-Boa tarde!-Cumprimentou o Ashton assim que regressou do trabalho naquele domingo.

-Boa tarde!-respondi assim que me sentei no sofá.

-Filho, eu e o Andrew vamos dar uma volta pela cidade. A Maya vai ficar em casa, se quiseres também ficas.-disse a Rose depois de descer as escadas e de vir ter connosco à sala.

-Eu fico com a minha maninha.-Ele sorriu para mim.

-E já começou!-comentei eu brincando com ele.

-Bem então nós vamos indo.-disse o meu pai enquanto ele e a Rose se aproximavam da porta.-Até logo, meninos.

-Até logo!-disse o Ash.

-Nós voltamos antes da hora de jantar.

Eles fecharam a porta e o meu meio irmão sentou-se no sofá à minha beira.

-Conta-me o encontro com o Calum.

-Foi fixe.-respondi eu.

-Fixe?! Só isso?

-Ele pediu-me em namoro e agora namoramos.

-Sim, sim. Mas aconteceu alguma coisa de interessante?

-Menos, Ashton. -disse eu vendo que ele estava a voltar ao mesmo.

-Estou só a meter-me contigo. Eu sei como te por irritada.-ele sorriu. -Ainda bem, que correu bem.

-Na verdade houve uma pequena parte em que...bem, não interessa.

-Interessa pois, conta-me. Isto se quiseres, claro.

-É que eu lembrei-me do dia 11 de setembro a meio do encontro, por causa de uma conversa que estávamos a ter e eu chorei um bocado, foi isso.

-Tu assististe à queda das torres, não foi?-ele encarou-me com os seus olhos meios verdes meios cor de avelã.

Assenti.

-Mas eu não quero chorar agora, não é?

-Às vezes é preciso chorar, sabes?

-Sim, mas não agora.-disse eu esboçando um sorriso.- Mas o encontro foi muito bom. Fizemos um pequeno piquenique no parque enquanto olhávamos as estrelas e...

-Espera o quê?! -Perguntou o Ash espantado.

-O que é que tem de mal?

-Ver as estrelas é uma coisa nossa.

-Uma coisa nossa?-perguntei.

-Sim, fui eu que te mostrei o céu de Indianápolis pela primeira vez.

-Na verdade eu vi o céu estrelado pela janela do meu quarto antes de ir vê-lo para o teu.

-Sim, mas eu é que te mostrei a vista das estrelas mais fantástica de sempre.

Eu ri-me.

-E desde quando é que tu queres saber de uma coisa "nossa"?-perguntei-lhe fazendo o sinal de aspas com os dedos.

-Desde que te tornaste minha "irmã".-respondeu ele fazendo a mesma coisa com as mãos.

-Aww. O Ashi está tão querido hoje.-disse-lhe brincando com ele.

-Não gozes comigo.-ele riu-se- Podes ver as estrelas com quem quiseres rapariga, como queiras, é-me indiferente. -Concluiu ele fazendo-se de forte.

-Sim, pois. Tu até me curtes, não é? -Perguntei-lhe com um sorriso gabarola na minha cara.

-Talvez. Queres ver um filme?-perguntou ele apontando para a televisão.

-Sim, pode ser.-peguei no comando e escolhi um dos vários filmes que tinha nas gravações automáticas.

Acabamos por ver um de comédia romântica qualquer e a meio do filme eu e o Ashton fazíamos comentários do tipo "Isto é tão previsível". Mas acabávamos sempre por nos rir um bocado.

***

Passou um mês desde o meu encontro com o Calum. Era dia dez de novembro, uma terça-feira e eu estava a sair da escola.

-Hey, espera!-ouvi o meu namorado a dizer antes que eu pudesse ir para a paragem de autocarro. O Ashton tinha ido mais cedo para casa nesse dia e não me podia dar boleia.-Este fim de semana os meus pais vão para fora, se quiseres podes ir lá a casa no sábado à noite ou no domingo para celebrarmos o nosso mesversário.

Eu ri-me.

-Não posso ir no sábado à tarde?-perguntei-lhe, aproximando-me.

-Eu tenho coisas para fazer ao sábado à tarde, já sabes disso.

-O que é que é assim tão importante que não me possas dizer passado um mês de namoro?

-Não é importante é só embaraçoso.

-Como queiras, mas um dia vais acabar por contar-me.

-Eu sei, então vens?

-Acho que posso tentar ir sábado à noite.

-Ótimo. Queres boleia até casa?

-Por acaso quero, não estou para ir no autocarro. Prefiro ir contigo, seu anormal.

Ele entrelaçou a mão dele com a minha e nós fomos até ao carro.

A viagem até minha casa foi passada a conversar sobre o fim de semana seguinte.

Quando cheguei ao destino dei um beijo na boca ao Calum e fechei a porta do carro, saindo do mesmo.

Assim que entrei pela porta da frente ouvi a Rose a ralhar com alguém na sala de estar. Fechei a porta com cuidado e pousei as minhas coisas no chão. Eu não costumava ouvir as conversas dos outros, mas não consegui evitar.

-Eu não acredito! -Disse ela num tom zangado. -Tu tens noção da importância disto, Ashton? E agora o que é que vamos fazer?

-É a minha vida e eu tomei esta decisão há algum tempo! Não acho que esteja errada!-a voz do meu meio irmão ecoou pela casa.-Além disso não é o dever dos pais pagarem a universidade aos filhos?

-Antes do Andrew vir para aqui pagar a casa era um problema e é por isso que eu não consegui guardar dinheiro nenhum para os teus estudos! O dinheiro mal chegava para pagar esta casa! E depois tu vais gastar o dinheiro que consegues ganhar numas estúpidas aulas de bateria!

-Se esta casa é assim tão difícil de manter porque é que ainda vivemos aqui? Porque é que não compras uma mais barata?

-Quando os teus avós morreram eles deixaram-me metade desta casa como herança! Esta casa é a única coisa que eu ainda tenho deles! E tenho metade da casa para pagar!

-Não dava para pedires ajuda ao banco ou assim?

-Os meus pais, teus avós, tiveram muitos problemas com os bancos e empréstimos de dinheiro, por isso nenhum banco me dá ajuda! Aulas de bateria, a sério?! Agora explica-me como é que vais pagar os teus estudos?

-Eu tento ganhar uma bolsa, ou assim.

-Não é assim tão fácil, filho! Há muita gente a concorrer para essas bolsas de estudo!

-E se eu não quiser ir para a universidade? Se calhar consigo vingar na música e não vou para a universidade!

-Como queiras! Mas às aulas de bateria, não vais mais!

Ouvi o Ashton a aproximar-se do hall de entrada, nem tive tempo para me esconder. Ele apareceu à minha frente com uma expressão irritada e sem dizer nada subiu as escadas. Eu fui atrás dele.

-------

Hey!

O que é que acharam? O que é que o nosso Ash vai fazer agora? O que é que é assim tão importante para o Calum nos sábados à tarde? Comentem as vossas opiniões.

Muito obrigada por acompanharem e votarem na fic, não fazem ideia do quão feliz eu fico por saber que há mesmo pessoas a ler o que eu escrevo e a gostarem. Amo-vos ❤

Ah e eu amo a foto que pus neste capítulo hihihi

Bjs de uma fã dos 5sos xx

Roomies || 5SOS [Editing]Leia esta história GRATUITAMENTE!