Capitulo 13

2.4K 229 11

Nanda

Hoje acordei cedo e sai pra resolver as coisas fui no curso de inglês matricular Alana matriculei ela no ballet também ocupar mais a mente. Depois passei na alto escola e me matriculei.

Depois de resolver essas coisas fui pro jaca uber me deixou na entrada eu fui andando tranquilinha.

Quase chegando na minha sogra tá o bonito parado de moto conversando com uma mina encarei bem respirei fundo e me aproximei papo parecia tá bom pq ela não parava de sorrir mas vai sorrir já já com minha mão na cara dela vadiazinha.

Nanda: posso participar da conversa - parei do lado dela dando uma encarada nos dois 2n arregalou os olhos na hora

2n: tá fazendo o que aqui Fernanda- me encarou sério

Nanda: papo aqui deve está bom né - olhei pra menina – tem mas oq fazer não piranha - ela riu

Aaaaah quando ela riu eu agarrei no pescoço dela já dando uma porrada seguida de outras só senti 2n me puxando pra mim largar ela joguei ela pra cima da moto que caiu igual bosta com moto e tudo.

Nanda: vai se foder otario tem muito que tomar nesse seu cu - apontei pra ele e sai fora bufando.

Fiz um coque no cabelo e segui pra minha sogra muito da puta odeio desse fdp que raiva. Cheguei espumando ela tava vendo tv não entendeu nada fui pra cozinha beber água pra acalmar e o outro chegou atrás fazendo show.

2n: Cade essa fdp - bateu à porta

Celia: que isso mlk tá maluco - encarou ele

Nanda: que foi Erick - sai da cozinha – vai me bater agora por causa da sua piranha - encarei ele – VAI, ME BATE OTARIO - gritei

2n: para de gritar po vai abaixando sua bola - veio pra cima de mim já segurando meu cabelo – tá achando que tá falando com quem Fernanda.

Celia: larga ela erick - levantou entrando no meio

Nanda: deixa sogra, deixa ele me bater pra ele ver se eu não sumo - encarei ele que tava bufando

2n: tenho medo de ameaça não Fernanda gosto de falar e fazer - me empurro pra trás me soltando – tá passando batida tu não quando eu te pegar eu vou machucar sem necessidade a cena que tu fez lá po arranhou a porra da moto toda - saiu puto.

Ellen: nossa que gritaria e essa já de manhã - se jogou no sofá

Celia: seu irmão e Fernanda se atracando aí - negou sentando – oq aconteceu na rua Fernanda? - me olhando

Nanda: Tava de papo mole com uma vadiazinha aqui em baixo eu dei nela joguei ela por cima da moto dele - elas começaram a rir.

Ellen: que isso bibi perigosa - começou a zoar

Celia: da próxima faz pior minha filha mostra pra elas quem manda - riu

Elas ficaram zoando abeça depois de um tempo minha sogra foi fazer almoço ajudei ela quando ficou pronto o outro chegou na cara de pau.

Dei nem ideia coloquei minha comida sentei na minha e comi na paz sem trocar um olhar com ele. Quando acabei deixei o prato na pia e subi fui escovar o dente quando sai do banheiro ele tava sentado na cama.

2n: vem cá Fernanda - encarei ele negando - vem logo porra - bufou

Nanda: fala cara to sem paciência pra você - me aproximei e ele me puxou fazendo sentar na perna dele.

2n: já não te falei que to suave precisava chegar daquele jeito po- me encarou – sabe nem o proceder já foi agredindo a mina do nada cr.

Nanda: do nada Não nenem, pelo deboche dela e quero nem saber marquei a cara dela se me olhar vai tomar porrada de novo - ele negou.

2n: se Poe no seu lugar po vai ficar se atracando aí por nada não - negou – pega a visão Fernanda depois vou sair da lógica com você vai falar que é por causa de piranha Tlgd que odeio essa porra de briga mano.

Nanda: aaai cr da licença - fui levantar mas ele segurou com força.

2n: termina de arrumar as coisas pra nós meter o pé logo nega - cheirou meu pescoço - po to com maior saudades de tu - segurou meu cabelo me olhando e veio me beijando.

Resisti não me atraquei com ele ali mesmo clima esquentou que logo tava tomando pirocada no útero.

2n: vai filha da puta - bateu na minha bunda com força – rebola gostoso pro seu macho vai porra - deu outro tapa.

Nanda: aaan- gemi rebolando na pica dele

Tava pra chegar no meu limite já ele só dando socadão não ia aguentar mudamos de posição fui por cima dele sentando com vontade aí eu brinquei com ele mas demorou nada pra ele me virar na cama e voltar a comandar.

Demorou nada eu tava gozando juntinho dele respirei fundo tentando me recompor depois levantei colocando a blusa dele e fui arrumar as coisas.

Bonito ficou vendo tv e eu arrumando a mala dele cara ridículo depois que arrumei peguei as caixa que estava no canto coloquei os sapatos deles e os meus.

Arrumei minhas maquiagens em outra caixa com perfumes e hidratantes deixei tudo no canto e fui pro banheiro. Tomei um banho lavei o cabelo sai enrolada na toalha o bonito tava dormindo.

Coloquei outra blusa do neném sequei meu cabelo e deitei abraçando o mesmo e dormi.

O preço dessa vida (M)Leia esta história GRATUITAMENTE!