Capitulo 62

2.1K 206 15

                          Nanda

Nanda: aaai Alana porra tá me estressando já hein vaza daqui - berrei

Alana: aí tchau chata - entrou resmungando

2n: coe do caó aí Fernanda - apareceu na varanda

Nanda: Alana ta de sacanagem ue que ficar mudando esse crlh toda hora ninguém tem o tempo dela não - revirei os olhos

2n: ue eu paguei essa porra deixa a menina mudar as coisas dela - minha cara esquentou – vem logo Alana - chamou ela

Nanda: vai pra puta que pariu os dois - sai bufando

Palhaçada Alana inventa as coisas em cima da hora e quer ficar mudando a menina montou de um jeito ela pediu outro, a menina mudou ela queria não sei o que me estressei logo. Não satisfeita foi chamar o escroto do pai entrei virada mesmo.

Celia: que cara e essa menina - me olhou

Nanda: aaai esse seu filho e um ridículo - peguei uma garrafinha de água abri e comecei a beber

2n: coe mozao foi mal po - chegou me agarrando por trás

Nanda: sem necessidade né erick - encarei ele

2n: a mano vamo brigar atoa não po- beijou meu pescoço – deixa ela se virar lá com as coisas do jeito dela.

Nanda: tá senhor - dei um selinho nele – vai ver logo as bebidas

Fui ajudar minha mãe e minha sogra a picar as coisas enquanto o outro foi com Lucas ver as bebidas.

{...}

Carla: tomo chegando em - falou entrando

Karine: amii arrasou tá lindo ali fora

Nanda: acredita que ainda nem vi a nojenta que tá se virando lá - ri

Carla: coitada Fernanda - negou

Nanda: Cade o Carlos e o vt?

Karine: tão ali fora ajudando o 2n e o Lc com as bebida - assenti – borá ali rapidinho quero falar com você - cu já trancou

Subi com ela ajudei com as bolsas fomos pro quarto que ela ia ficar Karine encostou a porta eu sentei na cama olhando pra ela.

Nanda: desembucha sem enrolar - ri nervosa

Karine:  amiga o 2n matou a Luiza - arregalei os olhos na hora

Nanda: tá doida Karine - neguei andando de um lado pro outro – erick saiu e veio direto pra cá cara ele chegou aqui cedo - passei a mão no rosto

Karine: amiga ele chegou de noite foi pro morro ele matou ela, colocou a vó dela pra meter o pé e mandou derrubar a casa - neguei – tava maior comentário no morro ele levou ela pro miolo na porrada geral vendo - suspirei

Nanda: crlh mano que porra - passei a mão no rosto – ele matou ela como Karine? - senti um no na minha garganta

Karine: como ele sempre fez - abaixei a cabeça negando – picotou ela é queimou o corpo

Nanda: Pq ele tá fazendo isso agora cara - ela me abraçou e eu comecei a chorar – ele ficou 5 anos longe da família ele tá mudando eu sinto amiga ele está outra pessoa, pq ele vai deixar esse monstro voltar agora - solucei

O preço dessa vida (M)Leia esta história GRATUITAMENTE!