Capítulo 38

1.8K 226 4
                                    

Vanessa Aguiar

Eu precisei de um momento para realmente me acalmar, mas não é como se eu nunca tivesse visto uma briga na minha frente dessa forma. Mas logo o Elfo me guiou para longe, até eu me acalmar.

Ele me abraça e a gente começa a dançar junto. Como se nada tivesse acontecido, mas ainda me sinto um pouco nervosa, acho que agora já é o momento de começar a beber, por isso me afasto um pouco dele para poder falar o que eu quero, ou ele não vai me escutar.

— Elfo, eu quero uma bebida agora — Digo e ele acena.

— Me espera aqui, eu já volto — ele diz e beija minha testa antes de sair.

A Laura se afasta do Gota vindo até mim, ela tem uma expressão preocupada no rosto, mas fica mais tranquila ao me ver sorrindo, e me abraça.

— Você está bem? — Ela pergunta preocupada — Eu não sabia o que fazer para te ajudar naquela hora, só corri para chamar o Elfo, e ainda bem que ele deu uma surra naquele cara.

— Não se preocupa, na verdade eu acho que eu mesma poderia ter feito alguma coisa, mas eu fiquei tão chocada que nem consegui ter reação, tudo o que meu pai me ensinou ao lago da vida não serviu de nada, porque eu travei completamente — Falo um pouco chateada.

— Não se preocupe, nada disso foi culpa sua — Ela fala sorrindo para mim — Homem nojento tem em todo lugar, não vamos deixar isso estragar sua noite.

— Está tudo bem mesmo — Falo dando de ombros — Mas admito que to gostando do Elfo colado em mim.

— Vocês são o casal mais meloso daqui, está todo mundo encarando vocês — Ela fala rindo — Passei por isso quando comecei a sair com o Gota pelo morro.

— Vou só ignorar — Falo dando de ombros e vejo o Elfo voltando — Agora vou curtir meu boy.

— "meu" — Ela repete rindo — Eu vou até o meu boy também.

Ela se afasta rindo e o Elfo chega e me entrega uma bebida, eu bebo alguns goles, sentindo o doce da caipirinha descer, está muito forte e eu sei que não vou durar muito tempo sóbria, por isso é melhor eu fazer o que eu quero fazer antes de perder o controle, antes que ele ache que eu preciso de bebida para ter coragem.

— Está todo mundo olhando para a gente — Eu comento quando ele segura firme na minha cintura.

— Eu não me importo, você se importa? — Ele pergunta com um sorriso safado.

— Nenhum pouco — Respondo dando de ombros.

Eu sorrio e fico na ponta dos pés e beijo ele. É o primeiro beijo desde a praia, e eu sinto que isso pegou ele de surpresa, mas logo em seguida ele segura na minha cintura me puxando para mais perto e intensificando o beijo. Sua língua invade a minha boca, domina a minha língua, e eu gosto de como nossas bocas se encaixam e de como o beijo me faz suspirar e perder o fôlego. Eu estou gostando de estar me entregando para ele.

Nos afastamos só quando o ar falta, e eu tenho um sorriso no rosto e ele também.

— Vamos nos sentar — Ele sugere e eu aceno.

O Elfo segura a minha mão e me guia entre as pessoas para voltarmos para a mesa onde estávamos no começo da noite, só que dessa vez ele me puxa para o colo dele, e segura na minha cintura e pede mais uma cerveja para ele e eu volto a beber a minha caipirinha.

— Eu quero que todo mundo saiba que você está comigo — Ele diz e beija o meu ombro — Porque o próximo que achar que pode colocar a mão em você não vai levar só uns socos.

— Isso é um pouco possessivo — Comento rindo e ele me olha arqueando a sobrancelha — Mas eu não estou dizendo que me oponho a isso.

— Acho isso muito bom — Ele diz e aperta a minha cintura.

Encosto o meu corpo contra o dele e continuo bebendo devagar, escuto ele conversando com um amigo, mas não dou muita atenção, vejo a Laura dançando com o Gota e a Manuela agarrada com uma menina em um canto completamente dispersa das coisas acontecendo ao redor. É até legal ficar observando tudo, e eu já estava cansada de ficar dançando, funk consome muita energia da gente.

Me levanto porque preciso ir ao banheiro e coloco meu copo vazio sobre a mesa e beijo o Elfo ficando no meio das suas pernas e logo me afasto.

— Onde você vai? — Ele pergunta um pouco preocupado.

— Eu só preciso ir ao banheiro, já volto — Explico.

— Chama a Laura ou a Manuela para ir com você — Ele diz preocupado — Ou eu posso ir com você.

— Não precisa, eu já vi onde é o banheiro e posso ir lá sozinha — Digo tranquila — Eu só bebi um copo.

— Tem certeza disso?

— Tenho Elfo, eu posso me cuidar indo uma vez ao banheiro que é logo ali — Respondo rindo.

— Eu vou ficar de olho e se você demorar demais, eu vou atrás de você — Ele diz sério — Você atrai problema, Vanessa, é melhor ficar de olho.

— Eu só vou ao banheiro — Me defendo e ele solta a minha cintura.

— Não demora — Ele diz e eu aceno e dou um selinho nele antes de me afastar.

Eu caminho para o banheiro tranquilamente, vejo que tem uma fila, mas ainda fico tranquila esperando. Sei que tenho um sorriso pequeno no meu rosto. Eu sei que estou pagando língua por tudo o que eu já falei, mas a verdade é que eu estou pagando língua feliz, porque eu estou gostando de ficar com ele, gostando da companhia dele. O Elfo não é nada do que eu pensava que seria.

Mas todos os meus pensamentos se desfazem quando sinto meu corpo sendo empurrado e eu caio no chão, não estava nada preparada para ser atacada dessa forma, mas me levanto em um pulo, talvez o Elfo tenha razão e eu atraia confusão.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Oie, tudo bom?

Eu sei que passei um bom tempo sem atualizar, mas agora me organizei direito. Terá atualizações semanais (2/3), o livro está completo no telegram, mas tem taxa para entrar.

me sigam no insta @ thainarro, se eu chegar em 2000 seguidores até domingo (22/10) vou fazer uma maratona de atualização diária S2

Beijinhoss

Anatomia do Caos - MorroOnde as histórias ganham vida. Descobre agora