Capítulo trinta e cinco

66.3K 4.6K 1.5K
                                    

Coringa🔥

F2: Como que fica o proceder?

Coringa: Trás esse arrombado aqui, agora! - Falei, pisando no meu cigarro de maconha.

F2 saiu por um tempo, e depois voltou arrastando o Juninho, que tava todo leigo, chapado de droga.

Juninho: Qual é das idéias ai?

Coringa: Quem faz as perguntas aqui sou eu, certo? Tudo que entra, e que sai é anotado, nada passa fora. E tu que é o gerente da boca, como que as drogas tá sumindo, e não tem registro nenhum de venda? Ou tu anda passando pano pra alguém, ou tá usando droga até pelo cu.

Juninho: Eu não fiz nada de errado, carai.

Coringa: Saiu cocaína, maconha e heroína, em grande quantidade, e nada disso foi anotado.

Juninho: É muito trabalho na mente patrão, as vezes acontece, não foi culpa minha.

Coringa: Isso nunca aconteceu antes, caralho! Tu anda chapado de droga, menó. Como que fica isso ai? Não vou aceitar não, nada passa batido aqui, eu quero saber da porra do dinheiro.

Juninho: Mas só eu vou ser cobrado? E os cara que fica embalando toda a droga?

Coringa: Vai dizer agora que nego anda enfiando droga no meio das calça, pra sair da boca? Beleza, chama o Fael aqui, F2.

Ele balançou a cabeça saindo, eu coçei a cabeça sentando, mas depois levantei quando vi o Fael entrar de cabeça baixa.

Fael: Diz ai, patrão.

Coringa: Tão roubando as mercadorias...- Juninho me cortou, querendo falar.

Juninho: Roubando não né, tem que saber das idéias primeiro.

Coringa: Tão roubando essa desgraça sim! Porque a porra da droga não criou perna e saiu andando, e a próxima vez que tu me interromper, sem eu pedir a tua palavra, eu corto a tua língua.

Fael: Eu fico lá embalando, e tal. E nada passou de diferente pela gente, toda droga é contada quando passa pra gente embalar, depois é tudo na mão do Juninho, que anota tudo no caderno.

Coringa: F2, leva ele pra tortura! - Apontei pro Juninho.- e se não admitir, pode passar. Se fez ou se tá passando pano pra alguém, vai pagar com a vida.

Ele abaixou a cabeça sendo arrastado pelo F2, Fael fez gesto saindo, e eu sai da minha sala indo direto pra casa.

Tomei meu banho, mandei mensagem pra uma mina que eu ia encontrar hoje, e piei pra festinha que tava tendo aqui.

Tava geral conhecido, eu falei com alguns, e fui procurar a mina que disse que ia tá me esperando na entrada do beco.

Olhei pra Milena que tava do outro lado mexendo no celular, e depois saiu pro outro lado, pensei em ir atrás, mas depois neguei com a cabeça encostando na parede.

Bruna tava junto com o Cabelinho, os dois conversando na maior risada, e o pt tava do outro lado sozinho.

Coloquei meu celular no bolso, e já me virei entrando no beco escuro, quando senti uma mão no meu pescoço.

▪▪▪
+100

No MorroOnde as histórias ganham vida. Descobre agora