Capitulo 76

1.2K 199 21

                              2n

Fernanda e foda eu falo vocês não acredita e toda mandada essa porra, nunca vi mermão tem o espírito do barraco ali tudo ela faz o show dela.

Gosto disso não po feiao esssas parada maior vergonha gosto da postura mais aí Tmb a mina veio atrás po. Vt já tinha comentado que as mina tava na maldade eu nem reparar tinha reparado.

Aí Fernanda já veio falar delas eu tava suave parceiro te falar mulher jogou praga pica da bem sinal pra ninguém só tá subindo pra ela mesmo.

Ela arrumou o barraco todo dela aí a mina veio falar graça me estressei logo se eu tivesse doidão já teria largado o braço nela mano dela botou pra vazar Fernanda grudou em mim que eu ri por dentro e muito maluca mermo.

Pra completar lc chegou com a mina lá porra ela já começou com os show de novo mano e muito vacilao também cara eu se meto não po.

E minha irmã mais não quer abraçar o papo o cara já falou que a mina tá deixando a desejar po, faz nada da vida fica só dentro de casa não se arruma casamento cai na rotina né aí vai atrás na rua. Geral já tentou abrir o olho ela não quer então não é eu que vou me estressar o importante é meu casamento parceiro graças a Deus tá bem pra crlh e vai prevalecer.

A doida foi embora marquei com os cara mais demorei muito tmb não era 5 e pouca eu meti o pé cheguei em casa fui tomar um banho deitei peladão do lado dela tava na maldade.

2n: coe Fernanda acorda ai - balancei ela nem se mexeu – coe cara - alisei a bunda dela

Nanda: q foi Erick me deixa dormir porra - resmungou virando de costas pra mim

2n: bora da uma namorada rapidinho cara - dei um tapa fraco na bunda

Nanda: aain amor, to muito cansada - falou com a voz molinha cachorra

2n: precisa fazer esforço não cara pode deixar comigo - abracei ela

Tava só de calcinha fdp coloquei de ladinho apoie a perna dela na minha posicionei meu pau e penetrei ela devagar que soltou um gemido baixinho, fdp quer e fica fazendo jogo.

2n: tá acordada de fdp- puxei o cabelo dela e chupei seu pescoço

Nanda: aaan neném - gemeu e deu uma rebolada

2n: piranha da porra- dei um tapa na bunda dela e comecei a estocar forte

Enquanto uma mão tava enrolada no cabelo dela a outra segurei em sua cintura e toma pica. Bglh ficou doido catuquei lá dentro sem pena até sentir ela toda molinha gozando na minha pica.

Quando ela gozou já levantei puxando ela pus de quatro e voltei ao trabalho só ritmo louco o brinquedo tava vivão rapaz.

Ela rebolava pra crlh me deixando excitado pra porra teve uma hora que aguentei não cravei nela firme e gozei pra crlh dentro dela, porra leite saia igual jato.

Ela deitou na cama ofegante eu deitei abraçando ela ficamos um tempo assim só ouvindo um a respiração do outro.

2n: te amo pra crlh Fernanda - alisei a cabeça dela

Nanda: eu também te amo demais Erick - sorriu e virou me olhando

2n: promete nunca desistir de mim? Sei que sou erradão vacilo como respiro mais tu sabe que eu te amo pra crlh mano - ri de lado – 15 anos Fernanda porra e uma vida mano - olhei pro teto

Nanda: eu prometo neném só quero que me prometa que nunca mais vai me magoar, vc sabe que eu te amo vc tem tudo em casa tem a mim tem a nossa família não tem por que caçar na rua - suspirou

2n: me arrependo de tudo po era mlkão to velho já po tenho necessidade de ficar atrás de mulher por aí não a mulher que me completa que me importa tá aqui do meu lado - ri – nos e pra todo sempre minha mandada

Ela riu e me beijou nos ficamos ali conversando na maior paz um tempão e logo pegamos no sono.

O preço dessa vida (M)Leia esta história GRATUITAMENTE!