Capítulo 18

3.3K 328 20
                                    

Murilo Cardoso (Elfo)

Tem dois dias que a minha mente está completamente dividida, e eu preciso resolver isso logo ou vou acabar enlouquecendo. Vanessa é a droga de um furacão, mas eu vou ter que pará-la, e vou ter que ter respostas para os meus questionamentos. Talvez eu esteja ficando louco e não seja nada do que eu estou pensando, talvez.

Pego o meu celular e mando uma mensagem para o Gota vir aqui na minha casa, quero os dados da Vanessa, já faz dias que eu mandei que me trouxesse isso e até hoje nada, mas depois do que eu vi naquela madrugada, se eu passar mais um dia refletindo sobre isso, acho que eu enlouqueço.

Sento no meu sofá e tiro o meu celular do bolso, enquanto espero, verifico minhas mensagens, ser o chefe às vezes é só dor de cabeça, muita coisa para resolver, muito problema para lidar, mas ao menos a compensação financeira é boa, muito boa, e não nego que eu gosto do poder que tenho.

— Cheguei! — Gota anuncia entrando na minha casa — Falei com nosso contato a caminho daqui, ela disse que já já vai me mandar respostas do que eu pedi sobre a Vanessa, mas o que te fez ficar tão apressado sobre isso?

— Eu estive com a Vanessa naquela noite da festa, e a deixei em casa, mas eu tenho quase certeza que aquele endereço é a casa de um policial federal — Eu falo e ele me olha surpreso.

— Como assim? E como sabe disso? — Ele pergunta sério, mudando a postura enquanto me encara.

— Ele não é qualquer delegado, é o filho da puta do Aguiar — digo irritado e ele me olha ainda mais surpreso.

— Porra! Que caralho! — ele exclama passando a mão no cabelo — O que vai fazer?

— Primeiro eu quero saber se é realmente ou se eu estou confundindo — falo respirando fundo — Mas se for, explica como ela é boa com arma e tem aquele reflexo, ele deve ter ensinado para ela.

— Mas deve ser coincidência, mano, a mina não deve saber nada sobre quem o pai dela — Ele diz e eu olho para ele arqueando a sobrancelha — É óbvio que ela deve saber que ele é policial, mas não é sobre isso.

— Então, sobre o que você está falando? — Pergunto intrigado.

— O velho é um filha da puta corrupto — Ele constata e eu aceno, porque eu sei que o Aguiar é — Mas ela não deve saber que ele é envolvido com tráfico, se ela soubesse, acha que ela pisaria aqui? Na terra do inimigo?

— Pensando por esse lado você tem razão, mas ainda assim, vou ter uma conversinha com ela — Falo, tem um sentimento ruim me incomodando, e quanto mais penso sobre isso, mais esse sentimento me incomoda.

— O que você vai fazer com ela? — Ele pergunta em um tom receoso, o que me faz rir soprado.

— Preocupado com a patricinha? — Pergunto debochado e ele nega com a cabeça — Se ela for realmente filha de policial, já pensou na possibilidade da sua loirinha também ser?

— A Laura não tem malícia o suficiente para estar envolvida em qualquer que seja o esquema da polícia, tenho certeza que a minha loirinha não sabe o b.o que seria pisar aqui se fosse inimiga — Ele diz convicto.

— Você está realmente gostando dessa garota, Gota? — Pergunto arqueando a sobrancelha.

— Estou, não vou mentir, não — Ele assume e eu fico surpreso pela resposta positiva e surpreso por ele assumir tão rápido e fácil — Ela é linda, inteligente e legal, e fode bem para caramba, espero que seja um equívoco.

— eu acho que eu também gostaria que fosse — Falo pensativo.

Mas eu sei que não estou errado, só estou tentando negar porque eu queria que ela não fosse filha daquele desgraçado. Esse delegado de merda já fodeu com muito carregamento meu, já prendeu muitos do meu pessoal e o sonho dele é ter a minha cabeça numa bandeja. E por isso que ele está marcado, e vai ser uma merda se ela for filha dele, como vou falar para a mina que eu mandei matar o pai dela? Caralho, por que eu estou preocupado?

Respiro fundo, vou dar um jeito de resolver isso depois de qualquer resposta da nossa informante na policia, mas pensando agora, quase chego a sorrir, eu quase transei com a filha do cara que quer me matar, acho que eu não me importaria de jogar na cara dele como foi bom aproveitar do corpo da filhinha dele.

— O dossiê chegou aqui — O Gota anuncia e foca no celular, lendo com atenção — Porra!

— Eu estava certo? — Pergunto quase nervoso — Me encaminha essa merda!

— To encaminhando — Ele responde rápido e me olha — Mas o nome dela é Vanessa aguiar.

— Porra! — Exclamo, se antes eu tinha dúvidas, agora não tenho mais nenhuma, ela é filha dele.

— Vanessa Aguiar, dezenove anos, estudante de cursinho, filha de Roberto Aguiar, delegado Federal e Eliza Aguiar, dona de uma rede loja de luxo... humm... tem sobre a Laura aqui — Ele diz nervoso.

— E o que fala dela? — Pergunto curioso, quero ver se a minha teoria está certa.

— Ela não é filha de policial — Ele diz e eu percebo que estava errado — Ela é filha de uma juíza.

— Que cacete, ela te escondeu isso? — Pergunto e ele acena — Eu acho que ela sabia que era problema.

— É uma merda essa situação, porque eu realmente to gostando dela — Ele diz claramente chateado — E você colocou uma ordem de matar na cabeça do pai da Vanessa, o que vai fazer sobre isso?

— Nada, não vou retirar, o desgraçado é um canalha que só quer foder com meu morro, e sinceramente, não acho que a Vanessa tenha uma boa relação com ele — Falo pensativo e rio baixo — E não é como se eu me importasse com ela.

— Você tem uma dívida de vida com ela — Ele me lembra e eu bufo dando de ombros.

— Se ela não soube que ele pode ser assassinado a qualquer hora, não tem como me pedir para evitar isso — Falo sorrindo e respiro fundo — De qualquer forma, não é como se eu e ela tivéssemos alguma coisa, pelo contrário, ficou claro que não aconteceria.

— E por que você está tão preocupado com esse assunto então? — Ele questiona e eu dou de ombros novamente.

— Não estou preocupado, estava apenas intrigado — Falo indiferente e olho para ele sério — E você pensa direitinho o que vai fazer sobre a loirinha, não é bom a filha de uma juíza vacilando pelo morro.

— Eu vou cuidar disso — Ele fala ficando de pé — Já te mandei o dossiê, e você pensa bem sobre como vai agir, porque eu te conheço e sei muito bem quando você está interessado em alguém e você está muito interessado na Vanessa.

— Não estou muito interessado em ninguém — Nego, mas eu realmente estou, mas meus negócios vêm antes de qualquer mulher.

— Então não tem com o que se preocupar — Ele fala me olhando com os olhos semicerrados e dá de ombros — Nos falamos mais tarde.

Vejo o Gota sair e respiro fundo, sei que realmente estou interessado nela, sei que odiei que ela não é só uma patricinha comum, tinha que ser a droga de uma filha de policial que já tentou foder com meu esquema inúmeras vezes. Mas eu não vou fazer nada sobre isso, vou esquecer que ela passou pela minha vida e quando eu matar o pai dela, sei que vou estar fazendo um favor, principalmente depois de ver o pavor que ela sentia enquanto falava com ele ao telefone

————————————————————————

Oieee, espero que tenham gostado do capítulo ❤️

@thainarro

Anatomia do Caos - MorroOnde as histórias ganham vida. Descobre agora