71° Capitulo

15.4K 1.1K 446

P.O.V Zayn 

"Talvez seja melhor-"

"Como é que foste capaz?" falo por cima da sua voz e ela cala-se

Levanto o meu corpo da cama e tento ignorar a todo o custo a insuportável dor de cabeça que tenho.

"Capaz de quê?" ela parece surpreendida e não consigo evitar uma gargalhada seca

"Foste-te a correr para o Harry à primeira oportunidade" aproximo-me dela e vejo o seu olhar de frustração.

Os dois cristais verdes nos seus olhos rolam e foda-se como tenho vontade de gritar com ela cada vez que o faz.

"Zayn nós já falamos tudo o que tínhamos a falar sobre esse assunto, acredita no que quiseres" ela soa indiferente e tenta sair do quarto

"Eu estou a falar contigo" agarro-lhe no braço parando-a com mais força do que pretendo e vejo-a estremecer

Merda, ela está com medo de mim.

"Zayn larga-me!" ela grita

"Fala baixo!" os meus olhos encaram-na

"Eu estou me a borrifar para a merda da tua ressaca! Eu estou farta! Tu estás a ficar doentio! Eu pensava que me conhecias minimamente, achas que eu ia ter alguma coisa com ele em 3 dias? Sabes o quão ridículo estás a ser? Nós estávamos bem antes de tu ires para a merda da tua viajem, eu estive aqui esses dias preocupada contigo e tu achas que eu fui me enrrolar com o Harry? Zayn tu estás a ficar com um problema" a voz dela é como uma faca na minha cabeça, e mais que uma faca na minha cabeça é uma faca no meu coração

Eu não posso.

Ela não percebe que eu não lhe posso dizer.

Eu não lhe posso dizer que o Harry é filho do homem que matou a mãe dela.

Eu não lhe posso dizer que ele apenas está aqui para acabar com a vida do pai dela.

Foda-se eu não posso!

Porque por mais que eu queira eu não posso!

O Harry têm que continuar a pensar que eu estou do lado deles.

O Robert nunca me perdoaria se eu contasse tudo à Emma.

E a Emma também nunca me perdoaria se soubesse tudo.

Eu já dei muitos passos em falso por ela. Não posso dar mais para o bem dela.

Ela. Ela. Ela.

"Espera por mim lá em baixo" solto o seu braço e vejo o seu olhar confuso

Ela estava à espera que eu gritasse com ela.

"Não me vais responder?" ela não se contém

"Tu tens razão, eu não passo da merda de um filho da puta que se preocupa contigo. Tu és livre podes muito bem fazer o que queres. Agora sai" a minha voz é mais fria do que pretendo e consigo sentir a expressão surpreendida dela.

Os nossos olhos estão colados da forma mais intensa que pode existir, vejo dor, frustração, desilusão e paixão.

Uma paixão viciante possessiva e doentia. Uma paixão que não é saudável mas inevitável.

E eu pudesse parar a merda do do mundo em algum segundo eu pararia-o agora.

Mas será isso humanamente possível?

Perco as esperanças assim que os olhos dela fogem dos meus.

Ela limita se a afastar a porta e a sair por ela deixando a bater com força e eu sei que ela o fez de propósito assim que sinto um murro na minha cabeça.

Fire || Z.MLeia esta história GRATUITAMENTE!