"Já chegamos" a voz dele faz o meu corpo estremecer

Olho pela janela e vejo um enorme edifício iluminado pelos candeeiros da rua.

"Espera" agarro no seu braço assim que ele está prestes a abrir a porta

O seu corpo vira-se para mim e ele encara-me olho nos olhos.

Sinto o meu estomago revirar-se novamente e não consigo falar. Aliás nem sei o que lhe queria dizer ao certo.

"O que é que se passa?" o seu olhar torna-se mais intenso desta vez

Ele está como medo que eu não vá. Mas quem está com medo aqui sou eu.

"Zayn... E se a tua família não gostar de mim? E se eles acharem que eu não sou suficiente para ti e não aceitar-" sinto-me como uma pequena criança

"Emma" a sua voz interrompe-me e ele emoldura a minha cara com as suas mãos

"Tu és a melhor pessoa que eu já conheci, se tu fores quem tu és comigo com eles é impossível eles não gostarem de ti" a sua voz enche-me o coração

Ainda não estou habituada a que ele me faça elogios. Acho que nunca vou estar.

Ele faz parecer tudo tão simples.

"Não precisas de ficar nervosa, vai correr tudo bem" os olhos dele brilham

Por mais nervosa que eu estivesse ele está tão feliz que eu nunca teria coragem para desfazer isso.

"Okay vamos lá" abano as mãos como se libertando o nervosismo e ele ri

Um sorriso que é capaz de fazer o meu dia. Os seus lábios colidem com os meus de uma maneira amorosa e ele beija-me levemente.

"Zayn!" ralho assim que nos separo

Estico o braço e baixo imediatamente o espelho direcionando para a minha boca.

"Foda-se" ele faz o mesmo e assim que olho para ele uma gargalha sai pelos meus lábios quando vejo uma pequena marca avermelha nos seus lábios

"Tu ficas boa para caralho com isso, mas foda-se Emma" ele ralha passando os dedos pela boca e eu gargalho

Passo o meu dedo indicador pelo meu lábio superior ajeitando o meu batom e volto a fechar o espelho vendo o Zayn atrapalhado.

"Ai Zayn" puxo a cara dele para as minhas mãos e passo os dedos pelos seus lábios.

Os seus lábios ganham um sorriso torto e ele encara-me observando os meus movimentos.

"Prontinho" afasto-me dele e ele continua parado por uns segundos

"Essa saia está tão a provocar-me Emma" a voz dele é perigosa e vejo o seu olhar baixar para as minhas pernas

As minhas bochechas ganham alguma cor com a voz quente dele.

"Eu não me vou esquecer daquilo que me fizeste de tarde" ele ameaça

"Tu estavas a pedi-las Zayn, tu tens a mania de seduzir-me sempre que discutimos" atiro

"Tu és muito refilona às vezes" ele coloca o telemóvel no bolso e vejo que se prepara para sair

O seu corpo sai para fora do carro e a sua voz fica solta no ar.

Vejo-o a caminhar pela parte da frente ajeitando o seu casaco no seu corpo até abrir a minha porta.

Ele estica a mão na minha direção e eu aceito-a estremecendo quando a sua boca fica no meu ouvido.

"Por vezes é a única maneira de manter essa boquinha linda fechada" ele deixa o som da porta a fechar ser o ponto final na sua frase

A sua mão está no fundo da minha cintura e esta é uma das únicas vezes que não me sinto intimidada pela sua altura enquanto caminhamos.

Mesmo que ele continue mais alto que eu sinto-me um tanto que mais poderosa, apesar de mais desprotegida.

Ambos andamos lado a lado pela rua e consigo ver algumas pessoas a dirigirem-se para o mesmo sitio que nós.

Olho em volta e à imensos carros aqui estacionados.

Sinto o meu estomago estremecer assim que nos começamos a aproximar do edifício e não consigo perceber o motivo deste enorme nervosismo.

Fire || Z.MLeia esta história GRATUITAMENTE!