Brianna Costanza

500 66 56
                                    


Yoooooooooo!!!!!!!

como vocês estão??


Ansiosos para o show do anão???

Já é semana que vem!!!


E haaaaaaaaa, sim, semana que vem terá capitulo normal de Yana... Não séria o anão que nós faria não postar capitulo né... nos poupe...U_U

Bem... Esse capitulo tem de tudo um pouco...Tem coisa fofa...Tem coisa sad...E tem coisas que provavelmente ira irritar algumas pessoas..


E hoje tem musiquinha!!!!!!!!!!

 Adoro quando tem musiquinhas...


Coloquem para tocar ai 


Against The Currente - Gravity


_

_

_

- Estou enorme. - Bob estava deitado ao meu lado enquanto com dificuldade me sentei à beirada da cama - Mais um pouco e eu explodo, nunca me senti tão grande, achei que nem era possível eu ser grande.

Senti os braços de Bob me envolver e os lábios dele encostarem-se em meu ombro.

- Você está linda... - encostei o rosto no dele e senti o cheiro que tanto me agradava.

- Acho que deveria fazer exame de vista querido.

- Você é linda....

Bob sempre era assim... Gentil. Às vezes me pegava questionando se eu não tivesse ficado com ciúmes aquele dia na boate... Se teríamos nos casado e estaríamos assim há mais tempo...

Claro que não adiantava remoer essas coisas, o que aconteceu, aconteceu. Ninguém possui uma máquina do tempo. Mas é que estou tão feliz ao lado dele... Parece um sonho...

Sempre achei besteira idealizar relacionamentos, não há como alguém ser exatamente como você deseja... Sempre haverá diferenças, e a felicidade está em como você lida com elas...

Entretanto, Bob era tudo que eu sempre sonhei, com vários 'plus' inusitados... Como cozinhar maravilhosamente bem...

Me aconcheguei em seus braços – Cego... – murmurei o provocando.

- Mas ainda posso fazer panquecas... O que acha? - continuei me aconchegando enquanto me lembrava das maravilhosas panquecas que Bob fazia.

- Com geleia de morango. - ele sorriu e virei o rosto encontrando seus lábios e selando-os aos meus.

- Certo, agora não quero sair e nem quero que você saia. - ri com a forma que ele falou...

Era tão estranho pensar que ali entre quatro paredes ele era tão diferente, tão único... Nunca havia me sentindo tão amada.

Minha barriga roncou e voltei a rir - Estamos com fome.

Bob sorriu e me soltou – Certo, panquecas e geleia de morango.

Ele vestiu a cueca e uma calça de pijama, se levantando e dando um beijo no topo da minha cabeça.

- Obrigada. - o observei sair do quarto enquanto sentia seu perfume nos lençóis. Acabei sorrindo e abraçando seu travesseiro – Você escolheu o melhor pai do mundo... – falei para meu bebê... O primeiro a querer Bob na família.

You Are Not AloneOnde as histórias ganham vida. Descobre agora