Capítulo 86

405 36 0
                                    

Vanessa Aguiar

Entrego a água para a Carol e me sento ao lado dela no banco de espera do embarque, ao mesmo tempo que estou feliz por que ela está feliz indo embora, estou triste porque nós vamos ficar longe novamente, mas acho que isso faz parte de vida, mas pelo menos ela ficou aqui quase dois meses.

Conseguimos resolver tudo sobre as empresas, as casas, e como nenhuma de nós quis ficar com a casa onde morávamos, ela vai ser vendida e o dinheiro dividido. Sobre dinheiro é outra coisa que não posso reclamar, ficamos muito, muito bem, o que não é surpresa, visto o tamanho do patrimônio da família.

E eu realmente começo administração em breve, vou ficar à frente dos negócios da família, a Carol tem outros planos e sonhos. O importante é que nós duas estamos felizes em como as coisas ficaram.

E não tivemos mais nenhum problema relacionado a Eliza, o que é um alívio.

— Eu ainda acho que você poderia ficar aqui mais um ano — Eu comento e bebo um pouco da minha água — Dois.

— Eu quero retomar a minha vida, você fala assim porque a sua já está completamente no eixo — Ela fala rindo e eu dou de ombros.

— Eu não tenho culpa se sou uma pessoa organizada — Eu brinco e rio quando ela me olha indignada — Tô só brincando, mal humorada.

— Mas sério, estou feliz que tudo correu bem, esses últimos meses foram bons, sinto como se minha energia tivesse voltado a fluir normalmente — Ela fala e eu concordo com um aceno. — Agora só falta eu o Patrick ficarmos tão bem quanto você e o Murilo.

— Isso é impossível, porque nós somos o casal mais perfeito e unido de todo o mundo, nada se compara ao nosso amor, acho que vou escrever um livro falando sobre a minha história com ele — Eu falo e ela ri alto — Carol, eu estou falando sério!

— Por favor, Vanessa, nos poupe disso — ela ri e eu faço bico — Tô brincando, eu só não vou ler, mas eu apoio.

— Agora não quero mais — Falo empinando o queixo e depois eu rio.

— Passou?

— Passou, nada estraga o meu humor hoje, porque meu apartamento ficou pronto — Eu falo animada — Depois te mando foto de como ele é lindo e perfeito.

— Eu quero mesmo hein — Ela responde e eu sorrio.

— As coisas estão fluindo bem, eu gosto disso — Comento e ela me abraça de lado — e eu vou sentir muita a sua falta.

— Você sabe que sempre pode ir me visitar, a qualquer momento — Ela relembra e eu sorrio.

— Claro que em algum momento eu vou, você não pode mais sumir do mapa — Eu aviso séria e ela ri.

— Isso nunca mais, eu espero — Ela responde.

Nós duas suspiramos em um silêncio confortável. Eu amo muito a minha irmã, e me sinto muito bem ao lado dela, gosto como a gente se ama e se cuida, sem projetar os traumas uma na outra. Passamos pelo inferno juntas e vencemos tudo.

Ouvimos o aviso de embarque do voo dela e eu suspiro, porque eu realmente vou sentir muita saudades dela.

— É hora de dar tchau — Eu tento falar divertida, imitando um programa infantil, mas minha voz embargada demonstra o quanto eu vou chorar enquanto ela vai embora.

— É temporário e eu também vou sentir muita sua falta — Ela fala e me abraça quando ficamos de pé — Se cuida direitinho e qualquer coisa é só me ligar.

— Eu digo o mesmo — Respondo e limpo os olhos quando nos afastamos — Boa viagem.

— Obrigada e se cuida — Ela responde e me abraça mais uma vez — Eu te amo, maninha.

Anatomia do Caos - MorroOnde histórias criam vida. Descubra agora