No capitulo anterior... (vou apenas referir algumas frases para se lembrarem da historia visto que não ponho à 3 semanas... ♥  )

"O que é que vais crer?
 
"Pode ser caramelo, e... baunilha" 

"Costumas vir aqui muitas vezes?"

"Eu já cheguei a trabalhar lá"

"Com 15 anos? Tão novo?"

"A minha vida não têm nada que valha a pena saberes"

"Oh meu deus! não é lindo Zayn?"

"Tu definitivamente não podes levar esse!"

"Zayn!"

"Não é nada que eu já não tenha visto..."

"Zayn tu tens que sair..."

..........................................................................................................................................................

Os seus lábios rasparam mais uma vez nos meus mas ele não os encostava por completo. Como se o Zayn estivesse a fazer de prepósito para que fosse eu a beija-lo. Como se ele me quisesse provar que era eu que queria aquilo. Porque se for eu a beija-lo ele sabe que no fim eu não posso 'ralhar' com ele.

Assim como se for ele, eu não tenho medo que no fim ele me atire à cara que fui eu que o beijei.

Ele afastou-se ligeiros milímetros de mim de forma a encarar os meus olhos e deu-me um sorriso torto.

Era aquilo que ele queria. Ele quer jogar. Então vamos jogar. Vamos ver quem vai ser o primeiro a resistir. Vamos ver quem vai ser o primeiro a ceder. Sei que é uma loucura, nós estamos dentro de um provador, e nem sei bem o porquê de estarmos a fazer isto, mas eu alinho. 

 Um ligeiro sorriso malicioso cresceu nos meus lábios quase de forma instintiva e o Zayn passou a língua pelos lábios assim que percebeu que eu tinha percebido o sinal e que alinhava.

Que comece.

O Zayn voltou a aproximar-se de mim parando a milímetros dos meus lábios. Vi os dele mexerem-se lentamente e este aproximou-se ainda mais de mim dando-me uma leve trinca no lábio inferior puxando levemente para si. E assim que ele se voltou a afastar um sorriso fraco apareceu nos meus lábios.

Vais ter que fazer mais do que isso para eu ceder. O meu subconsciente falou e eu mentalizei-me que por mais que quisesse, eu não iria perder assim tão facilmente.

As suas mãos largaram finalmente os meus pulsos, deixando as minhas mãos apenas descansarem sobre o seu peito. Uma delas logo se dirigiu para a minha cintura e senti a sua outra mão dirigir-se para o meu pescoço. 

Os seus dedos tocaram de leve no meu pescoço fazendo-me arrepiar imediatamente. De forma lenta e suave ele acabou por afastar o meu cabelo e logo a sua boca se dirigiu lá. Os seus lábios húmidos tocaram no meu pescoço fazendo todo o meu corpo estremecer. Leves beijos eram deixados no meu pescoço e eu tentava ao máximo que sons involuntários não saíssem da minha boca, mas á medida que as investidas delas eram cada vez mais intensas eu sentia que não iria aguentar muito mais.

Ele continuava enquanto ambas as suas mãos agarravam a minha cintura fazendo os nossos corpos estarem colados. Os seus lábios dirigiram-se para o meu maxilar depositando lá um beijo demorado fazendo o meu coração palpitar fortemente e a minha respiração apressar. A sua boca voltou a fixar-se agora mesmo no centro do meu pescoço e desta vez os seus lábios não tiveram o mesmo rumo. Senti a minha pele a ser puxada contra a sua boca com força deixando uma leve dor atingir aquela zona que logo era aniquilada pelo efeito que aquilo estava a fazer em mim.

Fire || Z.MLeia esta história GRATUITAMENTE!