"Harry?" murmuro e reparo nas malas que ele segurava entre os nós dos dedos feridos. 

"O que é que te aconteceu?" puxo-o para dentro de casa e ele cai para o sofá

"Oh meu deus Harry" murmuro e ele geme levando as mão a anca

"Mariana!" grito e olho novamente para o Harry

Os seus olhos verdes estão escondidos pelas suas pálpebras fechadas com imensa força e consigo sentir a sua respiração forçada.

"Oh meu deus!" Mariana apresasse numa corrida lenta e leva as mãos à boca assim que olha para o corpo no sofá 

"Traga-me a bolsa dos primeiros socorros por favor" peço e Marihana logo assente andando apressadamente até as escadas

"Harry o que é que se passou?" passo a minha mão pela sua testa desviando alguns cachos 

"Desculpa ter vindo aqui" ele murmura entre dentes

"Não tens que pedir desculpa Harry. É melhor levarmos-te ao hospita-"

"Não!" a sua voz corta-me e ele começa a tossir

"Têm calma vai ficar tudo bem" murmuro e ele volta a tentar controlar a respiração

"Está aqui menina!" a voz de Mariana soa ao meu lado e imediatamente pego na mala branca que esta trás consigo.

"Precisa de ajuda?" 

"Não não obrigada, prepare apenas alguma coisa para o Harry comer e tente arranjar os comprimidos para as dores" ela assente e desaparece para a cozinha

Abro a mala apressadamente e retiro de lá algodão e um ensopo-o com agua para limpar e desinfetar.

Os meus dedos agarram no queixo do Harry e pressiono o algodão levemente contra o corte no seu lábio cuidadosamente. As duas pérolas verdes abrem-se imediatamente e pergunto-me se ele está a olhar tão fixamente para mim por estar a aleija-lo.

"Estou a aleijar-te?" pergunto

"Não não" ele fala imediatamente

Troco de algodão e volto a ensopa-lo desta vez passando no corte que descobri na sua testa.

Deus quem é que lhe fez isto.

"Tens mais alguma ferida?" pergunto e ele encolhe os ombros

Fixo-me na sua mão pressionada contra a sua anca e tento afasta-la levemente. Levanto um pouco da sua t-shirt e um enorme hematoma roxo e uma grande esfoladela estão presentes. 

"Harry nós devíamos ir ao hospital, tu podes ter alguma coisa partida" subo a minha cabeça e vejo-o de olhos fechados

"Não Emma por favor hospital não" consigo sentir o pânico na sua voz

Um suspiro pesado sai da minha boca e desta vez agarro em algodão com betadine. Volto a agarrar no seu queixo e assim que toco com o algodão no seu lábio ele geme.

"Au" ele queixa-se

"Desculpa" 

Volto a fazer o mesmo e ele encolhe-se

"Isso arde" ele volta a queixar-se

"Harry! Não sejas maricas" a minha voz acaba num riso e ele gargalha

Já não ouvia esta gargalhada à imenso tempo.

Um sorriso continua na sua boca e posso ver que as antigas covinhas nas suas bochechas.

Fire || Z.MLeia esta história GRATUITAMENTE!