Capitulo 71

1.2K 166 3

                            Nanda

Acordei com meu celular tocando peguei o mesmo era a Carla novamente falando do atraso das encomendas já me bolou logo.

Nanda: ooh erick tu liga pra esse cara é resolve aí com ele pq não está dando não - levantei bufando – porra toda vez a mesma coisa não da uma satisfação os clientes fica reclamando - fui pro banheiro

Fico puta o cara é conhecido dele já que quando nos fala não resolve que ele fale pra da um jeito que assim não da né.

Fui tomar um banho pra despertar já eram 20:30 dormi abeça, neném começou numa gritaria com o cara que só Jesus esse meu marido não é normal  não.

Tudo ele grita não sabe resolver nada na calmaria não se estressa rápido aí surta igual um louco e e

Sai enrolada na toalha fui até o armário peguei uma camisola vesti passei um perfume voltei pro banheiro pra estender a toalha.

2n: pronto agora bora ver se a palhaçada vai continuar - falou assim que voltei pro quarto

Nanda: espero que não continue mesmo não perdi a paciência com ele já - suspirei

2n: vem cá - me chamou – tá me deixando com um tesao danado com essa roupinha aí – mordeu os lábios me abraçando – bora fazer um bebê - beijou meu pescoço

Nanda: Deus me livre erick - me soltei dele – uma hora dessa cara pelo amor de Deus-  neguei

2n: coe cara Alana tá uma moça já po bora fazer um filho aí um mulekão- sorriu

Nanda: sem possibilidades erick descarta isso tá, vamos parar que não é assim não ué - ri nervosa – já não to mas na idade não Alana já tá crescida vamos ter outro filho agora pra que? Daqui a pouco vamos ser avós isso sim - ele fechou a cara na hora

2n: aaah mano vai se foder vai namoral cortou meu clima vaza daqui Fernanda - ficou puto

Sai do quarto gargalhando da cara dele fica puto que é pior bebê passei no quarto da Alana tava lá dormindo fui pra cozinha preparar um rango pra nós.

Fiz um bife e uma batata frita rapidinho fiz um arroz fresco e esquentei o feijão fiz um suquinho de uma chamei o neném pra comer e fui acordar a Alana veio com a cara toda amassada.

Cada um colocou sua comida e sentamos pra comer na graça de paz 2n tava de cara virada pra Alana e ela com um bico maior que o mundo.

Nanda: vao continuar nessa palhaçada até quando? - encarei os dois

2n: quero muito papo com essa vacilona aí não po, me apunhalando pelas costas minha própria filha - negou

Alana: não te apunhalei pelas costas não pai realmente eu fiquei com ele só que não estávamos com esse agarramento que te falaram - suspirou

2n: quero saber mais de nada não Alana que me dá vontade de socar aquele viado lá - voltou a comer

Prendi o riso e comi caladinha Alana tmb erick quando cisma fodeu levantei e fui colocar o prato na pia fui pra sala chamei Alana e fiquei acariciando a cabeça dela enquanto via tv.

Nanda: já decidiu as coisas da viagem? Suas férias estão chegando - sorri

Alana: aaah já sim, falei com a yara a vai comigo mesmo tá? - assenti

Nanda: amanhã vou ver negócio de hotel essas coisas tá

2n: perca de tempo já falei que a está de castigo - apareceu na sala

Alana: aaah pai- interrompeu ela

2n: pronto Alana fim de papo parceiro a de castigo - falou sério

Alana: que merda - levantou bufando e saiu puta logo bateu à porta do quarto

2n: quebra mesmo sua filha da puta - gritou

Nanda: vc não me xinga viado- encarei ele

2n: posso te amostrar o viado quer? - riu mordendo os lábios

Nanda: bem que eu queria mesmo - suspirei

Ficamos ali na sala falando putaria maior tempão depois fomos pro quarto fiz trabalho lindo com a boca já que estava nos dias.

Quando ele parou com o fogo ficamos assistindo filme até tarde e logo fomos dormir.

O preço dessa vida (M)Leia esta história GRATUITAMENTE!