Brendon Urie

584 71 106
                                    


Oiii \o Como estão?

Vamos nessa...

-

-

-

Não conseguia me concentrar em absolutamente nada. Depois que vi Billy – grávido – no prédio de Frank, meu mundo parecia ter virado de ponta cabeça...

Eu já não conseguia esquecer aquele ômega antes, agora sabendo que ele – possivelmente – esperava um filho meu, parecia que todos os meus pensamento se voltavam para ele. De novo e de novo e de novo...

Foi assim que acabei ali, diante de sua casa... Queria ter vindo muito antes, mas não arranjava nenhuma desculpa, entretanto conseguira uma...

Questionar se esse bebê realmente era meu.

As palavras de Sandra, minha prima, ecoavam em minha cabeça.

"Se o filho for seu, você, Brendon Urie, vai larga-lo a própria sorte?".

Droga Sandra... Só fez aumentar minha paranoia, de certa forma estava animado e até ansioso em ser pai daquela criança...

E confesso que me decepcionaria caso não fosse.

Merda, quem eu tô querendo enganar?

Gostava de Billy e morreria de ciúmes se tivesse engravidado de outra pessoa.

Os três dias de cio dele foram tão... Intensos. As lembranças eram tão vívidas... Nunca havia me sentido daquela forma forma...

Não foi apenas o sexo, apesar de ter sido incrível. A conversa entre as ondas dele... Billy era divertido, inteligente, irônico...

E no último dia... Eu simplesmente não queria ir embora... Queria ficar ao seu lado... Conversando, rindo, sentindo seu cheiro e tendo-o em meus braços.

O problema é que não o procurei depois que fui embora...

Eu poderia, contudo não fui.

Uma mistura de vergonha – que não combinava comigo – com o fato de que ele deixou muito claro que só me queria como um banco de esperma – sim, Billy usou esse termo. Nunca corri atrás de ninguém, e tudo aquilo parecia novidade...

Sem contar às mentiras que falei... Quer dizer, não foi nada terrível, apenas... Minha origem e situação financeira... Era muita coisa para explicar e sinceramente, nunca senti essa necessidade... De me justificar, de tentar fazer as coisas darem certo.

Toquei a campainha aflito enquanto ouvia a vizinha dele brigar, novamente, com o marido. Ela parecia ser uma ômega bem raivosa... E me recordo de ter acordado algumas vezes durante o cio dele com ela berrando com o marido, que segundo Billy era um alpha bastante submisso.

- Oi? – ele abriu a porta e assim que me viu, bateu ela na minha cara.

- Ei! Billy! – bati novamente na porta.

- Cai fora Brendon! – ele abriu uma fresta da porta, mas mantendo o cadeado – Se é que seu nome é mesmo Brendon, né?

- Quê? - fiquei confuso logo me dando conta de que deveria estar falando sobre minha 'pequena mentira', afinal, ele conversara com Gerard que sabia a verdade - Abre a porta Billy, vamos conversar.

- Vai embora, não quero papo com você seu mentiroso de uma figa, iludidor de ômegas indefesos.

- Hã??? Desde quando eu te iludi Billy? – fiquei chocado com a acusação.

You Are Not AloneOnde as histórias ganham vida. Descobre agora