Capitulo 38

2.1K 246 26

                          Nanda

Tava conversando com minha amiga e resolvi da um rumo na minha vida sair da casa da minha mãe buscar minha independência.

Karine disse que em frente à casa dela tem uma casa vendendo mandei msg pro neném falando que queira um canto pra mim e pra Alana falei da casa e ele disse que ia resolver tudo.

Sai do curso e fui direito pro jaca ia da uma olhadinha lá, coloquei um pagode de leve e fui cantarolando o caminho até lá.

Chegando estacionei em frente à casa da Karine dei duas buzinadas ela logo apareceu no portão.

Nanda: to morrendo de fome piranha - desci do carro travando o mesmo

Karine: ainda e abusada você né - me abraçou – ali à casa e aquela ali o - apontou

Nanda: hmm nada que uma reforma pra melhorar né - ri e entramos

Fui ajudar ela a fazer comida, temperei o frango coloquei no tabuleiro e pus no forno pra assar ela colocou o arroz no fogo preparei uma farofa.

Sentei e ficamos conversando até a comida ficar pronta arrumei a mesa na hora que Karine ia ligar pro vt ele chegou falando abeça demorou nada entrou na cozinha e o embuste atras era só o que me faltava.

Vt: Iae nandinha de boa - acenou e foi até a Karine dando um selinho nela – trouxe o mano pra comer aqui.

2n: Iae Karine, fala ae nanda - puxou a cadeira sentando de frente pra mim.

Karine me olhou querendo rir eu revirei os olhos ela pegou as coisas e colocou mesa e cada um se serviu.

Almoço tava uma dlç almoço até foi agradável tirando os papo mole que o neném dava coitado tá achando que vou cair nessa lábia dele conheço o cachorro que eu vivi muito bem.

2n: aí descolei a chave da casa ali que ir lá da uma olhada? - me encarou

Nanda: aaah vou ajudar a Karine aqui depois ela vai lá comigo - levantei

Karine: pode ir lá amiga se procura não - riu

2n: vou te morder não po só vou te levar pra ver a casa - assenti

Nanda: tá erick vamos lá - sai na frente.

Fui andando pra rua e parei no portão esperando ele abrir quando entramos tinha nada demais quintal tinha um espaço legal mas tava cheio de mato.

Ele foi até à porta a abriu a mesma já dei de cara com um espaço vazio era bem espaçoso até dei uma olhada no restante da casa ate que gostei mais iria mudar totalmente.

Nanda: gostei, so que quero subir os quartos - suspirei

2n: tem problema não po, vou ver com o coroa ai fechamento e pedreiro tu acerta tudo com ele po - assenti – e nos dois fica aonde? - mandou sérin

Nanda: bora Erick já vi a casa - dei as costas mas ele me puxou

2n: borá recomeçar cr, da uma chance nanda - alisou meu rosto

Fechei meus olhos suspirando fundo está perto dele assim e muito ruim me bate a saudade mas eu sou forte eu não posso e não vou aceitar tudo novamente.

Nanda: acho que nos já deu erick - suspirei – nosso casamento acabou quando eu fui presa - me soltei dele e sai.

Voltei pra Karine peguei minhas coisas despedi dela e sai fora deixei nem ele falar mais nada pq depois de tentar e não conseguir ele surta e ameaça.

O preço dessa vida (M)Leia esta história GRATUITAMENTE!