-A sério, desculpa por termos de jantar aqui.-disse o Calum pela milionésima vez, enquanto comíamos a nossa refeição, naquela sexta-feira.

-Não há problema a sério, eu gosto de comer McDonald's.

-Sim, mas não é digno de um encontro.

-Estás a gozar? Fast-food é do melhor. Quem é que quer ir a um restaurante caro?

Ele riu-se um pouco.

-Quando eu tiver dinheiro que chegue, eu levo-te a um sítio bonito.

-Obrigada, mas acho que o importante é estar contigo e não onde ou que como.

-Tens razão. Quem é que quer ir a um restaurante caro onde é tudo tão chique que até falar parece mal educado.

-Temos de estar sempre calados ou a falar baixinho e de beber de copos esquisitos. Vivam as palhinhas e os copos de plástico!-disse eu dando um gole na minha Coca-Cola.

-E as batatas fritas e os hambúrgueres!-Disse ele levantando na mão o seu hambúrguer.

-E o molho que acabou de cair na tua camisola!

Ele olhou para baixo, rindo-se e limpando a sujidade com um guardanapo.

-Isto é embaraçoso.-comentou ele.

-Acredita, mais embaraçoso do que eu não é.

-Tu? Embaraçosa?

-Sim.

-Não acredito. -Disse ele sorrindo.

-Bem, tu ainda não me conheces completamente, Calum Hood.

Olhei para as horas.

-Já são 23:30! Eu tinha de estar em casa há meia hora. Já vou ouvir.

-Da próxima não vimos jantar tão tarde.

-Próxima?

-Sim, próxima.

Ele levantou-se depois de comer a última batata frita e eu levantei-me a seguir a ele, eu já tinha acabado de comer. Dirigimo-nos para o seu carro.

A meio do caminho ele pegou na minha mão e aproximou-se de mim, deixando as nossas caras a centímetros de distância. Eu afastei-o.

-Eu não dou beijos no primeiro encontro.

Ele riu-se um pouco.

-Tu és dessas?

-Yupe. E não me arrependo de ser.

-Então isso significa que vai ter de haver um segundo encontro.

Encolhi os ombros e sorri.

-Isso é um convite?

-É. -disse ele entrando no carro, eu também entrei.

-Adoro esta música.-disse eu mal ele ligou o carro e começou a conduzir.

Pus o volume mais alto e comecei a cantar a música. O Calum olhou para mim e riu-se.

-Eu disse-te que podia ser embaraçosa.-disse eu parando de cantar por momentos e depois começando outra vez.

O rapaz moreno juntou-se a mim. A sua voz era linda, ele cantava mesmo bem.

-Onde aprendeste a cantar assim?-perguntei-lhe assim que a música acabou.

-Eu apenas nasci com este dom.-disse ele com um ar triunfante.

Eu ri-me.

-Esta é a tua casa, certo?-perguntou ele assim que parou em frente ao sítio onde eu morava.

Roomies || 5SOS [Editing]Leia esta história GRATUITAMENTE!