Frank Iero

1.2K 123 339
                                    



Bom/noite thuthuquinhos e thuthuquinhas...

Como vocês estão?

Esperamos que estejam bem.

Depois de alguns pedidos no grupo do waths, acabamos vindo bem mais cedo postar o cap dessa semana...

Esperamos que gostem<3

.

.

.

Não estava conseguindo dormir. De novo. Gerard havia ficado em minha casa por poucos dias, e mesmo assim, a presença dele se tornou uma de minhas sensações favoritas. Peguei o celular que carregava no criado-mudo ao lado da minha cama. Observei o horário, seis da manhã, e eu rolava sobre aqueles lençóis desde as onze da noite. Sem pregar os olhos.

Tinha até lido uma fanfic de Gerard. Ele escrevia muito bem. Foi engraçado descobrir que além do fake que me odiava e tinha um blog anti Frank na internet, ele tinha outro fake amorzinho, que me seguia em todas as redes sociais e escrevia diversas histórias românticas minhas com um personagem original dele, que se chamava Grard Yaw.

Sim.

Grard Yaw. Um famoso pintor que era rejeitado por mim dia após dia... Qualquer semelhança é mera coincidência.

Era tão óbvio, que chegava a ser fofo. Amei a história, e na realidade, ela fez muito sentindo para mim... Me questionava se era só uma fanfic ou se eram lembranças em forma de arte. Havia muitas semelhanças com aquela época...

Deslizei o dedo pela tela do celular, indo até o aplicativo e continuando a leitura de onde parara, já que meu celular, finalmente, carregara o suficiente...

"Eram quatro da manhã e Grard não sabia bem se queria ir para casa. Frank continuava adormecido em seu ombro, como uma criança. Seus cabelos negros caindo sobre os olhos. Vendo-o assim, até parecia inocente. Contudo, a música há muito já parara de tocar, apenas Bert e Bob continuavam conversando e bebendo uma cerveja descontraidamente enquanto os funcionários do pequeno bar limpavam toda a sujeira produzida por jovens inconsequentes.

Até quando Grard continuaria naquela relação, era algo que lhe passava a mente nesses momentos. Estava cheirando a álcool e cigarro, sendo que naquela noite não fumara e bebera apenas o básico. Quem causara esse odor peculiar fora o dorminhoco ao lado. Que ao ficar bêbado, não lhe soltou nem por um instante.

Suspirou. Pensando que talvez devesse ir embora... Aproveitar que ele permanecia em seu sono, não correr o risco de repetir o erro da noite anterior...".

Sorri, me lembrando do capítulo anterior... Ah, eu queria que o erro se repetisse...

- Ah, vamos lá, você nem foi tão longe assim Grard! Abusa de mim... – dei uma pequena risada ao pensar em que tipo de desejo estava tendo e prossegui com a leitura.

"Como se entendesse as intenções de Grard, aos poucos, Frank recobrou a consciência. Em um ato de covardia, o rapaz decidiu levantar e ir embora, contudo, como no dia anterior, o jovem músico lhe segurou o braço.

- Não vai. – pediu com aquele tom insolente enquanto o puxava para perto – Não quero que você vá. – ele sorriu – Vamos para minha casa. Preciso de ajuda, hm? Você pode dirigir meu carro... – convidou na maior cara de pau. Nada novo sob o sol, Frank sempre era assim.

Grard suspirou. Levá-lo para casa? Novamente? Sabia o que acontecia quando o levava... E ele estava bêbado. Podre de bêbado.

- Se você não acertar o meu nome, eu não vou. – sempre fazia essa pergunta, deveria ser algum tipo de masoquismo. Frank refletiu por alguns instantes, fazendo aquela cara de quem não se lembraria.

You Are Not AloneOnde as histórias ganham vida. Descobre agora