Capitulo 37

2.1K 229 28

                                2n

Achei que Fernanda não ia da as cara no baile hoje quando vi ela fiquei até mais animado né ia investir legal nela mais Luiza queria ficar agarrada de qualquer jeito mano tava correndo de todas as formas mesmo nem liguei.

Toda hora eu chamava na encarada fui atrás mesmo aí a outra doida veio surtar tomou logo o dela pra ficar esperta e quando eu aparecer na base dela vai tomar o meu.

Aonde já se viu querer tirar onda com minha mulher parceiro tem essa não eu compro barulho mesmo Fernanda e minha po doidona vai ser cobrada.

Botei logo pra vazar tava fazendo muita graça Fernanda também meteu o pé fiquei até bolado mais deixa vou brotar na casa dela depois.

2n: pega a visão depois se Fernanda foi pra casa  - falei

Lc: mano desencana porra- negou – já viu a treta que isso tá dando deixa a Fernanda na dela - tragou o baseado

2n: ao, se mete na tua vida porra - bolei logo – depois tu ver pra mim essa porra e fica na sua - encarei

Lc: vai se foder meu cunhado, vai se foder - falou serin e saiu fora

Outro mandado po e igual a irmã essa porra tá no sangue e dois fdp mesmo da vontade de cair no braço com ele legal po.

Meti o pé fui pra casa já tava de manhã passei na padaria peguei aquele café e fui pra base, só tomei um banho e apaguei.

{...}

Acordei já quase 16:00 joguei uma água no corpo me arrumei e vazei fui pegar um rango na pensão celular tava cheio de msg inclusive da Luiza saindo daqui meu papo e com ela.

📲?📲

?: gostei muito da sua atitude neném
?: me botou pra vazar por causa dela
?: ODIOOOOO

- coe Luiza tá em casa?

?: estou, pq?

- vou brotar aí já, tá com quem?

?: sozinha, minha avó acabou de sair

- suave, só vou comer aqui.

📲?📲

Voltei a comer pedi uma coca bebi em dois tempo quando acabei fui lá no balcão paguei a parada é meti o pé pra casa da outra lá.

Chamei ela demorou nada abriu a porta toda sorridente já apliquei um soco pelo peito fazendo ela ir pra trás entrei já batendo à porta.

2n: tá maluca tu mano, coe da sua fdp - dei um pescoção - vai se foder em Luiza vai entrar na porra da linha na base da porrada vagabunda - passei uma banda nela.

Luiza: para neném, para - se encolheu no canto do sofá

2n: agora é para né fdp - puxei pelo cabelo fazendo ela levantar – na hora de fazer show com minha mulher tu tava gostando - dei um tapão na cara dela

Luiza: desculpa amor - começou a chorar

2n: namoral mano vai se foder - joguei ela no sofá – mete bronca pra Fernanda não fdp ela é minha mulher porra tá confundindo demais já - passei a mão no rosto - fica espera - dei as costas e sai fora.

Tava no veneno sai da casa dela e atravessei logo pra Fernanda cheguei na casa dela liguei pro viado do irmão dela demorou um pouco ele veio abrir o portão.

Lc: ela tá azeda em, acordou virada - suspirei

2n: tá suave - entrei com ele.

Quando entrei na sala que ela me viu já fechou a cara prendi até o riso foi engraçado.

Nanda: ooh pode caçar teu caminho, to querendo papo não ainda mais com você - falou bolada

2n: ue, vai nem me escutar? - me aproximei

Nanda: não quero, não perde seu tempo - voltou a olhar pra tv

Ruth: boa tarde pra você também erick - olhei pra ela rindo

2n: foi mal ae sogra - ela riu

Nanda: ela não é sua sogra bofe, se manca - negou

2n: bofe o crlh rapa, borá conversar lá em cima - ela revirou os olhos mais cedeu.

Subi atrás dela quando entrei encostei à porta e me aproximei da cama sentando na mesma encarando ela.

2n: foi mal por ontem po, Luiza passou dos limites - passei a mão no rosto

Nanda: ela só falou a verdade erick eu fui chifruda mesmo né- me encarou – você tava com ela quando eu tava presa você continuou com ela quando eu voltei EU peguei vocês juntos né erick - riu de lado – ela mentiu? Não mentiu não você tava com ela po errado de tudo foi você.

2n: que tava com ela o que Fernanda tá de ideia errado po, peguei ela quando tava com você não cara - ela gargalhou

Nanda: sou maluca eu 2n- falou seria – ela tava fazendo o que no seu corpo e tu comprando lanche? - suspirei

2n: papo não é esse não po, só quero dizer que to com ela não - ela negou.

Nanda: lógico que não né, tu está com todo mundo cadê a sua ruiva -

2n: borá falar de nós cara - suspirei

Nanda: o nos acabou VOCÊ acabou com nos - falou tranquila

2n: sabe que não é assim né? Você sabe que eu não vou aceitar isso parceiro - fiquei puto já

Nanda: voce não tem que aceitar nada e ficar fazendo esse seu show por aí vai tá feio pra tu po, vai sair como chifrudo- riu

2n: namoral quero conversar com você não mano - levantei puto – só te falo uma coisa parceiro eu vou te matar

Nanda: to com muito medo - debochou

2n: brinca mesmo po, Bglh e sério da um fim nesse mlk te pegar com ele eu vou te matar po - sai desci a Ellen tava lá sentada na sala – você pode caçar o caminho de casa em

Ellen: aaai vai tomar conta da sua vida cara - revirou os olhos

Falei foi nada fui pra fora fiquei esperando o Lc e depois atravessamos pro jaca de novo tava indo pra boca passei em frente à casa da Luiza ela tava sentada na porta com a amiga bebendo dando altas gargalhada.

Lembrei da parada que a Fernanda falou já me subiu o ódio de novo voltei parei a moto e já fui pra cima rebocando ela.

Queria saber não parceiro larguei o soco firme ela começou a gritar tentando se proteger e eu só socava ela.

2n: não quero ver sua cara na rua fdp - gritei – entra nessa porra te pegar na rua vai toma mais porrada - dei com a cabeça dela na porta

Lc desceu da moto e me puxou ela entrou chorando com a amiga dela tava puto fdp me forjando tnc sentei na moto e segui meu rumo.

O preço dessa vida (M)Leia esta história GRATUITAMENTE!