Capítulo 33

2.6K 292 3
                                    

Vanessa Aguiar

Saio do quarto vestida com uma calça e uma camiseta e de chinelo. Apesar de saber que já viram o meu corpo todo machucado, não me agrada continuar mostrando. Ando pela casa, ela não é muito grande, então é fácil achar a cozinha aqui, parte de mim se sente um pouco retraída em mexer nas coisas de outra pessoa dessa forma, mas a minha outra metade está faminta.

Abro a geladeira e o armário e vejo que tem coisas para fazer um lanche. Preparo meu misto com calma, e coloco um pouco de refrigerante em um copo. E quase rio ao ouvir meu estômago roncar.

Eu preciso começar a pensar sobre o que eu vou fazer da minha vida. Preciso de um lugar seguro para ficar, preciso de roupas novas, preciso de um emprego que me sustente. Ainda acho que eu deveria fazer algo online, como tentar ser influencer, mas será que colocar toda essa atenção em mim seria bom? Me sinto realmente perdida aqui. Eu não tenho ideia ainda de para qual direção eu devo ir ou que eu devo fazer.

Me sento para comer, mas escuto passos e fico um pouco travada, mas relaxo um pouco ao ver que é o Elfo.

— Você parece melhor — Ele comenta e eu aceno — O que aconteceu com você?

— Problemas na minha vida de patricinha — Falo dando de ombros — Sabe como é difícil brigar por causa da bolsa da estação? Uma loucura, as patricinhas ficam completamente descontroladas.

— Certo, talvez eu não devesse ter pressuposto que você só tinha problemas banais — Ele diz enquanto se senta à mesa também — Mas não é muito comum ver garotas da sua classe social que tenham problemas reais.

— Veio aqui para falar sobre isso comigo? — Pergunto um pouco desinteressada.

— Vim para saber como você estava — O tom sincero e preocupado dele me pega de surpresa.

— Estou muito melhor, obrigada por ter me ajudado mais cedo — Agradeço e bebo um gole do meu refrigerante. — Tem alguma coisa que você queira falar?

— Tem sim — Ele confirma e eu começo a comer esperando para ver o que ele tem a dizer — O que aconteceu com você, de verdade? Eu vi seu corpo todo marcado, foram seus pais?

— Eu aposto que a Laura já falou alguma coisa — Falo respirando fundo — E sim, foram eles, nós sempre tivemos uma relação muito complicada, por isso também que a minha irmã foi embora e eu disse que iria.

— Entendo — Ele responde e fica em silêncio me observando.

Eu não sei o que dizer, nem mesmo sei se tem algo que deveria ser dito agora, mas eu continuo comendo, fingindo que não estou constrangida com a situação enquanto torço para que a Laura volte logo ou ele saia daqui. Mas quando olho para ele, percebo que ele parece muito distraído e me perugnto o que pode estar passando na mente dele. Só que sendo sincera comigo mesma, eu não estou resolvendo nem a minha vida, imagina se vou ficar tentando entender o que passa na mente dos outros.

— Está tudo bem aqui? — Escuto a voz da Laura e suspiro aliviada.

— Está sim, o Elfo só veio conferir se eu estava bem e me fez companhia enquanto eu comia — Respondo simples, mas estou realmente grata que todo esse clima estranho vai acabar.

— Trouxemos um celular novo para você — Ela diz colocando a sacola da Apple na mesa — Como você está se sentindo?

— Estou bem melhor, sério — Respondo sorrindo para a Laura.

— Eu vou precisar sair — O Elfo fala ficando de pé e me olha mais uma vez — Depois temos que conversar.

— Ok — Eu concordo e vejo ele saindo.

Eu estou me sentindo confusa com essa postura dele. O que está passando em sua mente? Eu realmente gostaria de saber.

— Eu vou precisar ir para casa — A Laura fala atraindo a minha atenção — Minha mãe já ligou, e com isso tenho notícias da sua casa.

— Pode falar — Respondo sentindo um calafrio.

— Eu conversei com a minha sobre você, não disse que você estava aqui e nem o que aconteceu, só que você tinha sumido e não dado mais notícias e que a sua mãe tinha desfeito sua matrícula...

— Ela desfez minha matrícula? — Pergunto a interrompendo.

— Sim, umas duas semanas atrás — Ela responde encolhendo os ombros um pouco, e eu suspiro chateada, não é como se eu não soubesse que eles estão loucos — Mas continuando, minha mãe resolveu ligar para a sua para saber sobre você.

— E então? — Pergunto me sentindo apreensiva.

— Ela respondeu que estava tudo bem, que você só tinha tirado um tempo para você mesma e que logo estaria de volta, uma nova mulher — Ela vai respondendo e eu vou sentindo apenas nojo e raiva — E ainda pediu para que não ficasse ligando, até porque em breve você iria para um retiro em outro país.

— Será que o retiro, ela está falando da loucura do casamento? — Pergunto pensativa.

— Eu acho que sim — ela concorda e eu respiro fundo.

— O que eu faço agora? — Pergunto retoricamente.

Me sinto completamente perdida, e com a Laura indo embora daqui, para onde eu vou? Continuo aqui? Minha mente está fritando e eu acho que vou enlouquecer. Talvez loucura seja de família.

— Você pode ficar aqui ou ir para a casa da Manuela — A Laura fala e eu olho para ela confusa — Eu estava pensando, dentro do morro é o lugar que você vai ficar mais segura.

— Como assim? — Pergunto tentando entender a linha de pensamento dela.

— A polícia não entra aqui, quem entra é porque já está de alguma forma associado, exceto nas operações, mas enfim, de modo geral não — Ela começa a explicar — O Drogo não entra aqui também, não é território dele e nem "livre",  então você poderia andar mais tranquila. E sim, eu sei que você não gosta daqui, mas pode ser até a Carol aparecer e depois você vai embora.

— Ficar aqui? — Pergunto pensativa. Analisando a ideia da Laura faz muito sentindo, mas eu não sei, é tão diferente da minha realidade, mas a Laura parece adaptada. — Eu vou pensar nisso, o Elfo está me devendo um favor.

———————————————————————

Oie, espero que tenham gostado do capítulo ❤️

Meu insta: @ thainarro

Anatomia do Caos - MorroOnde as histórias ganham vida. Descobre agora