4 Meses

1.5K 110 63

Lucy on:

Naquela noite eu me afoguei em lágrimas, mas não estranhei, isso vinha acontecendo com frequência.Meus dias se tornaram bastante monótonos,foi basicamente a mesma rotina de sempre:Casa, escola e trabalho.

Claro, o horário (como eles prometeram) mudou e agora eu estava trabalhando em todos os dias, menos em finais de semana. Isso me ajudava pois me deixava entretida,passando menos tempo me preocupando com as coisas que haviam acontecido.

Natsu?

Bom,ele também não parece estar muito bem.Ele sempre fora alegre e energético porém já têm semanas que ele não sorri.

Outras coisas também mudaram,eu por exemplo vendi a minha casa e voltei a morar com a minha mãe.Eu gostava da companhia dela e não queria ficar sozinha.Plue foi comigo, claro.Até pensei em mudar o nome dele... Acredita? Era uma tortura pensar em Natsu ou qualquer coisa relacionada a ele.Principalmente porque eu sempre soube que ele procurava lealdade e sinceridade nos outros. Mas eu não atendi a nenhuma das duas características.

Chegamos a trocar "Ois". Mas todos foram secos e para apenas não deixar nossos amigos sem graça na nossa presença.Não queríamos incluí-los nessa parte.

Gray nunca mais me incomodou e ocorreram boatos de que ele só queria me pegar. E o infeliz conseguiu.

Juvia finalmente havia saído do estilo piranha que ela adotou nos últimos meses. Agora ela estava normal e de vez em quando vinha conversar comigo. Isso era bom,eu gosto muito da amizade dela.

Loke não saiu comigo como prometeu,alegando que estava com muitas provas e pouco tempo.

Mas eu consegui conversar com Taurus. Ele é uma ótima pessoa, apesar de ser meio idiota às vezes... *revira os olhos*

Todos os finais de semana eu tenho o hábito de ir ao túmulo de meu pai,acho que é o mínimo que posso fazer por ele.

No trabalho,eu sou uma das garçonetes. Meu uniforme é bem fofo, é uma saia vermelha e uma blusa vermelha com babados brancos e botões pretos. Na cabeça eu uso um lenço também vermelho e patins nos pés. Isso mesmo, patins, além deles serem mais rápidos,nos cansamos com menos facilidade. A chefe me adora e o bom de estar aqui é porque fico perto de Erza que sempre me ajuda e tenta me animar.O dinheiro que estou ganhando não serve para muita coisa,sobretudo gosto de estar aqui. Natsu só tinha vindo uma vez nessa cafeteria,claro que eu não atendi ele,mas fiquei o observando de longe, ele parecida solitário e um pouco quieto.Foi estranho.

(...)

Acordei disposta nessa manhã, apesar de ser Segunda.

Por que?

Bom,um mês atrás foi avisado que haveria uma peça no Colégio e que todos podíamos participar. Fora que quem participa ganha ponto.Hoje vão ser as audições para os personagens. Estou animada. Eu queria pegar a personagem principal (claro) e já estava com todas as suas falas gravadas.Comecei a me arrumar e sem querer achei um par de brincos que ganhei de Natsu.Aquilo foi uma besteirinha que ele cismou de me dar quando fomos à uma feira.Sorri instantaneamente. Acho que vou usar eles hoje.Talvez ele nem perceba,já que mal nos olhamos... Quando terminei fui preparar o meu café, que finalmente poderia ser bem calórico, já que eu havia saído da dieta há uns meses.Minha mãe não estava acordada como de costume,isso me desanimou um pouco,queria ter o apoio dela.Depois que finalizei tudo,peguei a minha mochila, meu celular e meus fones e me coloquei a caminho da escola.Ouvir música havia se tornado uma das melhores horas do meu dia. Sério.

Enquanto caminhava,pensei em ir de barco. Eu havia combinado com Yukino de sempre fazer isso,porém sempre optava por ir andando.

