Frank Iero

1.1K 98 264
                                    


Oiii gente <3

Aqui é a Mika \o

Bom, primeiro eu gostaria de agradecer todos os desejos de melhoras. Obrigada <3 Vocês são uns amores <3 Sinto muito ter deixado vocês sem YANA x.x

Foram dias bem ruins - bem ruins mesmo x.x - mas, estou muito melhor agora <3

Espero que gostem desse capítulo <3

-

-

-

Tudo que Bob me contara vagava por minha cabeça... Apesar de nossa amizade ter sido brevemente abalada pela declaração de que ele me enfrentaria para proteger Brianna Costanza, havíamos nos reconciliado como em um passe de mágica, e agora trabalhávamos em uma espécie de plano de resgate. Bob não ficaria em paz enquanto não tirássemos a garota do perigo que corria, consequentemente, eu também não ficaria. E graças a isso os dias estavam sendo infernais.

Porém, as coisas não eram tão simples quanto poderiam parecer. Conseguimos diversas informações sobre o desgraçado do Andy, o enorme problema era: ele fazia tudo muito bem feito, sem quase deixar vestígios... E até mesmo Gabrielle - a fã hacker que quase tivera um ataque quando me viu a sua frente - conseguia ligar os crimes diretamente a ele...

Eram diversos caminhos que pareciam dar nele, mas, que vistos friamente, levavam a becos sem saída. Me questionava como conseguia ser tão esperto, mesmo que levássemos todas as informações que tínhamos à polícia - e era muita - não conseguiríamos levar o desgraçado a cadeia...Simplesmente por absolutamente nada liga-lo diretamente aos crimes... Era frustrante.

Andy Biersacky era um desgraçado que sabia fazer tudo muito bem feito.

Contudo, parecia que quanto mais cavávamos, mais sujeira encontrávamos, então, coloquei Gabrielle em um local seguro, e a incentivei a continuar. Precisávamos de provas e ela era nossa melhor alternativa. Michael cuidava da parte legal e burocrática do caso. Andy seria derrubado e eu faria questão de estar observando ele cair.

Abri meus os olhos e ao me virar para o lado, mandando aqueles pensamentos conturbados para longe, me vi sendo a pessoa mais feliz do universo. Como se apenas aquela visão limpasse minha alma e me trouxesse paz.

Gerard dormia sereno quase escondendo o rosto em meu travesseiro... Desde que descobrira a gravidez ele andava bastante dengoso, e os restos de um brigadeiro - um doce que viu em um canal brasileiro feito de leite condensado e chocolate - jaziam em um prato no criado mudo que ficava do seu lado.

Deslizei meus dedos sobre seus cabelos... O quanto de sorte se podia ter em uma vida? Porque eu era realmente muito sortudo.

Gerard abriu os olhos e me fitou ainda manhoso pelo sono – Bom dia... – disse bocejando, completamente sonolento.

- Quer continuar dormindo...? – questionei, sentindo pelo vínculo que ele estava cansado, mas, não enjoado. Isso era bom. Os primeiros dias – os quais sequer sabíamos da gravidez- foram de enjoos matinais fortes. Depois que descobrimos sobre o bebê, eles se seguiram, isso fazia Gerard ficar cansado e mais manhoso para comer, e eu sabia que era manha porque o vínculo me deixava bem nítido.

Aliás, desde que Gerard me contou sobre a gravidez o vínculo se assemelhava muito ao que me recordava, sem barreiras, algo livre, como a água limpa de um lago que deixa você ver o fundo. Era uma sensação indescritível senti-lo sem as barreiras... Ele era muito mais sensível do que eu imaginava, perceptivo e discreto.

You Are Not AloneOnde as histórias ganham vida. Descobre agora