Culpada

604 51 24

Lucy on:

Dia seguinte,11:00:

-Por que você ainda se comporta dessa forma???Hein??Me explica pois eu não consigo entender...

Ele se levantou do sofá irritado e colocou as mãos na cabeça.Depois desse ato,o mesmo começou a andar em círculos,obviamente estressado.

-Você ainda me pergunta?O senhor- Apontei para o seu rosto- mentiu para mim!

-E você?Foi você a corna?Acho que não.Quem errou mais?

Seus olhos estavam repletos por ódio.Meu sangue fervia dentro de minhas veias.Como ele ousa falar aquelas coisas??

-Quer saber?Vai embora.Sai da minha casa.Não quero nunca mais falar contigo...- me sentei no sofá e escondi rapidamente meu rosto com as mãos - Vai logo.

Um silêncio se instalou na casa e o único som que eu podia ouvir era o de meus próprios soluços.Quando ele iria me perdoar?Aliás...Quando eu vou me perdoar?

-Hey...Lucy...-

-Você ainda não foi embora?!?!QUE DROGA.- Ele não podia apenas facilitar as coisas???

-Não.- senti ele se sentar no sofá -E nem vou.

Tirei as mãos de meu rosto,virei meu corpo em sua direção e não consegui evitar abraçá-lo com toda a força que tinha.Eu praticamente havia me jogado em sua direção,fazendo o mesmo cair para trás no sofá.

Detalhe: Comigo em cima.

-Lucy,você tá me esmagando.- Ouvi ele reclamar- Socorro.

Eu apenas ignorei seu comentário babaca e continuei o abraçando.Não queria sair daquele abraço tão cedo.

-Okay....Já vi que você não vai sair.- Vi ele sorrir e senti o mesmo devolver o afeto,colocando uma de suas mãos nas minhas costas e a outra em minha cintura.

Seu pescoço parecia ter o encaixe perfeito para o meu rosto.Era incrível. Podia sentir seu cheiro forte e todo o calor de seu corpo.E o melhor de tudo: Saber os efeitos que eu causava.

Era fácil perceber sua inquietação e o rubor em seu rosto.Não que eu estivesse muito diferente,pelo contrário,eu podia estar muito pior.Porém,naquele momento, nada mais me importava.E deduzi que ele pensava o mesmo.O som de nossas respirações e corações pulsando em harmonia era reconfortante.

-Natsu...Você realmente me perdoou?...- perguntei sem coragem para olhar em seus olhos.

Ele demorou um tempo para responder,talvez estivesse pensando na melhor resposta.

-Sim...Não tem como ficar com raiva de ti...- Ouvi o mesmo suspirar -Só consigo te amar mais e mais.

Me levantei o suficiente para olhar em seus olhos e em questão de segundos senti seus lábios tocarem os meus.

Senti uma de suas mãos subir para a minha nuca enquanto a outra apertava de leve a minha cintura.Aproveitei essa troca para me apoiar sobre meus joelhos (que estavam um de cada lado do corpo dele) e segurar seu rosto com as mãos,aprofundando ainda mais o nosso beijo.

Nunca havíamos nos beijado com tanta paixão e desejo.Mesmo com a perda de fôlego,mal conseguíamos desgrudar nossos lábios. Estava sendo uma das melhores sensações da minha vida.

Quando a falta de ar ficou forte demais,ele finalizou o nosso beijo mordendo meu lábio inferior e sorrindo para mim logo em seguida,revelando estar ofegante assim como eu.

Sinceramente,eu não ligava muito para a falta de ar, só queria beijar mais e mais...

Acabei sorrindo também ao ver aquele sorriso lindo,que apenas ele tinha,formado em seus lábios.

-Natsu...O que faremos agora?- lhe dei um selinho e me deitei sobre seu peitoral- Não sei muito bem o que estou sentindo.

-Bom...Eu estou tão confuso quanto você...O que acha de deixar para resolver isso mais tarde e apenas curtir esse momento aqui,agarradinha comigo?

Nessa hora sentimos um cheiro de queimado vindo da cozinha e percebi que não teríamos almoço hoje.

Saí rapidamente de cima dele e fui correndo para a cozinha na esperança de salvar algo da lasanha que eu havia feito,porém,ela estava completamente queimada.Não tinha salvação.Eu havia esquecido ela no forno depois que começamos a discutir por uma causa que eu já nem lembrava mais...
Voltei para a sala e avisei a Natsu que teríamos que sair para comer fora pois eu já estava cansada e não queria cozinhar tudo de novo.Ele apenas sorriu e concordou com a cabeça enquanto pegava as chaves do carro.

Fomos a um restaurante que tinha aqui perto e que era muito conhecido na cidade.Quase todo o pessoal do Colégio frequentava ele,já que ficava muito perto e tinha as melhores cervejas do local.Escolhemos uma mesa mais isolada e conversávamos sobre coisas aleatórias,rindo à cada segundo sobre uma coisa boba que o outro falava.Eu estava com saudade da sensação de estar com alguém que te faz tão bem.

Tudo ocorria bem até que eu vi em uma mesa próxima uma cabeleira branca sentada na mesma mesa que o Gray.Apertei um pouco os olhos para melhorar a visão e vi que era a Lissana.

Tinha que ser...

-Lucy?O que houve?

-Olha para aquela mesa perto da porta discretamente e me diga o que vê.

-AH...A toalha da mesa deles é lilás. Você queria aquela toalha?Se quiser eu peço para pôr na nossa.Também acho branco muito sem graça.

Natsu me olhou sorrindo.

-SEU IDIOTA.Não é a toalha!!Olhe para as pessoas que estão na mesa.QUEM SÃO?

Ele voltou a olhar para aquele canto e virou o rosto em minha direção com uma cara meio aborrecida.

-O que aquelas pestes estão fazendo aqui?ELES TÊM QUE SEGUIR A GENTE PARA TODO LUGAR QUE VAMOS?

-FALA BAIXO.Não podem saber que estamos aqui!!-Reclamei.

-VOCÊ TAMBÉM ESTÁ FALANDO ALTO.

AAAAAAHHHH QUE ÓDIO.

-Tá,tá,tá.Só tenta não chamar a atenção deles...

-Por que acha que eles estão aqui?E por quê juntos?

Percebi que Natsu era um tanto lerdo assim que o mesmo fez aquelas perguntas.

-Aahhh....- revirei meus olhos- Devem estar tramando algum plano...

-Credo,Lucy.Que mania de perseguição...-Natsu me repreendeu- Eles podem estar apenas almoçando.Assim como nós.

-Humpf...É o que iremos descobrir.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~



Meu rosado - Fairy TailLeia esta história GRATUITAMENTE!