Capitulo 50

1.6K 183 26

Nanda

Nanda: como está minha grávida mais linda - entrei na casa da Karine

Karine: to bem e cansada - riu

Vt: so vive assim ela po - negou – aí nanda vou aproveitar que tu chegou e vou no depósito

Nanda: vai lá rapaz - sentei no sofá

Karine: ele acha que eu preciso de baba - revirou os olhos e ele saiu

Nanda: tem muita coisa pra fazer? - olhei

Karine: tem não ami, só as coisas do cachorro quente mesmo daqui a pouco a minha sogra vem aí fazer os caldos e a torta, salgadinho chega junto com o bolo- assenti

Nanda: Então vamos adiantar essa parada aí - levantei com ela indo pra cozinha.

O baby da minha amiga e um meninão tá com a barriga tão linda, hoje e o chá dela estava tão ansiosa quanto ela esse momento e tão maravilhoso e único em nossas vidas.

Sentamos na cozinha e fomos picando a salsicha e conversando quando acabamos picamos as coisas do molho deixei tudo no pote pra depois bater.

A sogra dela chegou pra fazer uns caldos fui na barraca comprar uma cervejinha pra nós logo voltei peguei dois copos coloquei e fiquei ajudando ela.

{...}

Estava já arrumada só esperando o Caique chegar pra ir pro chá e aqui no terraço dela mesmo sai de lá tava a coisa mais linda.

Nanda: parece até uma princesa né - deu um selinho nele assim que passei no portão

Caique: você que é toda apressada - riu e segurou minha mão

Alana já tava pra lá com minha mãe e Ellen atravessamos à rua e entramos subimos direto pro terraço de mãos dadas povo tudo olhando cara do neném quando viu não foi das melhores também.

Caique: aí barriguda repara não depois compro uma coisinha melhor pro mlk - entregou a bolsa pra Karine

Karine: aaai Caique esquenta não menino - abraçou ele é pegou a bolsa

Nanda: aaaaai tá tudo tão lindo - sorri – vem borá sentar ali - puxei o Caique

Sentei com minha mãe, Ellen, Alana e tia Celia tinha um guaraná na mesa coloquei no copo copo pra mim e pro Caique e dei um gole.

Ruth: vcs vão se assumir quando? -  olhou

Caique: iih tia sua filha so me enrola  - riu

Nanda: to fora de laço mãe - ri bebendo meu guaraná 

Celia: vocês são uma comédia - negou

Chá tava uma maravilha clima tava tranquilo bebendo de leve minha amiga tava numa felicidade que só, vt então todo bobo com a vinda da Pedrão dele.

Karine tirou foto com todo mundo depois fizemos a brincadeira pintamos ela toda foi uma graça final deu tudo certo.

Nanda: vamos pro baile Ellen- olhei pra ela

Ellen: aaai vou não Cunha - forçou um sorriso – to cansadona - neguei

Celia: faz porra nenhum e tá cansada nunca vi uma coisa dessa.

Nanda: eu sinceramente estou lavando minhas mãos sabe, vc que ficar se privando das coisas enquanto Lucas está com outra por aí problema é seu - levantei e sai

Fui ajudar Karine guardar algumas coisas depois fui atrás da Alana ver aonde ela estava.

Nanda: filha vem cá vem - chamei ela que tava na moto do pai desceu e veio correndo

Alana: oi minha rainha - me abraçou

Nanda: mamãe vai sair tu vai lá pra sua avó tá - ela fez um bico

Alana: queria ficar com meu pai - bufou

Nanda: acho que ele vai pro baile filha ver com ele

Ela assentiu e foi correndo pra ele eu fiquei no portão olhando ela lá falando com ele viado tem todos os defeitos mais trata essa filha com tanto amor uma coisa linda de se ver.

Namoradinha dele apareceu com a amiga dela quando me viu no portão já se grudou no pescoço do outro deu uma vontade enorme de rir dela coitada.

A outra cheia de graça pra cima do Lucas e a otaria lá em cima da uma raiva cara Ellen e lesada.

Nanda: se liga em Lucas sua namorada tá aqui dentro da ideia pra piranha mesmo - falei alto

Lc: coe Fernanda pega sua visão cara - me olhou

Nanda: pega a visão não Lucas vamos virar homem porra, tá de sacanagem né e a convivência que te tornou isso aí novamente né - neguei

Luiza: aaai o que essa menina tá falando - me encarou

Nanda: você fecha seu bico que meu assunto e com meu irmão projeto de piranha - me aproximei

2n: coe Fernanda Alana tá aqui controla aí - me encarou

Nanda: Alana vai lá chamar a Ellen e fica com sua avó lá dentro - ela assentiu com os olhos arregalado e entrou – e mulher de pegar homem comprometido bate de frente com a mulher dele também ridícula - olhei a vadia que tava de carão.

Luiza: mimimi de chifruda - riu

Na hora voei em cima dela já dando uma porrada ela me puxou que eu já cai por cima dela socando aquela cara dela mas logo senti me puxarem.

Nanda: me larga merda me larga - me sacudi

Caique: ei calma para para - me abraçou forte

Ellen: que isso me chamou pra que? - me encarou

Nanda: tu está lá em cima igual uma trouxa e a amante do seu marido aqui fora de graça pra cima dele - Ellen arregalou os olhos

Caique: para com isso cara - falou baixo

Nanda: se enxerga Ellen vamos acordar pra vida porra - gritei e o Caique me arrastou pra casa

Tava puta minha vontade era de dar na outra mais a afrontosa não perde tempo então foi ela mesmo.

Tava espumando Caique ainda falando abeça que eu não tinha que me rebaixar a isso só ódio o barraco ainda rolou lá na rua mais ele me trancou aqui dentro fui logo pro banheiro tomar um banho pra relaxar a mente que ainda ia pro baile não to morta e quero problema.

Chá de bebê da Karine.

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.
O preço dessa vida (M)Leia esta história GRATUITAMENTE!