Frank Iero

1.1K 118 323
                                    

Oie! oie! oie!


Sei que falei lá no grupo do waths (Quem quiser entrar lá só mandar nome e telefone no privado) que postaria apenas amanhã... Porém, entretanto, todavia, contudo, eu havia me esquecido de que sairei com meus amigos para comemorar meu aniversario, e que provavelmente nem ligarei o pc, e a Mika ainda está de viagem... então para não vir postar so no domingo estou aqui, humildemente postando esse capitulo amorzinho e gostoso de ler hoje...


(E aos curiosos meu aniversario foi segunda feira passada...^^)


Espero que gostem, ate porque depois do capitulo do nosso querido Andy, vocês e nós merecemos algo fofinho e leve ne??

.

.

.


Ficamos três dias escolhendo roupas e mais roupas, logo após isso, quando Gerard sentiu que já não precisava de mais nada, ele tentou montar o ninho, mas, não conseguiu. Já haviam se passado mais dois dias desde então e ele estava a cada instante mais tenso.

Seus hematomas ainda eram visíveis, contudo, seu olhar aflito para as roupas me dava a sensação de que não conseguir fazer aquilo o estava machucando mais do que a dor dos ferimentos.

O pior é que não havia nada que eu pudesse fazer, até pensei em ajudar a montar, entretanto, isso só seria possível se eu já tivesse visto o ninho alguma vez na vida, e notei que agora que ele sabia perfeitamente quais roupas queria, montar algo aleatório o deixaria apenas mais frustrado.

Fiz tudo que estava ao meu alcance. Retirei os móveis do quarto, deixando apenas o colchão, forneci todas as peças de roupas e intensifiquei ainda mais meu cheiro nelas... Não havia mais nada que eu pudesse fazer... A não ser esperar e apoiar Gerard.

Mas vê-lo angustiado e desfazendo tentativa atrás de tentativa estava me deixando aflito e preocupado.

Aquela parte seria complicada, era a primeira vez que ele montava o ninho, ou seja, nem mesmo ele sabia qual era o formato, como encaixar as cores, onde iria cada peça, e eu temia que desistisse.

- Que tal pararmos um pouco?- chamei sua atenção ao voltar para o quarto e vê-lo, mais uma vez, desfazendo o círculo externo que havia montado.

- Acho melhor não, e se eu parar e me esquecer como quero? – me fitou angustiado.

Respirei fundo, refletindo em como poderia convencê-lo – Você já está com ela há dias, não irá esquecer em alguns minutos de distração... – estiquei a mão em sua direção – Vem... Podemos tomar um vinho, o que acha?

Ele ficou reflexivo por alguns instantes até segurar firmemente minha mão, no que o ajudei a levantar.

- Vinho suave ou seco? – questionou curioso.

- Hmm, tem os dois, qual você prefere? – sorri, conduzindo-o até a sala, no que ele deu uma última olhada para trás em direção a porta de meu quarto – Não vai acontecer nada com elas, é meu território, lembra? Ninguém sem minha autorização vai entrar aqui... Vem...

Gerard concordou com a cabeça finalmente aceitando e indo para a sala comigo.

O deixei ali e fui até a cozinha, separando as taças e duas garrafas de vinho uma de cada, já que ele não me dissera qual preferia.

Gerard estava jogado no sofá olhando para o teto, suspirei enquanto observava...

- Como pode ser tão difícil?

You Are Not AloneOnde as histórias ganham vida. Descobre agora