Capítulo 79

343 32 2
                                    


Murilo Cardoso (Elfo)

Chego na mata sentindo o meu sangue fervendo. Me pergunto se a Leandra ainda vai estar por aqui, porque ela tem que ser muito burra para fazer o que fez e ainda assim não ir embora para o mais longe possível, mas também não é como se ela tivesse dinheiro para isso. Eu não vou perder meu tempo com ela, mas eu vou deixar bem claro o porquê.

— Chefe, os caras já foram atrás dela, mas parece que a mãe dela tá dando problema, gritando e chorando lá, maior escândalo — O Felipe fala se aproximando — Que que tá acontecendo?

— Está acontecendo que vocês deixaram gente de fora entrar hoje, e eu to muito puto — Eu falo muito sério olhando para ele que arregala os olhos.

— Mas a garota lá era prima da sua mulher, cê mesmo liberou a entrada dela chefe — Ele se defende e eu reviro os olhos.

— Quem mais entrou aqui hoje? ou ontem? Leandra não trouxe ninguém para cá? — Questiono vendo ele franzir a testa em confusão.

— Foi ontem — Raul fala entrando na conversa — Leandra veio até a gente e disse que dois primos dela precisavam dormir aqui e passaram a noite, de ontem para hoje, aqui no morro, mas como a Leandra é cria nossa, achei que tava liberado.

— É exatamente por isso que eu quero que tragam aquela puta aqui, ela infiltrou gente do morro do Drogo, ela traiu a confiança e já perdeu qualquer chance de ser perdoada — Eu declaro firme — E quem se opor, vai ser considerado cúmplice.

— Tem nada que se opor não chefe, a vagabunda trouxe inimigo aqui para dentro, tem mais é que se foder mesmo — Raul fala puto — Ainda me fez de otário, se é loco.

— Quem foi buscar ela? — Indago estalando o pescoço, minha mão já está coçando para fazer um estrago quando ela chegar.

— O Ninja e mais dois parças — Felipe responde se encostando em uma árvore.

— Raul, vai atrás deles — Falo olhando para ele — Agora!

— To indo chefe — Ele responde indo pegar uma moto.

Passo a mão no cabelo nervoso, estou muito preocupado com a Vanessa, em como ela está, eu vou arrancar as mãos daquele filha da puta quando eu pegar ele, eu já deveria ter resolvido essa merda a mais tempo, mas acabei enrolando demais, mas agora chega.

Eu vou juntar todos os meus e vou explodir aquela merda de lugar, Drogo vai aprender o que acontece com quem tenta pegar algo que é meu, aquele verme obcecado. Eu vou matar ele e quem se enfiar no meu caminho.

Meu telefone começa a tocar e eu vejo o nome do gota na tela e atendo.

— Que porra ta acontecendo? — Ele pergunta nervoso — Os caras me ligaram dizendo que você vai matar a Leandra, que você ta puto, eu sei que ela é uma vagabunda, mas acho...

— Você não acha caralho nenhum, Gota, você não sabe que porra ta acontecendo aqui — Eu corto a fala de completamente puto, quem esses porra acha que são para irem falar que eu to agindo como se estivesse descontrolado? — Não fode, porra!

— E o que tá acontecendo? — Ele pergunta e eu respiro fundo

.

— Leandra trouxe dois capangas do Drogo aqui para dentro, ela colocou ele aqui, e agora eu vou mostrar como a gente trata traidor — Eu falo seco de raiva — E onde você ta caralho? É para vir para cá agora.

— Eu já tou chegando — Ele responde sério — E tem outra coisa, cadê tua mulher que a minha tá tentando falar com ela e não consegue.

— Quando você chegar aqui, eu te conto — Respondo e desligo a chamada.

Anatomia do Caos - MorroOnde as histórias ganham vida. Descobre agora