Capitulo 106

1K 207 32

2n

Nanda: vai aonde erick? - encarei ela

2n: porra mano vou ali resolver uns b.o com seu irmão - suspirei sentando

Nanda: que foi que houve agora? - me encarou

2n: papo de vacilação Fernanda - neguei – a mina la está traindo seu irmão po- na hora ela riu

Nanda: bem feito - gargalhou – um dia da caça outro do caçador né - neguei

2n: vocês e mandadona com essas parada né por isso ficam careca de bobeira - levantei

Nanda: quero e prova que eu fico careca - jogou o cabelo e eu ri

2n: vou lá na direção dele em cuida aí qualquer coisa me liga - dei um selinho nela – o mano tu manda a sua filha vir embora pq se eu for buscar ela vai prestar não em - mandei serin e sai fora

Só pica Alana tá achando que tá passando batida inventou de se enfiar agora na Penha atrás da filha do mano lá quando não está na Penha e na mangueira eu vou fazer ela passar uma vergonha que esse fogo dela e da Yara vai acabar rápido euhein.

Sai de casa sentei na moto e fui pra boca na direção do mano porra bglh de traição e foda mano ainda mais trair vagabundo que isso papo de morte po.

Vt: fala chefinho- riu assim que cheguei

2n: vai cuzao - apertei a mão dele e sentei – aí faz a ronda na favela aí quero trocar uma ideia aqui - falei com os mlk que tava ali

Lc: lá vem bomba - coçou a cabeça

2n: pior que é bomba mesmo mano- olhei em volta pra ver se tava vazio – papo que tá rolando aí e que sua mina tá com o Dinho - ele arregalou os olhos

Lc: colfoi Erick papo mandado porra - levantou puto

Vt: coe irmão - me encarando

2n: na pureza po, tão junto não é de hoje lá na nova mano de lá me mandou umas fotos po- peguei o celular e dei pra ele

Lc: fdp do crlh - fechou a mão – vou matar essa arrombada vadia - deu um bico na cadeira

Vt: pera aí lc não é assim po a mina e mãe do seu menor rapa tá maluco

Lc: foda-se mano vai morrer po vagabunda merece isso - passou a mão no rosto

2n: parceiro tu vai esfriar a cabeça tá ligado? Vai fazer merda não po sabe que vai se arrepender depois rapa tá doido? Vai falar oq pro seu menor quando crescer para e pensa porra - falei sério

Lc: quero só que essa puta apareça na minha frente só isso - saiu puto

Vt: pqp que pica rapaz - negou – a mina tá aqui na favela não né? - me olhando

2n: tá não po- rádin apitou

Xxx: coe chefe da uma atenção
Xxx: fala cmg chefe, lc tá dando tiro na casa do mano aqui o

2n: visão cria, já vou brotar aí - suspirei – começou a surtar já - neguei

Peguei minha moto e fui atrás dele na casa do Dinho porta tava arrombada e o viado quebrando as paradas do cara.

Lc: me encosta não em erick- falou assim que me viu

2n: bora vazar po tá vacilando aí mano

Lc: pq não foi tu que tomou chifre crlh - gritou – vou matar esse fdp do crlh - deu tiro na tv

2n: suave lc, espera o cara chegar e resolve com ele vai ficar atirando aí igual maluco não po- falei sério – vai cobrar dele vou se meter não mais matar a mina tu não vai não em leva pro desenrolo deixa careca faz oq quiser mais quero ela viva - virei as costas e sai

Vou deixar ele fazer oque quiser com o Dinho mano vacilou po alandelon na favela tem vez não. Agora a mina e desenrolo po, mãe do filho dele depois vai se arrepender aí de bobeira.

Sentei na minha moto e fui pra casa cheguei a bonita tava lá no sofá deitada do jeito que sai.

2n: Alana já chegou? - falei sério

Nanda: aí Erick me conta a fofoca primeiro  - revirou os olhos rindo

2n: pega a visão Fernanda mano tá lá puto po, com razão mais vainest cobrado - fui pra cozinha peguei um copo de água e voltei

Nanda: ele bateu nela? - olhando

2n: mina tá na favela não cara mais quando chegar vai ser cobrada só dei a última forma que quero ela viva o mano e com ele mesmo.

Nanda: nunca esperei tanto pra ver essa piranha careca - gargalhou

2n: fica querendo o mal dos outros né - encarei ela sério

Nanda: a pessoa colhe oque ela planta né - me olhou – a amiga dela que você matou serviu de lição mais ela quis ficar nessa tá aí a vez dela chegou- neguei

2n: fala merda pra crlh tu mano matei ninguém não po tá doidona

Nanda: Erick todo mundo sabe que você matou ela pra que negar - respirei fundo

2n: mano matei ninguém não porra - fiquei logo puto– cadê a Alana também? Vocês tão levando fé em mim não né - sentei do lado dela – aí filhão elas tão brincando com nossa cara vão ficar pegadas - ri

Fiquei ali namorando um pouquinho sem safadeza mesmo Alana chegou emburrada com a Yara nem ligo tá achando que se manda vai tomar logo um se liga pra ficar esperta as duas.

O preço dessa vida (M)Leia esta história GRATUITAMENTE!