Capitulo 2

5.2K 398 9

                          Nanda

2n: coe da sua po deu uma de maluca parceiro - apertou o volante

Nanda: dei não po eu tava privada e você pagando de solteiro aqui pegando geral - ri – tem jeito não cada um por si

2n: brinca muito - gargalhou – última forma quem da sou eu po - ligou o carro e voltou a andar.

Encostei minha cabeça no banco suspirando fundo esse puto me causa várias sensações mais o que ele fez foi muita mancada.

Me distrai legal pensando era tenso ficar do lado dele depois de 1 ano eu o amo mais to muito magoada com tudo que aconteceu acho que não valeu a pena tudo que passei por causa dele.

2n: ou mandada borá entra po - me sacudiu

Nanda: ham, oi- olhei em volta vendo que estávamos na casa dele – me leva pra casa não quero ficar aqui - suspirei

2n: para de graça Fernanda sua casa e aqui porra - saiu do carro batendo à porta.

Respirei fundo e desci do carro seguindo ele assim que passei no portão já me veio várias lembranças as resenhas aqui na laje vários momentos bons.

Entrei em casa atrás dele nada mudou tudo do mesmo jeitinho arrumado minha sogra sempre teve pavor de bagunça.

Fui pro quarto nada havia mudado fiquei parada um tempo na porta olhando tudo tendo várias recordações até ele me tirar do transe.

2n: colfoi vai ficar dai- me encarando

Nanda: Não Não- sai do transe caminhei até a cama e sentei na ponta suspirando.

Depois de um ano era complicado retorna aqui como se nada tivesse acontecido pra ele e normal só que pra mim não é aconteceu muita coisa e não tem como passar uma borracha por cima disso tudo.

Levantei indo até o armário como imaginava minhas roupas ali em perfeito estado peguei uma levinha de dormir e fui pro banheiro.

Fiz um coque tirei a make e entrei na água quentinha relaxando depois de um bom tempo eu sai enrolada na toalha vesti minha roupa e estendi a toalha, escovei meus dentes e voltei pro quarto ele tava sentado na cama mexendo no celular mas logo bloqueou e foi pro banheiro.

Eu arrumei a cama liguei o ar apaguei a luz e deitei me cobrindo toda bglh daqui a pouco fica pique montanha.

Demorou nada ele voltou pro quarto só com um short da Nike e deitou do meu lado tava todo cheirosinho cachorro pena que é um puto né.

2n: colfoi nanda aquela parada lá esquece po, sabe que te amo pra crlh minha única mulher e tu rapa, mãe da minha princesa vocês são meu Porto Seguro cr- suspirou

Nanda: 2n eu não quero conversar sobre isso agora eu estou cansada - suspirei

2n: que mane 2n o que Fernanda, coe rapa nunca me chamou assim coe da sua - já ficou putinho

Nanda: tá bom neném borá dormir- virei pro canto

Só ouvi ele bufando falou mas nada e eu fiquei na minha também tava cansadinha só querendo pegar no sono mas o outro se acochou e começou me alisar.

2n: coe amor borá matar a saudades - cheirou meu pescoço

Nanda: não neném que saudades o que tu já matou muitas saudades por aí com suas piranhas - respirei fundo

Tu né ouviu? Nem ele! Ficou perturbando me alisando beijando que eu não resisti quando fui ver já tava pelada sentindo aquela piroca dele entrar me rasgando novamente depois de 1 ano.

Pode- se dizer que perdi a virgindade com esse puto duas vezes né kkk ooh droga.

Nanda: hãm... isso vai 2n mete - gemia no ouvido dele enquanto ele me penetrava com vontade.

2n: cachorra fdp- bateu na minha cara – tava com saudades porra - apertou minha cintura e foi metendo mais.

Nossa manhã se resumiu nesse fode fode gostoso me deixou molinha eu não aguentava mais nada quando ele resolveu parar tomamos um banho e apagamos agarrados.

{...}

Acordei com minha cabeça latejando tava com uma ressaca do crlh olhei pro lado o outro dormindo passei a mão no rosto lembrando dessa manhã não me arrependo só que não vai passar disso não vou ser chacota da favela por cachorrada dele não.

Levantei indo pro banheiro coloquei no gelado e tomei um banho relaxante quando sai fui pro quarto peguei uma bermudinha e um cropped e vesti passei perfume passei a escova no cabelo e deixei secando natural mesmo.

Arrumei a pequena bagunça feita e sai do quarto cheiro de comida já fez meu estômago roncar desci tava lá a Ellen toda jogada no sofá quando me viu deu um pulo.

Ellen: Mds não acredito - já veio correndo me abraçar e eu comecei a rir – quando tu saiu cr, ooh mãe olha quem tá aqui- gritou e eu ria demais

Celia: não acredito - me abraçou assim que me viu– minha norinha favorita - alisou meu rosto

Nanda: eu estava com tantas saudades de vocês - abracei as duas juntas e comecei a chorar

Celia: você não imagina como era difícil acordar sem você aqui minha filha - me abraçou forte – esse pesadelo agora acabou ergue a cabeça e siga em frente - limpou meus olhos

Eu sorri e parei de chorar aos poucos, ficamos um tempo conversando sobre tudo como foi esses 1 ano ela é Ellen me contou de tudo que neném aprontou mas tmb disse que ele sentiu demais.

Não é pq é mãe dele que passa  a mão na cabeça  Celia e certo pelo certo não acoberta safadeza mesmo ainda mas do neném ela viu o que passei com ele eu vim morar com ela novinha sempre cuidou de mim como mãe Ellen e mais que cunhada e uma irmã pra mim essa é minha segunda família independente de qualquer coisa.

Celia: e vocês se resolveram- eu neguei e terminei de por minha comida

Nanda: por mais que eu ame ele é difícil saber que enquanto eu estava lá ele curtia aqui uma vida de solteiro sabe- suspirei

Celia: e complicado conversei tanto com Erick sobre isso tentei por juízo na cabeça dele mas quem disse que ele ouvia? Tava fazendo tudo diferente e se agora ele tiver que pagar as consequências ele vai pagar sabe que sempre vou te dar todo apoio né - sorriu

Nanda: Eu sou muito grata por ter vocês em minha vida- sorri

Nos comemos ali entre conversas depois ajudei arrumar a cozinha ficamos na sala batendo maior papo quando o outro desceu todo arrumadinho já.

2n: boa tarde família - veio me da um beijo eu virei mas ele segurou meu rosto e beijou mesmo assim– vejo que tão colocando o papo em dia né - sentou do meu lado

Celia: e você já vai pra onde lindinho - encarou ele

2n: resolver umas parada aí no morro, descola um rango aí

Celia: tá lá no microondas - ele levantou e foi pra cozinha.

Eu não falei nada só fiquei imaginando que seria mas difícil do que eu pensava sair dessa relação.

O preço dessa vida (M)Leia esta história GRATUITAMENTE!