A escuridão continuava. Eram poucos os raios de sol que passavam através das cortinas que tapavam as janelas.

Dever ser muito cedo ainda.                                      

Os meus olhos abriram-se completamente e antes de qualquer movimento pude ver que o meu despertador marcava as 8:30.

Uma dor aguda atingiu o meu estomago e a fome atacou-me por ter acabado por não jantar ontem. Assim que a palavra ontem atingiu o meu cérbero, milhares de momentos dessa noite encheram todos os meus pensamentos.

Senti um braço sobre a minha barriga nua apertando-me fortemente fazendo as minhas costas estarem completamente coladas ao peito nu do rapaz ao meu lado. Todo o meu corpo estremeceu assim que mais recordações iam chegando ao meu cérbero e um sorriso instantâneo apareceu nos meus lábios.

Mexi-me lentamente tentando não acordar o Zayn e virei-me ficando frente a frente com ele podendo observa-lo. Os seus olhos estavam fechados de forma suave, as suas pestanas unidas numa linha poisando sobre o topo das suas bochechas. Os seus lábios rosados estavam separados por milímetros e a sua respiração era calma acompanhado o seu peito que subia e descia lentamente. Poderia ficar assim para sempre. Apenas ali encostada a ele, a observa-lo. A sua expressão transmitia calma, paz, e a mim transmitia-me muita segurança.

O seu braço continuava poisado sobre o meu corpo chamando a minha atenção novamente a todas as suas tatuagens. Os desenhos negros cobriam quase toda a sua pele morena. Havia apenas umas letras amarelas contrastando com todo o preto restante. Os meus pensamentos logo pararam sobre essa tatuagem e fiquei a observa-la por momentos.

'Zap!'

Era essa a palavra que estava escrita a amarelo no seu braço chamando a atenção. Zap... o que seria Zap? E porque estaria a uma cor diferente de todas as outras?

O 'Z' poderia ser de Zayn, e o 'a' e o 'p' de outros nomes. Ou Zap poderia mesmo ser um nome, ou talvez uma alcunha. Talvez Zap seja a alcunha do Zayn?

Milhares de perguntas surgiram logo na minha cabeça mas foram desviadas por outro desenho que me chamou a atenção.

A chama que o Zayn tinha no braço. Ele tinha-me dito que era a que menos gostava, e que tinha sido ele a desenha-la. Ela era linda, simplesmente. Porque seria a que ele menos gosta? Porquê uma chama? Talvez por ter sido ele a desenha-la? Não isso não faz sentido. O Zayn disse-me que aquela tatuagem significava um erro. Um simples erro que ele aprendeu a aceitar. Mas porquê uma chama? E que erro?

Os meus pensamentos foram cortados assim que senti o Zayn mexer-se mas ele apenas continuou a dormir.

A fome voltou a atacar-me e eu decidi que tinha que ir comer. Voltei a mexer-me o mais lentamente possível tentando não acordar o Zayn e finalmente consegui sair da cama sem o ter acordado.

O meu corpo imediatamente foi atingido pelo frio do quarto devido a eu estar apenas de sutiã e cuecas o que me fez procurar rapidamente alguma coisa para vestir.

A camisola do Zayn caída no chão logo me chamou a atenção mas pensei duas vezes antes de lhe agarrar, mas antes que pudesse pensar uma outra vez, já a tinha nas mãos. Quase por instinto aproximei-a de mim e pude sentir o cheiro da camisola. Era um cheiro tão único, era inexplicável cheirava completamente a ele, e o quão bom aquilo era.

Eu de facto queria vesti-la... mas tenho medo que o Zayn não goste. Tenho medo que ele acorde hoje e ignore tudo o que aconteceu. Tenho medo que ele me diga que foi um erro e que apenas me usou e que não vai voltar nunca a acontecer. Tenho tanto medo de como ele possa reagir.

Fire || Z.MLeia esta história GRATUITAMENTE!