-Trouxe manteiga líquida, mentos, tinta laranja, azul e rosa que brilha no escuro, uma lata tipo spray que deita queijo aos fios, copos de papel, licor e vodka, revistas pronográficas, guardanapos, preservativos, Coca-Cola, cervejas, balões e cartazes decorativos de festa, aperitivos, marcadores que brilham no escuro e um balde. Está tudo no carro.-O Ashton disse sorrindo assim que entrou no meu quarto.

-E quando eu pensava que ainda tinhas sanidade mental. Agora foi-se toda.-Comentei rindo e ele riu-se comigo.

-Os pais e a irmã do Calum estão fora o fim de semana e ele foi jantar a casa do Luke que vai distraí-lo o tempo suficiente para nós podermos fazer isto. Quando fui a casa dele hoje para o ensaio deixei a janela da cozinha aberta para nós podermos entrar.-Ele informou-me.

-Mas de que raio é que estás a falar?-Perguntei confusa.

-Ninguém, repito, ninguém se mete com a minha ex-inimiga e consegue escapar-me assim. Vamos vingar-nos.-Ele informou e abriu a porta.-Já avisei a minha mãe que vamos jantar fora e que vamos embora agora, por isso anda.

-Espera aí, nós vamos? Eu não concordei com isso.-Reclamei sentando-me na cama.

-Maya, eu esforcei-me muito para combinar este plano de vingança com o Luke e ele alinhou.

-Vingança não é a minha cena, Ashton.-Acabei por dizer, deitando-me.

-Querida, roomie...-Ele começou.

-Lá vem ele com o "querida, roomie".-Eu comentei, revirndo os olhos e rindo.

-Eu vou fazer isto quer tu venhas quer não.-Ele continuou, rindo um bocado também.-Mas eu acho que tu vais adorar fazer isto. Pelo caminho eu conto-te todo o plano ok? Vai ser um máximo!-Ele disse, visivelmente animado.

-Ash, isso só vai arranjar problemas.-Lembrei eu, sentando-me. Mas admito ele estava a começar a convencer-me.

-Além disso eu vou parar a meio do caminho para comprar pizza.-Ele olhou para mim e encolheu os ombros fazendo de conta que ia sair sem mim.-É pena que não queiras vir.

Ele olhou-me nos olhos e fez beicinho. Foi a gota de água. Levantei-me e peguei no meu casaco preto.

-Só porque quero ver o que é que vais fazer com a tinta florescente e porque amo pizza.-Avisei e saí do quarto seguida pelo meu ex-inimigo que, temos de admitir, é um máximo.

***

-Já podemos comer a pizza?!-Perguntei assim que ele estacionou o carro uns metros mais atrás da casa do Calum e do outro lado da rua.

-Agora, sim, em andamento é que não.-Ele explicou.

Abri a caixa que estava no meu colo, peguei nos guardanapos e tirei uma fatia que rapidamente dei ao meu meio irmão e depois peguei noutra para mim.

-O que é que achas do plano?-Ele perguntou, dando uma trinca na sua fatia.

-Não sei se vai correr bem, se queres que seja honesta.-Admiti começando a comer também.

-Vai correr, vai. Se formos apanhados pelo Calum não tem mal, ele é que vai levar com as culpas.-Ele disse com uma certa indiferença.

-Isso é um bocado mau.-Reparei eu.

-Pior mesmo é trair uma pessoa e ainda ser covarde o suficiente para a fazer acreditar que não a traiu.-Ele pressionou os lábios numa linha reta e ergueu as sobrancelhas.

Eu olhei para a estrada a pensar no que ele tinha acabado de dizer.

-Maya, eu não te quero magoar, desculpa-me se fui demasiado direito.-Ele pediu olhando-me nos olhos.

Roomies || 5SOS [Editing]Leia esta história GRATUITAMENTE!