Frank Iero

1.3K 140 247
                                    

Oi gente?

Como estão? ^-^

Esperamos que gostem desse capítulo ^^b, boa leitura a todos <3


.


.


.



As coisas entre nós estavam... Normais.

Ao menos era o que eu poderia dizer. Passaram-se alguns dias desde que eu e Gerard fomos até o Conselho Ômega e tivemos aquela conversa com um final nada agradável.

Se eu possuía alguma dúvida sobre o que ele sentia por mim no passado, depois do que me falou, tinha certeza.

"Você quer ser meu protetor? Volta cinco anos no tempo e não seja um babaca.".

Na hora não soube o que falar e depois não tive coragem de voltar ao assunto.

Após as entrevistas que prestamos no Conselho, Gerard seguiu como se nada tivesse acontecido e eu em um ato de total covardia fiz o mesmo. Mas, no geral, estava tudo realmente muito normal.

Naquele mesmo dia, logo que chegamos ao meu apartamento, ele me fez esvaziar o quarto de hóspedes e não passamos mais as noites juntos. Para minha total infelicidade. Entretanto, ainda dividíamos as refeições e eu estando de férias da No Angel, o acompanhava para todos os lugares que precisava ir. Fosse ver algum móvel para a decoração do apartamento, fosse para as aulas da faculdade... Eu simplesmente sempre estava lá mesmo que... Mal nos falássemos.

O observei arrumando um dos quadros na sala, pela quarta vez. Gerard o tirava e colocava em pontos distintos... Não sei exatamente qual era a diferença, contudo, ele estava muito concentrado. Toda a decoração ficara, surpreendentemente, a minha cara. Na realidade, ele fez um trabalho melhor do que eu jamais faria... Era um pouquinho assustador.

- Você gostou dele aqui? – me perguntou enquanto analisava a parede, olhei o ponto em questão... Realmente não entendia qual era diferença do ponto em que estava antes...

- Gostei. – respondi exatamente igual às vezes que perguntou anteriormente.

- Você não é muito bom decorando, não é? – se aproximou pegando um copo de suco de laranja que eu colocara sobre a ilha da cozinha.

- Não. – sorri – Se fosse não teria te contratado, né? – ele revirou os olhos daquele jeito que já me acostumara e sorriu, olhando para a varanda.

Durante nossa 'normalidade', havia estes breves momentos que Gee agia como, eu acredito, ele agiria normalmente próximo a alguém. Questionava e respondia, em um dos dias, até falou algumas coisas sobre seus filmes favoritos, contudo...

Em algum momento, ele parecia perceber o que fazia, então, seu sorriso sumia, e ele voltava as suas atividades, entrando em um silêncio mortal. Era um óbvio 'falei demais, melhor me concentrar no que tenho de fazer'.

Isso... Me irritava.

Todos os dias se seguiram assim, de um lado Gerard se aproximando e se afastando em um flash e do outro eu aceitando e respeitando essas atitudes dele.

Nossa convivência era boa, boa até demais, coisa que não havia imaginado que seria.

Em uma das noites, me peguei tocando na sala enquanto o observava pintar na varanda, era algo agradável, que sabia estar com os dias contados.

You Are Not AloneOnde as histórias ganham vida. Descobre agora