A paisagem era linda,o melhor de tudo era o toque relaxante que aquilo me trazia. Eu não conseguia parar de suspirar com tamanha beleza. Aquele lago realmente me deixava bem.O senhor que me levava hoje era diferente do moço que costumava me levar, por isso iríamos pegar outra pessoa que eu não conhecia. No caminho fui observando as pessoas na rua e inexplicavelmente (já que o cel estava em modo aleatório) a música que tocava combinava com o momento.De repente paramos e senti o peso de outra pessoa entrar no barco. Viro em sua direção para cumprimentá-lo e tenho uma surpresa. Natsu.Wow...

- Ah...Posso pegar outro barco se preferir...Ou então... Bom,vou pegar outro.-

Ele já estava com um pé para fora do barco quando eu, sem perceber, insisti que ficasse.O mesmo me olhou confuso por um tempo mas decidiu ficar por final.
Detalhe:O senhor que estava no barco assistia tudo atentamente sem se meter.

Ficamos bem desconfortáveis e fazíamos o máximo de esforço para que não houvesse nenhum contato. Até que ele resolve puxar assunto:

- Ah... Como vai na escola? -

-Bem...Bem.E você?- Tentava não olhar em seus olhos.

-O mesmo de sempre...- Ele solta uma risada nervosa.

- Vai fazer teste para algum personagem hoje? - Perguntei com a cabeça um pouco baixa.

-Sim... E você? -

-Também... - Tentei sorrir no final da frase. O sorriso mais forçado do mundo. DELS QUE CONVERSA RUIM.

Depois disso seguimos caminho em silêncio. Quando chegamos na escola cada um foi para um canto sem despedidas.

(...)

Agora é o primeiro tempo após o intervalo e não consigo ficar calma.Minhas mãos estão suando e não paro de repetir as falas em minha mente.Fomos todos para a sala de teatro que era imensa, contendo um palco gigante que era de madeira e tinha cortinas vermelhas.Algumas luzes estavam acesas sobre ele dando um ar perfeito para a encenação. As fileiras de poltronas eram imensas. Eu estava me sentindo insegura.Me sentei em uma das cadeiras e pude perceber o quanto macia elas eram.

Nome por nome foi chamado e nas poucas vezes que prestei atenção, pude perceber que todos eram bons.Eu estava bem mergulhada em meus pensamentos, não conseguia parar de pensar no que ocorreu no caminho para a escola.De repente sinto alguém me cutucar.

- Hum!?!?-

-Lucy Heartifilia? - A professora me chama com pouca paciência.

-É a sua vez. Ela já está te chamando há algum tempo... Se concentre!- Levy me adverte.

Apenas aceno a cabeça em um tom afirmativo e vou caminhando rapidamente até o palco.

-Comece. -A professora pede.

Suspiro fortemente e fecho os olhos com força tentando me concentrar.Repito novamente as falas em m minha cabeça e decido começar.Abro os olhos, todos ainda me encaravam, porém eu procurava alguém em especial. Natsu.Quando percebi que ele me fitava com os olhos,decidi começar. A minha personagem era um pouco melancólica, combinou um pouco comigo. Fiz sair o mais natural possível e desejei ter ido bem.No final, me encurvei diante da turma e recebi vários aplausos,para a minha surpresa.

Saí do palco feliz.Eu tinha certeza de que tinha chances de ganhar o papel. Pratiquei em quase todos os dias.Os resultados iriam sair após a aula. Eu mal podia esperar. Depois da minha apresentação,eu voltei para a sala assim como todos os outros alunos,ou seja, não pude comparar a minha apresentação com a de outros.

Quando todos já estavam em sala, a professora ficou diante à turma e começou seu discurso sobre em como aquela peça deveria ser levada a sério. E também nos parabenizou. Em seguida começou a ditar os nomes que conseguiram passar no teste.

-E agora, os últimos porém não menos importantes,Lucy Heartifilia e Natsu Dragneel, fazendo o papel do casal principal. -
Eu não sabia se comemorava ou se chorava. Vida, por favor, para de me sacanear.

Minha boca se formou em um "O" perfeito com as palavras da professora,enquanto Natsu olhava em minha direção ainda meio confuso.

Meu rosado - Fairy TailLeia esta história GRATUITAMENTE!