos deitamos olhando os olhos um do outro e eu só queria que aquele momento não acaba-se. Que a minha vida não tivesse problemas. E na verdade só não quero acordar amanha e quero ficar com este Zayn para sempre. Porque sei que amanha o verdadeiro vai voltar.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

olaaaaa =) bem meninas aqui está mais um capitulo... ^^ bem, apesar de todas terem pedido para este momento a contecer eu já tinha escrito e tarammmm aqui estáaaaa!! awwww e o Zayn até é querido *-* não sei se isto vai durar muito mas ele é fofo não acham? aahahhahaha
Bem, não sei quando vou publicar mas vou tentar antes do fim de semana, acho que quinta ou sexta ponho :D
E como sempre quero agradecer-vos a todas porque têm sido espataculares e o numuro de leitaroas e votos crecse de dia para dia o que me põe mesmo muito feliz e nada disto aconteceria sem vocês <3 por isso um muitoooo obrigada <3
E bem, eu vou tentar mas nao sei se dá para dedicar o capitulo a duas pessoas mas se não der
eu faço uma deedicação aqui. Quero dedicar este capitulo à alexandradobrev e à LeMalik_Crazy1D  porque ambas me pediram e como são ambas uma queridas e fantásticaas eu decidi dedica-lo ás duas por isso um muito obrigada e um beijinho muito especial a elas as duas!  <3
E prontos é tudo Votem / comentem / e já sabem que dedico <3 Beijos Ly <3


Fire || Z.MLeia esta história GRATUITAMENTE!