P.O.V Zayn 

"Louis, Zayn ainda bem que chegaram. Sentem-se" a voz soa a ironia e despedro assim que eu e o Louis entramos


Avanço até a mesa colocada no meio do escritório do Stefan e sento-me em conjunto com o Louis que fica à minha direita. E nenhum de nós diz nada.

Olho em volta, este escritório mete-me nojo só de pensar quantas gajas é que o Stefan já fudeu em cima desta mesa, mas este sentimento só aumenta quando os meus olhos encaram o Dave que me sorri ironicamente.

Eu, Louis, Dave e o Stefan, só nos falta mais um para esta sala ficar completa.

"Vais começar?" a minha voz faz o sitio estremecer e logo sinto um olhar de aviso de Louis

Eu não quero saber se devia falar bem para o Stefan foda-se, eu deixei a Emma sozinha para estar aqui, para ouvir coisas que já sei mas que tenho que fingir que não faço ideia.

"Estamos com pressa?" o Stefan pergunta encostando-se a uma das paredes cobertas de posters de gajas e carros cruzando os braços em frente ao peito

"Ficas-te a meio de uma foda foi?" a voz do Dave quebra ainda mais a tenção da sala

Controla-te Zayn. Controla-te. Ter o Dave e o Stefan no mesmo sitio não é fácil, mas tu consegues.

1, 2, 3, 4-

"Bem mas já que temos aqui pessoas tão ansiosas eu vou começar o que tenho para dizer" a voz do Stefan faz-se ouvir interrompendo a minha contagem mental para me acalmar

"A partir de agora as coisas vão mudar por aqui, eu já falei com o Dave, mas antes de falar com os outros trabalhadores tinha que fazer um comunicado a vocês os dois" ele continua afastando-se da parede desviando o olhar entre mim e o Louis

"Para grande novidade de todos, e para grande felicidade minha, o meu irmão vai voltar" ele apoia os braços na mesa terminando a frase com um sorriso irónico

Há espera, é suposto fazer-me de surpreendido.

"O teu irmão voltou?" refaço a pergunta pondo a minha melhor cara de surpreendido

É obvio que eu já sabia, alias foi essa noticia que o Louis me deu quando me ligou hoje, antes que eu ter ido buscar a Emma.

Por falar nela, ela deve estar fudida comigo.

"Sim ele voltou para ficar" ele reforça encarando-me

"Quando é que ele chegou?" a voz do Louis soa ao meu lado quando também consigo ver nele a sua maior cara de surpreendido

Estamos a ficar uns grandes atores, muito bem Mr. Tomlinson.

"Chegou hoje, aliás deve estar a chegar ai agora" o Stefan fala enquanto desvia a atenção para o relógio.

Foda-se.

Não me basta o Dave e o Stefan agora também têm que vir ai o irmãozinho dele.

"Ele deve estar mesmo a chegar, vamos só esperar para depois começar-mos" ele diz encostando-se de novo à parede e ambos permanecemos calados

O ambiente é tenso, intenso e de sagrável entre os 4, mas nenhum se parece importar com isso.

Retiro o meu telemóvel das calças para ver se tenho algum telefonema mas nada.

Na verdade eu apenas queria ver se a Emma me tinha ligado.

Ela deve estar tão fudida comigo. Mas eu não lhe podia contar que vinha ter com o Stefan e com o Dave.

Eu não sei mesmo o que é que eu lhe vou dizer quando ela me pedir justificações amanhã.

Eu posso tentar escapar-me mas ela vai começar com as perguntas dela, e vai começar a gritar comigo daquela maneira que me põe duro como o caralho.

E o problema é que eu sou um merdas, e vou começar a gritar com ela, vou dizer coisas para a magoar, vou dizer-lhe que ela não têm nada a ver com a minha vida, e vou faze-la sentir como lixo. Não é minha intensão magoa-la eu odeio os ataques de consciência que tenho sempre que discuto com ela, mas digamos que ela não é uma rapariga fácil e ela agora mais que nunca puxa por mim nas discussões como não fazia no inicio.

No inico eu não me importava mandava-lhe dois gritos e ela calava-se. Agora não, agora eu não consigo mandar dois gritos e cala-la. Agora eu não consigo não me importar.

E isso irrita-me para caralho.

Isso e o facto da minha atividade sexual andar mais parada que nunca, eu pareço um frustrado, eu saio com o Louis eu vejo gajas podre de boas todos os dias mas vejo-me a compara-las à Emm a toda a hora, parecem todas tão irritantes, sempre que dizem piadas e me tentam fazer rir, sempre que tentam desenvolver uma conversa comigo, são todas tão desinteressantes, todas tão iguais umas às outras.

O meu cérbero parece estar a alucinar quando vejo uma loira entrar pela porta trazendo um monte cervejas.

Ela é boa, à uns tempos atrás e se não tivesse sempre a Emma a pairar-me pela cabeça era capaz de a foder. Mas hoje só quero ir para casa, deitar-me na minha cama com ela, vê-la acordar, e pensar na merda de uma desculpa para lhe dar amanhã.

Um toque rígido na porta faz-me desviar as atenções e vejo o olhar de todos, até da loira, posto na porta

"Posso?" uma voz grave e rouca que eu já não ouvia à imenso tempo causa me arrepios

Fire || Z.MLeia esta história GRATUITAMENTE!