"Não me lembres disso por favor" agarro em mais algumas roupas e oiço-o gargalhar

"E lembras-te daquela vez, na loja de batidos?" a sua voz rouca e alegre é capaz de encher todo este espaço

"Não Harry para!" agarro numa das almofadas da cama do meu irmão e mando-lhe

"Au" ele queixa-se enquanto ri

"Não me lembres disso!" ele volta a gargalhar

Ontem depois da minha conversa e do Harry apenas jantamos e eu obriguei-o a ir dormir. Agora estamos ambos no quarto do meu irmão. Ele está deitado enquanto eu penduro algumas das suas roupas no roupeiro.

Estamos a recordar algumas memorias antigas.

"Para de arrumar isso e senta-te aqui" ele pede

"Não Harry, fica ai quieto que eu trato disto" oiço o barulho do colchão contra a cama e assim que olho para trás vejo-o levantar-se

"O que é que pensas que estás a fazer?" ralho e poiso os cabides

"Ajudar-te" ele é obvio

"Nem penses. Fica quieto tu ainda não estás bom" ando até ele e tento que se sente

"Emma eu estou ótimo" ele agarra meigamente em ambos os meus pulsos deixando me incapaz de fazer qualquer esforço para que ele se volte a sentar

"Harry tu-"

"Posso?" a voz da Marihana interrompe-me

"Entre" falo para os olhos meigos que espreitam por entre a porta e o Harry afasta-se de mim

"Têm uma pessoa ao telefone" ela levanta o aparelho na sua mão

"Uma pessoa?" ando até ela

"Sim. Mas acho que ele vai querer falar com a menina em privado" o olhar de Marihana cai no Harry

"Ha.. sim claro" saio do quarto atrás dela

O que é que lhe deu?

"Passa-se alguma coisa Marihana?" pergunto fechando a porta atrás de mim seguindo-a no corredor

"Não menina. Tome" ela entrega-me o telefone para as mãos

Deus o que é que se passa com ela?

"Estou?" pergunto colando o telefone à minha orelha

"Emma" a minha respiração para

Sinto o meu coração apertar e a minha voz fraqueja.

"Zayn" murmuro

"Como é que estás?" entro no meu quarto

"Melhor agora e tu? sorrio involuntariamente

"Também" sento-me na minha cama

"Estava preocupado contigo" ele solta uma respiração

"Ai sim?" sinto as minhas mãos tremer

Eu devia-lhe contar.

"Liguei-te para o telemóvel e não atendes-te" devo ter deixado o telemóvel neste quarto

"Desculpa Zayn não foi de propósito"

"Não faz mal" ele interrompe-me

"Ai não?" uma das minhas sobrancelhas sobe

"Devias estar a ralhar comigo" brinco e deixo-me cair para trás fazendo o meu corpo pular no colchão

"Logo à noite eu ralho contigo" o meu estomago contorce-se e consigo imaginar o sorriso malicioso que os seus lábios ganharam

"Voltas logo à noite?" pergunto

Fire || Z.MLeia esta história GRATUITAMENTE!