Capítulo 65

525 44 1
                                    


Vanessa Aguiar

Respiro fundo enquanto penso no que eu vou fazer, não gostaria de ter que me esconder, mas não é como se eu tivesse condições de ficar no fogo cruzado, eu atrapalharia muito mais do que ajudaria, também não sei se é uma boa ideia ir para essa casa do Elfo. E pensando bem, não é realmente necessário que eu vá para essa casa, eu tenho outra opção que é a casa da Lúcia, lá é seguro e eu vou me sentir muito mais à vontade do que em qualquer outro lugar. Então é isso, é para lá que eu tenho que ir.

— Vanessa, você está bem? — o Elfo pergunta segurando no meu rosto com cuidado e me fazendo olhar para ele. Ele tem uma expressão preocupada e eu tento sorrir para deixar ele menos tenso.

— Estou, eu só estava processando tudo — Respondo ficando de pé, enquanto puxo bastante ar para o pulmão — Eu vou ligar para a Laura, acho melhor a gente ficar na casa dela, lá é um lugar seguro.

— Você tem certeza? — Ele pergunta preocupado, e com um olhar muito desconfiado.

— Tenho certeza, a Lúcia tem muitos seguranças já que ela sempre teve medo de alguma represália — Explico, mas acho que ele sabe, juízes não vivem sem seguranças e olho para a Manuela — Que horas nós temos que ir?

— Quanto antes — Ela responde e eu aceno concordando.

— Eu não queria que isso estivesse acontecendo, mas algumas coisas fogem do nosso controle e precisamos enfrentar para mostrar quem nós somos — O Elfo fala segurando a minha mão e eu sorrio para ele.

— Está tudo bem, de verdade — Eu falo e depois rio — Quero dizer, está tudo um caos, mas a gente dá um jeito nisso, você vai ficar aqui e resolver o que tiver de resolver e eu vou fazer aquilo que a gente combinou.

— Certo — Ele concorda e me abraça e eu escuto a Manuela dando tchau, mas apenas ignoro ficando no abraço do Elfo — Eu preciso que você fique segura para que eu possa trabalhar tranquilo, aqui vai estar uma confusão, mas eu só vou conseguir me concentrar se eu tiver a certeza que vocês vão estar bem, então me dê a certeza que qualquer coisa que acontecer, você vai me avisar.

— Eu vou te avisar, sim, pode deixar — Eu falo e beijo ele de leve sentindo o meu coração disparar dentro do peito — Agora eu preciso arrumar algumas coisas que posso precisar ao longo do dia.

— Quando estiver tudo tranquilo, acho que vamos ter que tirar umas férias — Ele fala suspirando cansado e beija meu rosto — Daqui a trinta minutos o Ninja chega para levar vocês, tem certeza que quer a casa da Juíza?

— Tenho certeza absoluta — Respondo segura e ele assente com a expressão séria — Nós vamos ficar bem.

— Eu estou contando com isso — Ele diz e eu abraço ele.

— Você também tem a obrigação de ficar bem, quando eu voltar para casa não quero te encontrar nem com um arranhado a mais — Eu suspiro olhando para ele — Eu não tenho ideia de como é uma operação e não sei como essa vai ser já que com certeza a intenção do meu pai vai ser te matar a todo custo, mas por favor, fica bem por mim e para mim, eu vou te agredir se você se machucar, então é melhor você se cuidar.

Ele ri alto e me abraça novamente, ainda mais apertado, mas eu não reclamo porque eu gosto assim, sentindo meu corpo bem pressionado contra o dele. Eu nunca vou me cansar dessa sensação de estar com ele.

— Eu tenho certeza que não deveria ser assim — Ele fala em um tom divertido e eu dou de ombros — Você tinha que ser mais carinhosa, eu sou o amor da sua vida.

— Se é o amor da minha vida, deveria saber que eu não sou nenhum pouco delicada — Eu falo sorrindo.

— Tudo bem, não vamos devagar sobre isso agora porque você tem que se arrumar — Ele diz enquanto segura nos meus ombros e me guia em direção a escada, percebo como seu tom de voz mudou um pouco — Mas quero que você saiba que eu tenho muito a dizer sobre essa delicadeza que você diz ter, viu meu amor?

Anatomia do Caos - MorroOnde as histórias ganham vida. Descobre agora