Capítulo 51

624 59 1
                                    


Vanessa Aguiar

Desço as escadas me sentindo muito ansiosa, é uma droga tudo isso que está acontecendo, mas não tem como fugir mesmo, então só me resta fazer o que eu tenho que fazer, que é lutar por mim e por quem eu gosto, chega de abaixar a cabeça para tudo e chega de ser imprudente, eu sempre fui muito bem decidida e agora estou ficando completamente sem rumo. E principalmente, preciso mesmo deixar de ser hipócrita e começar a assumir o que quero e o que sinto, parar de fingir um conto de fadas na minha cabeça.

Eu tenho que parar de agir como uma princesa a ser salva e começar a salvar a mim mesma.

— Está pronta? — Escuto o Elfo perguntando quando chego na sala.

— Estou sim, a Manuela já desceu? — Pergunto olhando ao redor.

— Já sim, ela está na cozinha — Ele responde e se senta no sofá — Já falei com o advogado, ele está em uma audiência, mas disse que a melhor opção é realmente indo até a delegacia, mas essa escolha não me deixa nada feliz, não confio em policial e estou realmente preocupado se isso realmente vai dar certo.

— Vai dar certo, meu pai não vai conseguir me tirar de lá a força e você vai estar esperando por perto, eu vou voltar para casa com você — Falo decidida, mas ao mesmo tempo com suavidade.

— Agora é só esperar a Laura? — A Manuela pergunta ao aparecer na porta.

— Sim, vamos nós três juntas, o Elfo e o Gota podem esperar por perto, mas não tão perto que possam ser achados — Respondo com calma — Lá deve levar algumas horas, e a Laura deve pedir o advogado dela para nos acompanhar também, então de qualquer forma, não vamos estar sozinhas.

— Isso é ótimo — A Manu diz animada, apesar da expressão séria.

— Quando a gente voltar, eu já vou pensar em um jeito de acabar com isso o mais rápido possível, porque eu não quero mais situações como essa, não vou ficar jogando o jogo dos outros, eles têm que andar como eu mando e não o contrário — O Elfo fala com raiva e eu respiro fundo.

— Nós vamos resolver isso o mais rápido que for possível hoje — Falo indo até ele — E depois estaremos de volta, não adianta ficar estressado, temos que agir com frieza e calma.

— Certo, frieza e calma — Ele repete e me abraça com um pouco de força.

Ficamos em silêncio, e eu posso sentir o coração dele acelerado. Isso tudo é por preocupação comigo? Ele realmente gosta tanto assim de mim? Me aconchego ainda mais em seu braços, porque eu sinto que gosto tanto assim dele também, gosto de como me sinto perto dele. É como ter calma, enquanto tudo queima, e é bom.

— Ainda bem que você chegou — Escuto a voz da Manuela e me viro, vendo a Laura entrando junto com o Gota — Esses dois estavam fazendo eu ter diabetes, tava horrível ser a vela aqui.

— É que início de namoro tudo é lindo mesmo — A Laura fala em um tom divertido — Mesmo com tanto problemas, mesmo com a polícia atrás deles, eles ficam juntinhos como dois pombinhos apaixonados.

— E eu vivi para ver isso — O Gota completa rindo e eu e o Elfo reviramos os olhos

.

— Está tudo pronto? — Eu pergunto ignorando as piadinhas.

— Está sim, meu advogado, que vai ser o nosso, já está a caminho da delegacia, vamos nos encontrar com ele lá — A Laura responde, voltando a falar mais séria — Ele disse que acredita que vá ser rápido.

— Eu estou contando com isso, porque quanto menos chances de ter que ficar por lá, melhor — Respondo enquanto pego a minha bolsa — Sua mãe sabe?

Anatomia do Caos - MorroOnde as histórias ganham vida. Descobre agora