Michael Way

394 51 47
                                    


Yoooo!!!!!! como vocês estão?
Espero que bem...


Nós aqui estamos tentando nós recuperar dos baques que a vida nos dá...mas estamos vivas...


Hoje o capitulo é mais curtinho... mas olha...tá cheio de dicas...então...prestem atenção nos detalhes...

Esperamos que gostem... Boa leitura a todos.

-

-

-


Fazia tempo que não via minha casa tão cheia.

Era só uma pequena recepção para celebrar o nascimento de Sophia... Mas todos haviam vindo.

Gerard, Frank... A manada e até mesmo David, irmão de Frank, estava ali.

E claro, para tornar o clima um tanto estranho, meus pais.

Eles apenas se sentaram a uma distância de Gerard e ali permaneceram, conversando entre si... O que era, obviamente, falta de educação, contudo eles ainda eram meus pais e Sophia ainda era neta deles.

Gerard estava lindo e fofo... Com uma barriga enorme prestes a dar a luz o que acredito, fosse o motivo pra tanta proteção não só de Frank, mas de todos da manada... Ele, Matt e Brianna eram mantidos quase por um escudo de alphas nada simpáticos.

E o clima estava... Maravilhoso pra não falar ao contrário...

- Se minha avó estivesse aqui, já estaria mais calmo... – comentei de canto com Krist.

Minha esposa deu um sorriso lindo – Amor, calma... Qualquer coisa, só saímos da frente e deixamos eles matarem seus pais. – ela riu.

- Muito engraçadinha... – falei a fitando sério, o que a fez parar de rir – Já pensou no trabalho de limpar todo o sangue? E o cheiro? Nem... – ela me bateu no braço e eu ri.

- Certo... Acho que todos vão gostar dos salgados, né? – Krist apontou para as iguarias que comprara para a festinha, salgados da tal padaria que Gerard era mega fã e que ela acabara se tornando também, depois da estadia dele em nossa casa.

Krist como a ótima anfitriã que era ofereceu salgados para todos, obviamente se demorando em Gerard... O que fez meus pais revirarem os olhos e eu pensar no que havia feito para merecer aquilo.

Me aproximei dos dois sabendo que seria bombardeado de reclamações e foi justamente o que aconteceu.

- Podia ter nos avisado que teria esse tipo de gente na sua casa Michael. - minha mãe foi a primeira a se pronunciar, me fazendo suspirar profundamente.

- Essa gente também é minha família mãe.

- Ter seu sangue não significa absolutamente nada. – meu pai contrapôs.

Como eu queria que minha avó estivesse ali... Mas era dia do bingo, ela só chegaria mais tarde.

- E o que são essas coisas que sua esposa está servindo?

- São alguns salgados de uma padaria que gostamos, é típico do Brasil...

- Brasil? Aquele país de terceiro mundo? Por favor filho, você podia mais que isso, tivesse escolhido uns doces franceses... – ela resmungou e voltei a respirar fundo.

Depois do nascimento da minha princesinha, tinha dado uma trégua na briga com meus pais, mas sinceramente? Vontade de mandar a trégua pra puta que pariu...

You Are Not AloneOnde as histórias ganham vida. Descobre agora